Sá e Rogerinho estreiam com vitória no Brasil Open

Os brasileiros André Sá e Rogerio Dutra Silva começaram o Brasil Open com o pé direito. Na tarde desta segunda-feira, o mineiro e o paulistano derrotaram a dupla formada pelo espanhol Inigo Cervantes e o japonês Taro Daniel em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4.

32342166233_69177407a7_k

Foto: DGW Comunicação

Cervantes e Daniel entraram na chave de duplas após a desistência de Thomaz Bellucci e Thiago Monteiro, com o paulista alegando dores no estômago. A troca, porém, não pegou Sá e Rogerinho de surpresa, que fizeram uma partida sólida. O primeiro set viu Dutra Silva ter seu saque ameaçado por quatro vezes, salvando todos. Os brasileiros incomodaram constantemente o serviço de seus adversários durante toda a parcial, conseguindo a quebra no oitavo game e consolidando a vantagem no game seguinte.

O segundo set não viu Sá e Rogerinho serem ameaçados, enquanto os brasileiros pressionaram seus adversários do início ao fim. A quebra veio no quinto game, com a vitória sendo confirmada no primeiro match point disponível.

“A preparação mudou bastante, iríamos jogar contra dois canhotos e brasileiros, seria um jogo mais nervoso. No fim entrou o Cervantes e o Daniel, que deu pra ver que não jogam juntos, faltou um entrosamento, mas pra gente foi fantástico, é sempre difícil estrear no Brasil”, disse Sá sobre a troca de adversários na última hora.

Na próxima rodada, a dupla enfrentará os vencedores da partida entre Monroe/Sitak e os portugueses Elias/Sousa. “O próximo jogo vai ser difícil, vejo Monroe/Sitak um pouquinho mais favoritos, eles vêm ganhando muitos jogos nos últimos torneios. Com certeza uma dupla muito mais entrosada do que hoje, vamos ter que jogar num nível mais alto do que hoje”, finalizou o mineiro.

Marcelo Melo fala sobre expectativas para Rio Open

O próximo dia 20 será marcado pelo início do Rio Open, que contará com a presença do tenista Marcelo Melo como um dos competidores nas duplas. Ao lado do polonês Lukasz Kubot, o atleta tem boas expectativas para a competição, que será a primeira em solo brasileiro ao lado do novo parceiro.

imagem_release_873662

“Temos tudo para fazermos um ótimo torneio. Começamos o ano muito bem, com bom desempenho. Ainda temos que adaptar e encaixar alguns detalhes, o que é normal quando formamos uma nova dupla. Estamos no caminho correto e com certeza chegaremos na melhor forma para a competição”, ressalta o jogador brasileiro.

Marcelo Melo e Lukasz Kubot formam uma das dez duplas que disputarão o Rio Open 2017 a partir da próxima segunda-feira, no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro.  Com Kubot, o Melo se consagrou campeão duas vezes do ATP 500 de Viena, primeiro em 2015, quando alcançou o topo do ranking como o melhor duplista do mundo, e na temporada 2016.

“Vai ser interessante jogar ao lado do Lukasz, pois ele já veio muitas vezes ao Brasil, principalmente quando atuava nas simples, e gosta de jogar no país. Ele é um jogador agressivo e tem somado muito a nossa parceria”, finaliza Marcelo Melo.

Lista do Brasil Open contará com Demoliner liderando os brasileiros

A ATP divulgou, nesta terça-feira, a lista das duplas inscritas para Brasil Open, que será disputado de 27 de fevereiro a 5 de março, no Esporte Clube Pinheiros.

305322_679740_24726271924_8b2225434c_k

Atuais campeões do Brasil Open, o chileno Julio Peralta e o argentino Horacio Zeballos confirmaram presença na edição deste ano. Na decisão do Brasil Open 2016, a parceria sul-americana venceu os espanhóis Pablo Carreño Busta e David Marrero, por 4/6 6/1 10-5. Juntos, além do Brasil Open, eles conquistaram os títulos de Metz e Gstaad, também em 2016.

