35 momentos de Marcelo Melo

  1. Quando ele não aguentava mais escutar ‘Ricardo Mello’
  2. Ou quando ele virou ator global
  3. Ou até mesmo quando ele virou eco. Marcelo celo elo elo elo…
    View this post on Instagram

    Acapulco 2015 !!

    A post shared by Marcelo Melo (@marcelomelo83) on

  4. E aquela vez que ele virou outro animal
    CG_12dCUcAAo6P2
  5. Quando a bolinha foi embolsada
    bola
  6. Quando ele tentou ganhar o coração de André Sá e foi rejeitado
  7. Quando a Billie Jean King flagrou ele dormindo
  8. Quando ele mostrou que é o Elton John nacional
  9. Quando ele faz pontos incríveis de um modo casual
  10. Quando ele dá uma daquelas entre as pernas
  11. Uma coisa que acontece sempre
  12. Sempre MESMO
  13. Tipo, MUITO
    copadavis
  14. Praticamente o rei disso
    rg16
  15. Quando ele deu uma capotada básica em Auckland
  16. Quando ele precisou abaixar no discurso
  17. Quando um gato quase perdeu uma das sete vidas num smash dele
  18. Quando a coberturinha era muito baixa pra ele
  19. Quando ele e o Kyrgios pagaram flexão no meio da partida
  20. Quando a ATP pediu pra ele cantar uma música de Natal em inglês
  21. Quando ele mostrou todo o gingado
  22. Quando ele perdeu pro Sascha no jogo da torta na cara
  23. Quando ele tomou um saque do Kubot na cabeça e precisou de um saquinho de gelo
  24. Quando ele se empolga na Copa Davis
  25. Quando ele desejou um feliz dia das mães pra Dona Roxane ♥
  26. Quando ele foi zoado pelo amigo em plena premiação
  27. Quando ele foi definido como ‘girafa com mãos de polvo’
    ezgif-4223956446
  28. Quando ele precisa colocar um monte de toalha pra sentar, já que os bancos são muito pequenos para ele
  29. Quando ele descobriu que não sabia pronunciar ‘Aegon’
  30. Quando ele ficou fora do enquadramento da câmera por ser alto demais
    Untitled 2
  31. Quando ele foi visitar as amigas girafas no zoológico
  32. Quando ele comemora com seu irmão
  33. Quando ele não fazia a menor ideia do que era Spice Girls
  34. Mas os melhores momentos foram quando ele ganhou Roland Garros…
    rg18
  35. …e realizou o sonho de ganhar Wimbledon! Você merece, Marcelo. 🙂
Anúncios

Melo e Kubot ficam com o vice no US Open: “Muito orgulhoso por ter chegado em mais uma final de Slam”

Em dia inspirado, Mike Bryan e Jack Sock brilharam na final do US Open. Enfrentando o brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot, os norte-americanos saíram com o título em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/1. Este foi o segundo título de Grand Slam seguido da dupla, que também foi campeã em Wimbledon.

Mike+Bryan+2018+US+Open+Day+12+2ODQM92jsSax

Foto: Al Bello/Getty Images North America

O primeiro set foi parelho, com chances de quebra para os dois lados. Mike e Sock saíram na frente no longo oitavo game, que contou com 16 pontos até os norte-americanos conseguirem a quebra, que foi o suficiente para a dupla levar a parcial. No segundo, o domínio de Bryan e Sock foi evidente. A dupla abusou da potência dos golpes e de suas devoluções, abrindo 4/0 rapidamente e tendo mais uma quebra pouco tempo depois para fechar a partida.

“Um grande momento para nós, por ter chegado a mais uma final de Grand Slam. Muito orgulhoso por estar aqui, disputar esta final. Eles foram muito bem hoje para ficar com o título”, disse Melo após a partida. A excelente campanha no US Open garantiu o mineiro e o polonês de volta ao top 10 no ranking individual, com Kubot subindo para a quinta posição, enquanto Melo é o sexto. Já no ranking de times, a dupla ganhou uma posição, adicionando 1200 pontos e aparecendo em oitavo.

A conquista coloca Mike Bryan como o maior vencedor de Grand Slams nas duplas masculinas da história, ultrapassando os 17 títulos de John Newcombe. Além deste recorde, Bryan/Sock é a primeira dupla desde Mike e seu irmão Bob em 2013 a conquistar Grand Slams seguidos. O título também garantiu Mike Bryan como número 1 do mundo, com larga vantagem para Sock, que assumiu a segunda colocação.

Melo e Kubot derrotam algozes de Soares e vão à final; mineiro busca o terceiro Slam

Marcelo Melo e Lukasz Kubot continuam a brilhar em Nova Iorque. A dupla cabeça de chave 7 venceu o moldavo Radu Albot e o tunisiano Malek Jaziri em dois sets a um, com parciais de 7/6, 3/6 e 6/3, se garantindo na grande final do US Open. A decisão, que acontecerá nesta sexta-feira, às 13h, será contra os norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock, atuais campeões de Wimbledon.

