Melo e Kubot ficam com o vice em Indian Wells

Marcelo Melo e Lukasz Kubot ficaram com vice-campeonato em Indian Wells. Disputando o primeiro Masters 1000 da temporada, o mineiro e o polonês foram superados por Nikola Mektic e Horacio Zeballos em dois sets a um, com parciais de 4/6, 6/4 e 10-3.

D10ko4AUYAADJOw

Foto: BNP Paribas Open/Divulgação

A partida começou bem para Melo e Kubot, que quebraram o saque de Zeballos logo no primeiro game. A quebra, porém, foi devolvida logo em seguida, com os adversários igualando a partida. O mineiro e o polonês voltaram a conseguir uma quebra no quinto game, abrindo 3/2 e sustentando até o fim do set, levando a parcial em 6/4.

No segundo, o equilíbrio da partida foi ainda mais evidente, com a única quebra da parcial acontecendo no set point, onde Zeballos brilhou na devolução. Com tudo igual, a decisão ficou para o match tie-break. O argentino continuou a grande forma e se destacou, encaixando grandes devoluções. A dupla adversária abriu 5-1 logo no início e administrou a vantagem até o fim, conquistando o primeiro título da parceria.

“Infelizmente, não deu aqui hoje. Eles jogaram melhor a partir do segundo set. Começamos bem o jogo, mas depois foram melhores. E o Zeballos realmente fez a diferença no match tie-break, jogando muito bem. Mereceram a vitória. Tiveram uma chave incrivelmente dura. A gente fez o que pode, mas não deu”, explicou Melo após a final.

Com a dupla conquistando o vice em um Masters 1000 em apenas o terceiro torneio que disputam nesta temporada, Melo e Kubot subirão para a 15ª colocação no ranking de times. “Da mesma maneira, saímos felizes com o resultado, eu voltando a jogar bem, com a final de Masters Series. Agora é aproveitar essa confiança em Miami e para o resto da temporada. Saber que estamos jogando nosso alto nível novamente. Vitórias e derrotas acontecem e a cabeça está tranquila de que fizemos uma excelente semana, e saímos daqui somente com coisas positivas para frente”, afirmou. “E quero agradecer aos que torceram por mim, que me acompanham no Brasil e que estavam aqui. Muito obrigado pelo apoio. Gosto muito de Indian Wells, um dos melhores lugares para se jogar”, finalizou o mineiro, contente pelo resultado.

Este foi apenas o segundo torneio de Mektic e Zeballos. A dupla, que foi formada no Rio Open, teve um caminho duro em Indian Wells. Além de Kubot e Melo, cabeças 6, o croata e o argentino derrotaram os cabeças de chave 1, 3 e 5, Herbert/Mahut, Marach/Pavic e Cabal/Farah, fazendo uma grande campanha. O triunfo coloca Mektic e Zeballos na terceira colocação do ranking da temporada, além de alcançarem seus melhores rankings individuais, com o croata na 6ª posição e o argentino na 19ª.

Melo e Kubot também ganharam posições. O mineiro figurará no 7º lugar na próxima atualização do ranking, enquanto Kubot estará na 5ª colocação. Agora, a dupla segue para o próximo Masters 1000, em Miami.

Anúncios

Kubot/Melo derrotam Djokovic/Fognini e vão à final de Indian Wells

Marcelo Melo e Lukasz Kubot voltam à final de Indian Wells após dois anos. Finalistas em 2017, o mineiro e o polonês derrotaram a dupla de Novak Djokovic e Fabio Fognini em dois sets a um, com parciais de 7/6, 6/2 e 10-6, para se garantirem na grande decisão do Masters 1000 norte-americano.

D1vfHKtUYAAHeYq

Foto: Divulgação

A partida foi disputada do início ao fim. No primeiro set, Melo e Kubot chegaram a ter uma quebra na frente, que foi devolvida quando sacavam para fechar a parcial em 5/4. Com tudo igual, o set seguiu para o tie-break. Lá, Djokovic e Fognini abriram 4-1 após um início lento de Melo e Kubot, mas o mineiro e o polonês não demoraram para reagir, ganhando seis dos sete pontos seguintes e levando o set.