Cinco brasileiros estão na lista de inscritos. O gaúcho Marcelo Demoliner jogará ao lado do neozelandês Marcus Daniell. O paulista Rogério Dutra Silva e o mineiro André Sá formam uma parceria. O mesmo acontece com o paulista Thomaz Bellucci e o cearense Thiago Monteiro.

Além das 10 vagas diretas, outras seis serão preenchidas, sendo quatro on-site e duas por convite da organização.

LISTA DE DUPLAS
1 – Julio Peralta (CHI)/Horacio Zeballos (ARG)
2 – Marcus Daniell (NZL)/Marcelo Demoliner (BRA)
3 – Andres Molteni (ARG)/Diego Schwartzman (ARG)
4 – Gastão Elias (POR)/João Sousa (POR)
5 – Rogério Dutra Silva (BRA)/André Sá (BRA)
6 – Facundo Bagnis (ARG)/Guillermo Duran (ARG)
7 – Johan Brunstrom (SWE)/ Andreas Siljestrom (SEW)
8 – Alessandro Gianessi (ITA)/Albert Ramos-Vinolas (ESP)
9 – Thomaz Bellucci (BRA)/Thiago Monteiro (BRA)
10 – Sergio Galdos (PER)/Hans Podlipnik-Castillo (CHI)

Rio Open divulga lista das duplas que disputarão o torneio

A ATP divulgou nesta terça a lista das duplas que disputarão o Rio Open. A chave de duplas do ATP 500 será a mais forte da história da competição, contando com sete campeões de Grand Slam, entre eles, Bruno Soares e Marcelo Melo. Os ingressos para o Rio Open, que acontece de 20 a 26 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro, e contará com a presença de dois top 10, Kei Nishikori e Dominic Thiem, na simples, estão à venda no http://www.tudus.com.br/rioopen.

rioopenfinal

Os brasileiros Bruno Soares e Marcelo Melo, que disputarão o torneio com seus parceiros atuais de circuito, são os principais destaques. Ao lado do britânico Jamie Murray, Soares foi campeão do Australian Open e do US Open no ano de 2016, terminando a temporada como a melhor dupla do mundo. O time virá ao Rio Open em busca do primeiro título de um brasileiro no maior torneio da América do Sul.

Já Melo e o polonês Lukasz Kubot estão no primeiro ano de parceria. Após a conquista do ATP 500 de Viena por dois anos consecutivos, a dupla decidiu disputar a temporada de 2017 junta, formando um time de peso. O mineiro é ex-número 1 do mundo e foi campeão de Roland Garros em 2015 ao lado do croata Ivan Dodig, enquanto Kubot possui no currículo o título do Australian Open em 2014, com o sueco Robert Lindstedt.

A chave também contará com os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, bicampeões do Rio Open e atuais defensores do título, os italianos Simone Bolelli e Fabio Fognini, campeões do Australian Open em 2015, a dupla formada pelo uruguaio Pablo Cuevas, atual campeão de simples do Rio Open e vencedor do torneio de duplas de Roland Garros em 2008, com o espanhol Pablo Carreno Busta, que enfrentou Bruno Soares na final de duplas do US Open e o espanhol David Marrero e o mexicano Santiago Gonzalez.

“Sem dúvida nenhuma é a chave de duplas mais fote da nossa história, liderada pelos brasileiros. Teremos disputas duríssimas, com muitos campeões de Grand Slam em ação. É um privilégio para o Rio Open recebê-los e um presente para o público”, disse o Diretor do Torneio, Luiz Procopio Carvalho.

Além das 10 vagas diretas, outras seis serão preenchidas, sendo três on-site, duas por convite da organização e uma do Rio Open Qualifying, que também estará bem forte, contando com nomes como Carlos Berlocq e Albert Ramos-Vinolas, André Sá e Tommy Robredo, Dominic Thiem e Gerald Melzer, Alexander Dolgopolov e Stephane Robert – que estão na lista de alternates.