20180906 Lukasz Kubot and Marcelo Melo v Radu Albot and Malek Jaziri - Day 11

Foto: USTA/Pete Staples

Em partida tensa e equilibrada, Melo e Kubot souberam manter a calma nos momentos decisivos. O primeiro set foi parelho, com ambos os times tendo chances de quebra, mas não convertendo. Foi, então, decidido no tie-break, onde Melo e Kubot abriram 5-1 e mantiveram a vantagem até o fim. Na segunda parcial, Albot e Jaziri vieram com seu tênis rápido e técnico, quebrando cedo e abrindo 4/1. Apesar de Melo e Kubot terem devolvido a diferença mais tarde, no sétimo game, o moldavo e o tunisiano voltaram a ficar na frente logo no game seguinte, ganhando o set e empatando a partida.

O terceiro set viu Melo e Kubot dominantes, confirmando todos os seus saques sem dar chances para os seus adversários. A quebra a favor veio no quarto game, com a dupla abrindo vantagem e segurando-a até o fim, garantindo vaga na final. “Estou muito feliz de chegar a esta final pela primeira vez aqui no US Open. Jogamos muito bem hoje. Agora é comemorar esta vitória e tranquilizar, para ir com força total amanhã em busca desse título. Mais uma vez quero agradecer o apoio dos brasileiros, torcendo por nós”, comemorou Marcelo.

Melo, que foi campeão em Roland Garros (2015) e Wimbledon (2017), busca seu terceiro título de Grand Slam na quarta decisão em que disputa. Na final, ele e Kubot enfrentarão os norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock, que estão com onze vitórias consecutivas em Slams. Mike busca o recorde de maior vencedor de Grand Slams da história das duplas masculinas. Atualmente, Bryan está empatado com John Newcombe em 17 conquistas.

Alternates continuam surpreendente campanha e eliminam Murray/Soares

O moldavo Radu Albot e o tunisiano Malek Jaziri continuam surpreendendo em Nova Iorque. A dupla, que disputa apenas seu segundo torneio juntos, se garantiu na semifinal após derrotar Bruno Soares e Jamie Murray em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/4. Os próximos adversários do time serão o brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot.

Radu+Albot+2018+US+Open+Day+10+ZvrazLVBSXAx

Malek Jaziri e Radu Albot (Foto: Julian Finney/Getty Images North America)

Albot e Jaziri entraram na chave de alternates após a desistência dos espanhois Pablo Carreño Busta e Guillermo Garcia-Lopez. A dupla havia disputado apenas um torneio juntos, em Wimbledon neste ano, caindo na primeira rodada. No US Open, além de Murray e Soares, o moldavo e o tunisiano também foram os responsáveis pela eliminação dos atuais campeões Rojer/Tecau, e dos times de irmãos Harrison/Harrison e Skupski/Skupski.

Soares reconhece que não foi a melhor apresentação da dupla. “Foi um jogo bem frustrante. Não conseguimos jogar o nosso melhor. Eu, principalmente, estava com bastante dificuldade. O sol estava brilhando muito na quadra. Depois, não consegui encontrar o meu jogo. Jogamos abaixo do que a gente vem jogando. O Jamie teve melhores momentos do que eu, mas faz parte. A gente é uma dupla que tem pouquíssimas recaídas, mas hoje aconteceu”, analisou o mineiro.

Bruno, porém, está feliz com a campanha no verão americano, no qual saíram com dois títulos (ATP 500 de Washington e Masters 1000 de Cincinnati). “Não tiro o mérito dos adversários também e a qualidade do verão que a gente teve, com dois títulos e as quartas aqui”, finalizou. Agora, Bruno e Murray descansam antes de retornarem no ATP 500 de Tóquio, no início de Outubro.

Melo e Kubot vencem mais uma e podem enfrentar Murray/Soares na semi

Marcelo Melo e Lukasz Kubot conquistaram mais uma vitória no US Open, se classificando para semifinal do último Grand Slam da temporada. Cabeças de chave 7, o mineiro e o polonês derrotaram a dupla dos norte-americanos Austin Krajicek e Tennys Sandgren em sets diretos, com parciais de 6/4 e 6/2.

Marcelo+Melo+2018+Open+Day+6+1y613k0KxMBx

Foto: Sarah Stier/Getty Images North America

Melo e Kubot foram clínicos. Confiantes e se adaptando às mudanças do jogo, a dupla soube manter a calma em uma partida marcada por muitas quebras de saque. O primeiro set contou com cinco quebras seguidas, com Melo e Kubot saindo com a melhor e levando a parcial. No segundo, outras quatro quebras aconteceram logo no início, com o mineiro e polonês abrindo 5/1 e fechando a partida poucos games depois.