No segundo, Fognini brilhou. A dupla do italiano e do sérvio abriu uma quebra logo no primeiro game, com outra vindo no mais tarde do set e fechando em 6/2. Empatada, a partida foi para o match tie-break. Embalados e vindo de três vitórias no set decisivo, Melo e Kubot prevaleceram e mais uma vez saíram vitoriosos de quadra.

“Muito contente com a atuação de novo hoje. Conseguimos ser agressivos e jogar de maneira consciente nos momentos importantes. O fato de jogarmos tanto tempo juntos fez a diferença no match tie-break, apesar de estarmos jogando contra dois excelentes simplistas, especialmente o Djokovic. Sabemos que ele tem muita confiança, mas conseguimos nos sobressair e fazer um belo jogo. Isso é muito importante para nós. Agora é ir com tudo nessa final”, disse Melo, contente com a atuação.

O time buscará seu 13º título contra o croata Nikola Mektic e o argentino Horacio Zeballos neste sábado, não antes das 21h, com transmissão do Sportv3.

Melo e Kubot vencem de virada e encaram Djokovic/Fognini na semi

Marcelo Melo e Lukasz Kubot continuam vencendo em Indian Wells. Na madrugada desta quinta-feira, o mineiro e o polonês derrotaram dupla formada pelo britânico Dominic Inglot e o croata Franko Skugor de virada, com parciais de 4/6, 6/2 e 10-6, avançando às semifinais do primeiro Masters 1000 do ano.

D1l_QWjX0AAoAbt

Foto: ATP/Getty Images

“A chave do jogo foi novamente manter a calma, sabendo que perdemos algumas oportunidades no primeiro set, mas que estávamos nos sentindo bem, que precisávamos realmente passar um ponto na frente, o que conseguimos no início do segundo set. E no match tie-break aproveitamos praticamente todas as chances que tivemos e jogando com muita confiança os pontos importantes”, analisou Marcelo, destacando o foco da dupla durante toda a partida.

Na próxima rodada, o time enfrentará a dupla de Novak Djokovic e Fabio Fognini em partida que acontecerá nesta sexta-feira. “Agora temos um jogo atípico pela frente, enfrentando o Djokovic e o Fognini, que estão jogando muito bem. Então precisamos estar bem preparados. Temos um dia para continuar a preparação, para ir em busca dessa final. O Lukasz também está muito contente com nosso desempenho. Estamos conseguindo controlar bem o jogo e passando rodada por rodada, passo a passo. Vamos com tudo na semifinal sexta-feira”, completou o mineiro, prevendo uma dura partida contra um time imprevisível.

É apenas o terceiro torneio que Melo e Kubot disputam no ano, já atingindo as semifinais. Em Indian Wells, é a segunda semifinal da dupla no Masters 1000 norte-americano, sendo vice-campeões em 2017, quando caíram para Raven Klaasen e Rajeev Ram no match tie-break.

Melo e Kubot vão às quartas em Indian Wells

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram mais uma em Indian Wells. Disputando o primeiro Masters 1000 do ano, o mineiro e o polonês superaram a dupla do norte-americano Taylor Fritz e do australiano Nick Kyrgios em dois sets a um, com parciais de 6/4, 1/6 e 10-8.

Untitled 1

Foto: Clive Brunskill/Getty Images Europe

Bem em seus primeiros serviços, Melo e Kubot levaram o primeiro set após quebrarem seus adversários no sétimo game e confirmarem a vantagem posteriormente. Já na segunda parcial, Melo e Kubot confirmaram apenas um game de saque, perdendo cinco seguidos e vendo Fritz e Kyrgios empatarem a partida. O match tie-break foi disputado, com os times trocando quebras durante toda decisão. O mineiro e o polonês souberam manter a calma e conseguiram um mini-break logo no final, saindo de quadra vitoriosos.