Duplas que disputarão o Rio Open:
1. Bruno Soares/Jamie Murray (BRA/GBR)
2. Marcelo Melo/Lukasz Kubot (BRA/POL)
3. Pablo Carreno Busta/Pablo Cuevas (ESP/URU)
4. Juan Sebastian Cabal/Robert Farah (COL/COL)
5. Paolo Lorenzi/João Sousa (ITA/POR)
6. Santiago Gonzalez/David Marrero (MEX/ESP)
7. Simone Bolelli/Fabio Fognini (ITA/ITA)
8. Julio Peralta/Horacio Zeballos (CHI/ARG)
9. Nicholas Monroe/Artem Sitak (USA/NZL)
10. Andres Molteni/Diego Schwartzman (ARG/ARG)

Preview – Bryan/Bryan x Kontinen/Peers

new-piktochart_546_6ea117f4f545426598b98a0bda80b9c3c7eca0ad

A final de duplas masculinas do Australian Open acontecerá neste sábado. Bob e Mike Bryan querem o 17º título de Grand Slam, enquanto Henri Kontinen e John Peers, os atuais campeões do ATP Finals, buscam seu primeiro título da categoria.

Campanhas
Bob e Mike Bryan
– 6/3 6/0 em Mathieu/Paire
– 6/3 6/2 em Zimonjic/Zverev
– 6/3 7/6 em Baker/Mektic
– 7/6 5/7 6/4 em [9]Dodig/Granollers
– 76/ 6/3 em Carreno Busta/Garcia-Lopez

Henri Kontinen e John Peers
– 7/6 6/4 em Gonzalez/Marrero
– 6/3 6/2 em Baghdatis/Muller
– 6/7 7/6 7/6 em [14]Cabal/Farah
– 7/5 6/3 em Groth/Guccione
– 6/4 6/4 em Polmans/Whittington

Confronto direto
Kontinen/Peers lideram o confronto direto com duas vitórias em dois jogos contra os irmãos Bryan. Ambas as vitórias aconteceram no piso duro e em sets diretos.

  • Masters 1000 de Paris – Kontinen/Peers 6/4 6/2 Bryan/Bryan
  • ATP Finals – Kontinen/Peers 7/6 6/4 Bryan/Bryan

Em busca dos recordes
Bob e Mike Bryan podem igualar o recorde de John Newcombe, que possui 17 títulos de Grand Slam nas duplas masculinas, sendo o maior número de slams conquistados por um indivíduo na história. Atualmente com 16 títulos, os irmãos estão empatados com Roy Emerson e Todd Woodbridge na segunda colocação.

Donos de seis títulos no Australian Open, os gêmeos podem se aproximar do recorde de John Bromwich e Adrian Quist, que conquistaram oito troféus no Grand Slam australiano.

Ranking
Atualmente na 5ª colocação, os irmãos Bryan podem assumir o posto de números 2 do mundo caso conquistem o título, enquanto o vice-campeonato os coloca na 3ª posição. Já Kontinen e Peers, independente do resultado, serão os novos número 5 e 6 do mundo, respectivamente.

O primeiro em muito tempo
John Peers é o primeiro australiano a chegar na final de duplas masculinas do Australian Open desde Todd Woodbridge, que conquistou o título em 2001 (com Jonas Bjorkman). De todos os Grand Slams, o último australiano a conquistar um título de duplas masculinas foi Stephen Huss em Wimbledon, no ano de 2005.

O primeiro de sempre
Henri Kontinen é o primeiro finlandês, homem ou mulher, a disputar uma final de Grand Slam (simples ou duplas). Kontinen foi campeão de duplas mistas no ano passado, em Wimbledon, ao lado da britânica Heather Watson.

Histórico de Kontinen/Peers

  • Peers está em busca do seu primeiro título de Grand Slam. O australiano já disputou outras duas finais do mesmo nível em 2015, terminando vice em Wimbledon e no US Open.
  • Esta é a quinta vez que Peers disputa o Australian Open, tendo uma terceira rodada como o melhor resultado no torneio australiano até este ano.
  • Já Kontinen está participando do Grand Slam australiano pela terceira vez e seu melhor resultado no torneio era uma segunda rodada, justamente com Peers, na edição do ano passado.

Histórico de Bob e Mike Bryan

  • Os irmãos estão disputando o Australian Open pela 18ª vez, tendo conquistado seis títulos em Melbourne.
  • No total, os gêmeos já disputaram 76 Grand Slams, chegando em 30 finais.
  • Desde 2003, Bob e Mike fazem pelo menos uma final em Grand Slam por ano.
  • Com 112 títulos no total, a quadra dura é onde os irmãos se dão melhor, com 70 desses títulos sendo neste piso.
  • 2016 foi o primeiro ano em que os gêmeos não ganharam um título em quadras duras desde 2001, temporada em que conquistaram o primeiro título do nível ATP.
  • O último Grand Slam que Bob e Mike Bryan terminaram campeões foi o US Open de 2014.

Transmissão
A final será transmitida pela ESPN, logo após a final de feminina de simples, que terá início às 6h30, horário de Brasília.

Melo e Demoliner se despedem do Australian Open; Soares desiste das mistas

As esperanças brasileiras no Australian Open acabaram na última madrugada. Marcelo Melo e Marcelo Demoliner deram adeus ao torneio após partidas duríssimas pela chave de duplas masculinas, enquanto Bruno Soares desistiu das duplas mistas.

marcelodemolinerasbclassicday1142g5dt7fdr3x

Marcelo Demoliner e Marcus Daniell fizeram uma partida equilibrada, mas caíram nos detalhes para os australianos Sam Groth e Chris Guccione. Saque a saque, o primeiro set foi para um longo tie-break, com set points para os dois times, mas que terminou com os australianos levando a melhor. Na segunda parcial, Groth e Guccione conseguiram a vantagem logo no segundo game e se mantiveram até o fim, mesmo com Demoliner e Daniell tendo duas chances de devolver a quebra durante o set.

O destino de Marcelo Melo foi o mesmo. O mineiro e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, fizeram um jogo duríssimo contra o croata Ivan Dodig e o espanhol Marcel Granollers, caindo em dois tie-breaks. No primeiro, o mineiro e o polonês tiveram 5-3, mas a dupla falta de Kubot colocou os adversários de volta à partida, que confirmaram no primeiro set point com mais um mini break. A segunda parcial viu Melo e Kubot abrirem 2/0, mas seu ex-parceiro e Granollers empataram no sexto game e o jogo foi para mais um tie-break. Lá, a dupla do brasileiro também chegou a ter vantagem no 4-2, mas os adversários reagiram e levaram a partida.

Nas quartas de finais, Groth e Guccione enfrentarão os cabeças de chave 4 Henri Kontinen e John Peers, enquanto Ivan Dodig e Marcelo Granollers testarão as forças contra os irmãos Bob e Mike Bryan. Os outros jogos da chave serão disputados entre Herbert/Mahut e Polmans/Whittington, além de Carreno Busta/Garcia-Lopez, os finalistas do US Open de 2016, contra os australianos Bolt/Mousley.

Bruno Soares estava vivo na chave de duplas mistas com a tcheca Katerina Siniakova, mas preferiu desistir após sentir dores nas costas, por consequência da inflamação em um dos discos. Para não agravar a situação, o mineiro já está retornando ao Brasil, onde descansará e se preparará para o Rio Open.

Duplas de Melo e Demoliner avançam às oitavas; Soares vence na mista

A madrugada foi positiva para o brasileiros disputando o Australian Open. Com vitórias de Marcelo Melo, Marcelo Demoliner e Bruno Soares, o Brasil segue com esperanças nas chaves de duplas masculinas e duplas mistas.

marcelomelo2017australianopenday4yxbeiazj1h1x

Marcelo Melo e Lukasz Kubot enfrentaram o americano Nicholas Monroe e o neozelandês Artem Sitak no fim da madrugada deste sábado e venceram em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/6. O primeiro set foi tranquilo, com Melo e Kubot aproveitando a única chance de quebra da parcial justamente no primeiro game. O segundo viu um início parecido, com o mineiro e o polonês liderando após uma quebra no primeiro game. Monroe e Sitak, porém, buscaram devolver a diferença no sexto game e a parcial foi decidida num dominante tie-break de Melo e Kubot, que chegaram a abrir 6-1 antes de fechar em 7-3.