“Muito feliz, novamente, com mais uma vitória aqui em Indian Wells. Um jogo duríssimo que caiu para o nosso lado. Muitos detalhes. E o importante foi mantermos a calma, depois de não ter jogado tão bem o segundo set como o primeiro. Saber que estávamos no jogo ainda e começar bem o match tie-break foi muito importante para nós. A chave foi manter a tranquilidade e saber que precisávamos usar toda a nossa experiência e o fato de jogar junto para levar o jogo. Então ficamos muito felizes e agora é preparar para a próxima rodada”, afirmou o mineiro após a vitória.

Na próxima rodada, Melo e Kubot enfrentarão os vencedores da partida entre os irmãos Bryan e a dupla de Dominic Inglot e Franko Skugor, que acontecerá ainda nesta segunda-feira.

Delbonis e Gonzalez defendem o título em São Paulo

Federico Delbonis e Maximo Gonzalez voltaram a levantar o troféu em São Paulo. Atuais campeões, os argentinos superaram os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4, confirmando o bicampeonato no Brasil Open.

33384605278_9b4a9d2e8a_k

Foto: Alexandre Carvalho/DGW Comunicação

Em partida marcada por apenas uma chance de quebra para os britânicos, Delbonis e Gonzalez dominaram na devolução. A única quebra convertida no primeiro set foi o suficiente para os argentinos levarem a parcial. No segundo, os confiantes sul-americanos abriram uma larga vantagem, chegando a ter 5/2. Bambridge e O’Mara converteram sua única chance de quebra quando os argentinos sacaram para a partida, tentando uma sobrevida no jogo, mas Delbonis e Gonzalez voltaram a quebrar mais uma vez, confirmando a vitória e o título.

Gonzalez terminou a gira sul-americana com estilo. O argentino fez final em Córdoba e foi campeão nos torneios de Buenos Aires, Rio de Janeiro e São Paulo, ganhando 15 posições no ranking e figurando na 28ª colocação, o melhor ranking de sua carreira. Já Delbonis conquistou seu terceiro título em São Paulo, adicionando o troféu ao seu de simples em 2014 e o de duplas em 2018.

Bellucci e Rogerinho vão à semi em São Paulo

Os brasileiros Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva continuam a boa fase nas duplas. O time paulista derrotou o salvadorenho Marcelo Arevalo e o norte-americano James Cerretani em dois sets a um, com parciais de 4/6, 6/4 e 10-6, avançando à semi do Brasil Open.

46317710785_b1d342eb24_k

Foto: Marcello Zambrana/DGW Comunicação

Os paulistas tiveram seu saque mais ameaçado no primeiro set, tendo seis break points contras, com um deles sendo convertido pelos seus adversários, que levaram a parcial. No segundo set, a partida ficou mais parelha. Mais confiantes no serviço e com a torcida empurrando, Bellucci e Rogerinho conseguiram empatar o jogo ao quebrar seus adversários no décimo game. Com tudo igual, a partida foi decidida no match tie-break, onde os paulistas abriram um mini-break logo no início, mantendo uma vantagem até o fim.

“É sempre bom jogar com a quadra cheia, o pessoal compareceu e apoiou a gente. Eles não empurraram, e isso nos deu uma motivação extra. Nós estávamos tendo dificuldades na partida e conseguimos reverter. A torcida foi importante na virada, vieram junto com a gente e os adversários sentiram um pouco”, disse Bellucci após a vitória, destacando o apoio da torcida.

Na próxima rodada, Bellucci e Rogerinho enfrentarão os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara, que derrotaram os belgas Gille/Vliegen em sets diretos.