Marcelo Demoliner e Marcus Daniell mostraram dominância na partida contra os cabeças de chave 6 Raven Klaasen e Rajeev Ram, no qual venceram por 6/1 e 7/6. Após um primeiro set cirúrgico do gaúcho e do neozelandês, aproveitando as únicas duas chances de quebra disponíveis, a segunda parcial acabou sendo mais exigente. Klaasen e Ram chegaram a abrir 3/1, mas Demoliner e Daniell correram atrás para igualar a partida e levar ao tie-break. Lá, a dupla liderou desde cedo, fechando em 7-4. Nas oitavas, o gaúcho e o neozelandês enfrentarão os australianos Sam Groth e Chris Guccione, que derrotaram os cabeças 10 Huey/Mirnyi em sets diretos.

Após a derrota na primeira rodada de duplas masculinas, Bruno Soares estreou nas duplas mistas ao lado da tcheca Katerina Siniakova. O time derrotou a espanhola María José Martínez Sánchez e o uruguaio Pablo Cuevas em 6/4 e 6/3, numa partida com altos e baixos para as duas duplas. Na próxima rodada, Bruno e Siniakova enfrentarão os vencedores de Svitolina/Guccione x Groenefeld/Farah.

Melo avança, Soares é surpreendido e Sá cai nos detalhes

A madrugada desta quinta-feira foi difícil para os mineiros, com Marcelo Melo sendo o único a avançar. O brasileiro e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, sofreram para derrotar os suecos Johan Brunstrom e Andreas Siljestrom em partida que terminou em 7/5, 4/6 e 6/4.

maxresdefault

Disputada e com chances para os dois times, a partida contou com sete quebras no total. Ambos os sets vencidos por Melo e Kubot terminaram com a dupla quebrando seus adversários no game final, com os suecos sentindo a pressão exercida pelo mineiro e o polonês. Na segunda rodada, Marcelo e seu parceiro enfrentarão a dupla formada pelo americano Nicholas Monroe e o neozelandês Artem Sitak, que derrotaram Cerretani/Oswald na estreia.

Faltou pouco para André Sá seguir o mesmo caminho de Melo. Ele e Leander Paes foram derrotados nos detalhes pelo filipino Treat Huey e o bielorrusso Max Mirnyi em 4/6, 7/6 e 6/4. O mineiro e o indiano chegaram a ter 3-0 durante o tie-break do segundo set, ficando próximos de fechar a partida, porém Huey e Mirnyi levaram sete pontos seguidos para levar o set e iniciar a virada, que foi concretizada após uma única quebra durante a terceira parcial.

A surpresa ficou por conta da queda de Bruno Soares e Jamie Murray, os atuais campeões do Australian Open. A dupla foi eliminada do torneio pelos americanos Sam Querrey e Donald Young em sets diretos, com parciais de 6/3 e 7/6. Após o único break point disponível em todo o primeiro set ser aproveitado pelos americanos para ganhar a parcial, o segundo foi diferente, com Bruno e Murray tendo oportunidades de quebra, que não foram concretizadas. Com tudo igual, o set foi para o tie-break, que contou com sete mini-breaks até a vitória dos americanos, aproveitando o primeiro match point.

Demoliner avança e Bellucci é eliminado

Na última madrugada, os brasileiros Marcelo Demoliner e Thomaz Bellucci estrearam na chave de duplas do Australian Open. Ao lado do neozelandês Marcus Daniell, Demoliner venceu o argentino Guillermo Duran e o português João Sousa em sets diretos, com parciais de 7/6 e 6/4.

marcelodemolinerasbclassicday11-kv8tfio2bx

Foi a segunda vitória do gaúcho e do neozelandês contra Duran/Sousa, time que também enfrentaram no ATP 250 de Auckland. Na próxima rodada, a dupla enfrentará os vencedores de Klaasen/Ram x Bury/Lorenzi.

Já Thomaz Bellucci e o argentino Maximo Gonzalez foram superados pelo indiano Rohan Bopanna e o uruguaio Pablo Cuevas, cabeças de chave 15 da competição em 6/4 e 7/6. O brasileiro e o argentino tiveram apenas uma chance de quebra durante toda a partida, que foi aproveitada no segundo set. Porém não foi o suficiente para segurar seus adversários, que devolveram a diferença em pouco tempo e levaram a vitória no tie-break.

No fim desta quarta-feira os mineiros estrearão no Grand Slam australiano. Às 22h, horário de Brasília, André Sá e Leander Paes enfrentarão Huey/Mirnyi e às 23h será a vez de Marcelo Melo e Lukasz Kubot, que pegarão os suecos Brunstrom/Siljestrom. Já durante a madrugada, os atuais campeões Bruno Soares e Jamie Murray encararão os americanos Querrey/Young.

Guia das duplas: Australian Open 2017

jamie-murraybruno-soares-v-daniel-nestorradek-stepanek-australian-open-doubles-finaljp

Os campeões
Campeões na edição anterior, a dupla fez uma boa preparação em Sydney, chegando na final. O mineiro comemorou o pré-slam: “Fizemos uma excelente preparação para a Austrália jogando dois bons torneios. Chegamos aqui com ritmo, que era o nosso objetivo principal.”

Bruno Soares e Jamie Murray irão defender um título de Grand Slam pela primeira vez. Questionado se sente pressão por essa situação nova, Bruno negou. “A expectativa é muito boa. Não temos a preocupação de defender o título, e sim a motivação de saber que a gente jogou muito bem no ano passado e que podemos repetir isso aí”, comentou.

Cabeças de chave 2, a dupla terá uma estreia desafiadora pela frente, já que enfrentarão os americanos Sam Querrey e Donald Young. No caminho, o mineiro e o britânico poderão encontrar um dos finalistas do ano passado, o tcheco Radek Stepanek (vice ao lado de Daniel Nestor), que faz dupla com o canadense Vasek Pospisil nesta edição.

Projeção de Murray/Soares
R1: Querrey/Young
R2: Erlich/Lipsky ou Khachanov/Kuznetsov
Oitavas: [15] Bopanna/Cuevas; Bellucci/Gonzalez
Quartas: [5]Lopez/Lopez; [12]Pospisil/Stepanek
Semi: [3]Bryan/Bryan; [7]Kubot/Melo; [9]Dodig/Granollers; [13]Pavic/Peya

Os brasileiros
[7]Marcelo Melo e Lukasz Kubot
A dupla, que conquistou dois títulos no ATP 500 de Viena nos últimos dois anos, estreará em Grand Slams no Australian Open. O mineiro e o polonês vêm de derrota na estreia do ATP 250 de Sydney para os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah em um match tie-break apertado, marcado por duplas faltas. O saque será crucial para a dupla na Austrália.

As duas partidas iniciais exigem atenção, mas o problema mesmo deverá vir depois. Melo poderá encontrar o ex-parceiro Ivan Dodig (com Marcel Granollers) logo nas oitavas, em um reencontro inesperadamente antecipado. O sueco Robert Lindstedt, campeão do Australian Open em 2014 com Kubot, também está na chave e pode surpreender nas rodadas iniciais, já que ele e Michael Venus não são cabeças de chave.