37 momentos de Bruno Soares

  1. Quando ele pediu um desafio muito duvidoso e deixou todo mundo confuso.
  2. Quando ele anunciou que ia ser pai com um desenho do Cebolinha com barriga d’água.
  3. Quando ele fez isso.
  4. Quando a nádega esquerda dele morreu.
  5. Quando ele quis desafiar o desafio.
  6. Quando ele pediu pro Robert Farah tirar a camiseta.
  7. Ou quando ele soltou um QUE HOMEM pro Horia Tecau.
  8. Quando ele converteu um match point sentado.
  9. E esse ponto aqui também sentado, porque é normal para Bruno Soares.
  10. Algo muito costumeiro na vida dele, aliás.
  11. Até quatro vezes.
  12. Quando ele consegue essas bolas ridículas.
  13. Quando ele abre a fábrica de hotdog.
  14. O que acontece muito.
  15. Quando ele apareceu com essa barba.
  16. Quando ele declarou o seu novo cabelo como sua posse mais valiosa.
  17. Quando ele mandou essa por fora da rede.
  18. Quando ele apareceu de bandana e virou o El Bandido.
  19. Quando ele arranjou essa devolução e tirou a Judy Murray da cadeira.
  20. Quando ele deu essa cabeçada na bolinha.
  21. Quando ele ficou muito triste com a bolinha escapando dele.
  22. E ficou triste de novo.
  23. Quando ele ameaçou o Herbert, que era seu próximo adversário, com emoji de faquinha.
  24. Quando ele foi oficialmente batizado como ‘cheeky little devil’.
  25. Quando ele chegou de lancha e terno numa ação da ATP.
  26. E aí recolheu a bola do mar de terno, sendo o boleiro mais chique do mundo.
  27. Quando ele pegou um guarda chuva para ele.
  28. Quando ele ganhou do Jamie no Pie Face
  29. Quando ele ganhou um ponto pelas costas.
  30. Quando ele envelheceu em plena televisão brasileira.
  31. Quando ele fez isso.
  32. Quando ele disse que era tão sensível quanto a grama de Wimbledon.
  33. Quando ele deu esse show no match point.
  34. Quando ele se escondeu de um tufão numa mesa.
  35. Quando ele vence um ponto longo completamente sozinho.
  36. Quando ele se vestiu de Victoria Azarenka.
  37. Quando ele botou uma bela peruca na festa dos jogadores de Monte Carlo.

Demoliner e Nielsen caem na estreia do Brasil Open

Marcelo Demoliner e Frederik Nielsen caíram na estreia do Brasil Open. O gaúcho e o dinamarquês foram derrotados pela dupla cabeça de chave 1 Pablo Cuevas e Horacio Zeballos em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/4, em 1h20. Na próxima rodada, o uruguaio e o argentino enfrentarão os atuais campeões Federico Delbonis e Maximo Gonzalez.

46308155055_900ab14511_k

Foto: Alexandre Carvalho/DGW Comunicação

Em partida definida nos detalhes, com chances de quebra para os dois lados, Cuevas e Zeballos levaram a melhor com um break em cada set. Após a derrota, Demoliner confessou que a parceria ainda está no começo, necessitando de ajustes. “Primeiro a gente tem que entrosar a nossa dupla. Sabemos que podemos ganhar de qualquer um. Ganhamos do Cuevas e do Marc López na semana passada e sabemos do nosso potencial. Temos jogado bem em alguns jogos, e em outros a gente tem que melhorar um pouco e manter um pouco a constância da dupla para ter resultados mais sólidos,” disse o gaúcho.

A dupla agora deve seguir para o Challenger de Phoenix, no Arizona, que terá início no dia 11 de março. Demoliner também solicitou um convite no Masters 1000 de Miami, nos Estados Unidos, que tem o patrocínio do banco brasileiro Itaú.

Bellucci e Rogerinho ficam com o vice do Rio Open

Maximo Gonzalez e Nicolas Jarry saíram campeões do Rio Open. Neste sábado, o argentino e o chileno venceram os brasileiros Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva em dois sets a um, com parciais de 6/7(3), 6/3 e 10/7, e conquistaram o título de duplas do maior torneio de tênis da América do Sul.