Projeção de Kubot/Melo
R1: Brunstrom/Siljestrom
R2: Monroe/Sitak ou Cerretani/Oswald
Oitavas: [9]Dodig/Granollers; Lindstedt/Venus
Quartas: [3]Bryan/Bryan; [13]Pavic/Peya
Semi: [2]Murray/Soares; [5]Lopez/Lopez; [12]Pospisil/Stepanek; [15] Bopanna/Cuevas

André Sá e Leander Paes
Em início de parceria e vindo de uma vitória e duas derrotas no pré-slam, a dupla estreará contra Treat Huey e Max Mirnyi, cabeças 10 da competição. Este confronto aconteceu na semana passada, em Auckland, do qual Sá e Paes saíram vencedores. A chave também conta com os sempre perigosos Klaasen/Ram e os atuais campeões do ATP Finals John Peers e Henri Kontinen.

Projeção de Paes/Sá
R1: [10]Huey/Mirnyi
R2: Reid/Smith ou Groth/Guccione
Oitavas: [6]Klaasen/Ram; Daniell/Demoliner
Quartas: [4]Kontinen/Peers; [14]Cabal/Farah
Semi: [1]Herbert/Mahut; [8]Nestor/Roger-Vasselin; [11]Rojer/Tecau; [16]Inglot/Mergea

Thomaz Bellucci e Maximo Gonzalez
O brasileiro e o argentino disputarão duplas juntos pela segunda vez na carreira, sete anos após a primeira vez. E eles não deram sorte na chave: pegam Rohan Bopanna e Pablo Cuevas, os cabeças 15, logo na estreia, além da possibilidade de ter Bruno Soares e Jamie Murray logo nas oitavas.

Projeção de Bellucci/Gonzalez
R1: [15]Bopanna/Cuevas
R2: Haase/Mayer ou Bolt/Mousley
Oitavas: [2]Murray/Soares
Quartas: [5]Lopez/Lopez; [12]Pospisil/Stepanek
Semi: [3]Bryan/Bryan; [7]Kubot/Melo; [9]Dodig/Granollers; [13]Pavic/Peya

Marcelo Demoliner e Marcus Daniell
A dupla seguirá para o terceiro ano de parceria e vem de uma ótima semifinal em Auckland. Falando no ATP 250 da Nova Zelândia, assim como Sá e Paes, enfrentarão seus adversários de Auckland na estreia do slam australiano, a dupla formada pelo argentino Guillermo Duran e pelo português João Sousa. Na Nova Zelândia, a vitória veio para Demoliner e Daniell em sets diretos. No mesmo quadrante que o mineiro e o indiano, a dupla terá que lidar com Klaasen/Ram numa difícil segunda rodada.

Projeção de Daniell/Demoliner
R1: Duran/Sousa
R2: [6]Klaasen/Ram ou Bury/Lorenzi
Oitavas: [10]Huey/Mirnyi; Paes/Sá
Quartas: [4]Kontinen/Peers; [14]Cabal/Farah
Semi: [1]Herbert/Mahut; [8]Nestor/Roger-Vasselin; [11]Rojer/Tecau; [16]Inglot/Mergea

Buscando redenção
Horia Tecau, Jean-Julien, Bob Bryan e Mike Bryan têm algo em comum: estão em busca da redenção no Grand Slam australiano. Após um 2016 um pouco abaixo das altíssimas expectativas, as duplas vão para o Australian Open sedentos pelo título.

O caminho de Rojer/Tecau não será fácil, com Petzschner/Youzhny, Koolhof/Middelkoop, Nestor/Roger-Vasselin e Herbert/Mahut sendo seus possíveis adversários até a semi, enquanto os Bryan buscarão seu 17º título de Grand Slam com Kubot/Melo no trajeto para o troféu.

As melhores partidas da primeira rodada
– Janowicz/Matkowski x Fognini/Verdasco
– Rojer/Tecau x Petzschner/Youzhny
– Kontinen/Peers x Gonzalez/Marrero
– Huey/Mirnyi x Paes/Sá
– Pavic/Peya x Melzer/Qureshi
– Murray/Soares x Querrey/Young

Onde assistir
Os canais ESPN e ESPN+ transmitirão o Grand Slam. O Watch ESPN, plataforma online do canal, transmitirá todas as quadras, permitindo que o público escolha qual jogo prefere assistir. Caso você não seja cliente das operadoras de televisão, poderá assistir todas as quadras no site do Australian Open.