355626_861306_46277818845_87a65ff93d_k

Foto: Fotojump/Rio Open

No caminho para o título, Gonzalez e Jarry eliminaram os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, cabeças de chave 2 e campeões das edições de 2014 e 2016. Foi o primeiro título do time, com Gonzalez conquistando seu sexto troféu nas duplas e Jarry o segundo. “Não é fácil jogar com a torcida contra, mas conseguimos nos manter concentrados para buscar a vitória”, disse o chileno, que vem jogando com Gonzalez há um ano. “Estamos muito felizes com a conquista, e espero continuarmos jogando juntos. Vencemos um ATP 500, o próximo pode ser um Masters 1000 e quem sabe um Grand Slam”, brincou Gonzalez.

Os brasileiros lamentaram a derrota em casa, que contou com a Quadra Guga Kuerten lotada para a grande decisão. “Foi frustrante perder em casa, com toda a torcida nos apoiando, mas a derrota não pode apagar a boa semana que tivemos aqui. Não jogamos tão bem como nas outras partidas e sentimos um pouco a pressão pela ansiedade de buscar a vitória em casa”, disse Bellucci. Os brasileiros ganharam convite da organização e eliminaram na semifinal os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares, dupla cabeça-de-chave 1 do torneio.

Foi a segunda vez que o Brasil teve representantes na final do torneio. Marcelo Melo e o espanhol David Marrero foram vice-campeões em 2014, caindo para Cabal e Farah.

Mineiros param nas quartas de final do Rio Open

A dupla Marcelo Melo e Bruno Soares, cabeça de chave número 1, parou nas quartas de final do Rio Open. Nesta quinta-feira, os mineiros Melo e Soares não passaram pelos paulistas Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva, que marcaram 2 sets a 1, com parciais de 6/2, 6/7(8) e 10-5, para avançar no torneio.

355465_860865_32229934687_b4ee73edec_o

Foto: Rio Open/Fotojump

A quadra central do Rio Open recebeu um grande público para acompanhar o jogo entre as duplas brasileiras. Melo e Soares viram Bellucci e Rogerinho iniciarem a partida já com uma quebra, abrindo na sequência 2/0. Com um novo break, no sétimo game, fizeram 5/2 e confirmaram o saque para fechar em 6/2.

Os mineiros foram em busca da reação. O segundo set teve bem mais equilíbrio e a decisão foi para o tie-break, com momentos de muita disputa e emoção, que levantaram a torcida. Bellucci e Rogerinho começaram dominando, Melo e Soares reagiram, salvaram dois match points, e marcaram 8-6 para vencer a segunda série e levar o jogo para o match tie-break. Lá, Bellucci e Rogerinho chegaram a abrir 8/1. Melo e Soares tentaram reagir, chegaram a diminuir para 8/5, mas a vitória foi mesmo dos adversários, que fecharam em 10-5 para chegar à semifinal no Rio.

“Acho que eles jogaram realmente muito bem. Eu e o Bruno fizemos uma partida muito melhor do que na primeira rodada e, o Thomaz, um dos melhores jogos de duplas que já o vi fazendo. Rogerinho também jogou muito bem, muito solto. E quando jogam dessa maneira são realmente muito perigosos nessas condições. Fizemos o nosso melhor de hoje, infelizmente não foi suficiente”, explicou Marcelo.

“O Rio Open é um torneio muito especial para mim e para o Bruno. Acho que foi o jogo mais lotado que teve até agora. Isso mostra a força que a dupla tem. Pudemos proporcionar um jogo muito legal para os brasileiros, num nível multo alto e isso traz muita satisfação. Por mais que a gente tenha perdido, fico feliz de ter jogado muito bem na frente do pessoal aqui que tanto gosta de ver eu e o Bruno juntos”, completou.

Agora, Melo e Soares seguem para o México, onde disputarão o ATP 500 de Acapulco com seus parceiros de circuito, Jamie Murray e Lukasz Kubot.