“Foi um bom jogo. Conseguimos colocar em prática o plano que tínhamos pensado. Estamos melhorando a cada partida e estou muito feliz por chegar à semifinal. Agora é aproveitar o dia de descanso e pensar na recuperação física. Agradeço a torcida dos brasileiros que nos apoiaram”, disse Marcelo após a vitória. O brasileiro iguala seu melhor resultado em Nova Iorque, já tendo feito semifinal em outras duas oportunidades. Somando todos os Grand Slams, Melo já atingiu a semi em oito vezes, buscando disputar uma final pela quarta vez.

Mas para chegar na final, Melo e Kubot poderão ter a dupla de Bruno Soares e Jamie Murray pela frente. O mineiro e o britânico enfrentarão Radu Albot e Malek Jaziri nesta quarta-feira, às 12h, por uma vaga na semi.

Soares e Murray continuam a boa fase e se garantem nas quartas

Campeões no ATP 500 de Washington e do Masters 1000 de Cincinnati, Bruno Soares e Jamie Murray continuam a boa fase nas quadras duras dos Estados Unidos com mais uma vitória no US Open. Nesta segunda, a dupla derrotou os holandeses Robin Haase e Matwe Middelkoop em 7/6 e 6/4, avançando para as quartas de final.


Bruno+Soares+2018+Open+Day+4+qsfFbHDNupPx

Foto: Sarah Stier/Getty Images North America

Em uma partida equilibrada, decidida nos detalhes, Bruno reconhece a boa fase. “Foi mais um belo jogo que fizemos. Foi duríssimo e bem no detalhe, com um ponto para cá e outro para lá que poderia ter mudado tudo. Jogamos super firmes e estou muito feliz com esse resultado e com mais umas quartas no US Open”, disse o mineiro após a vitória. Soares e Murray, campeões do US Open em 2016, buscam repetir o resultado, mas sabem que terão muitos desafios pela frente.

Na próxima rodada, o mineiro e o britânico enfrentarão o tunisiano Malek Jaziri e o moldavo Radu Albot, os responsáveis pela eliminação de Rojer/Tecau, os atuais campeões do torneio, na segunda rodada. Bruno sabe dos perigos dos inesperados adversários e prega cautela: “Estamos jogando super bem, muito embalados, mas uma dupla que está nas quartas de um Grand Slam está fazendo algo direito. Todo cuidado é pouco. Estamos atentos e temos que continuar no nossos ritmo, jogando bem o nosso saque para tentar avançar ainda mais”, finalizou o brasileiro.

Melo e Kubot passam por franceses e vão às quartas: “Foi a nossa principal vitória do ano”

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram mais uma no US Open. Em partida disputada, o brasileiro e o polonês eliminaram a perigosa dupla dos franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut em 7/5, 2/6 e 6/3, com 2h12 de duração. Classificados para as quartas de final do último Grand Slam do ano, Melo e Kubot enfrentarão os norte-americanos Austin Krajicek e Tennys Sandgren.

Marcelo+Melo+2018+Open+Day+6+rJu-JYRXD5Vx

Foto: Sarah Stier/Getty Images North America

Em mais uma partida marcada pela confiança de Melo e Kubot, o mineiro e polonês souberam lidar com as adversidades, não deixando se abalar pela também ótima partida dos franceses. No primeiro set, Marcelo e Kubot conseguiram aproveitar uma das cinco chances de quebra disponíveis durante a parcial justamente no último game, fechando em 7/5. O segundo set começou com Herbert e Mahut quebrando logo no primeiro game. Melo e Kubot tiveram chances de devolver a diferença, mas os franceses permaneceram firmes, conseguindo mais uma quebra no sétimo game e confirmando o empate no game seguinte.

Com tudo igual, os times foram com tudo para o terceiro set. A única quebra da parcial aconteceu a favor de Marcelo e Kubot, abrindo 4//1. A dupla precisou de quatro match points no game mais longo da partida, com 16 pontos disputados, para fechar o jogo e se garantir nas quartas do US Open. “Foi um jogo emocionante. Nossa principal vitória do ano. Os treinos e a dedicação são importantes para viver momentos como o de hoje”, comemorou o mineiro.

A vitória contra os atuais campeões de Roland Garros foi a terceira da dupla no torneio, marcando a melhor sequência de resultados de Melo e Kubot desde o título no ATP 500 de Halle, em junho. O time iguala o melhor resultado em Grand Slams do ano, quando também atingiram as quartas no Australian Open.

Duplas de Melo e Soares vão às oitavas; Demoliner/Gonzalez se despedem

O Brasil continua com a sua campanha no US Open. As duplas dos mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo seguem firme para as oitavas, enquanto Marcelo Demoliner e Santiago Gonzalez deram adeus.

Marcelo+Melo+2018+Open+Day+6+idtPLCz-mRmx

Marcelo Melo e Lukasz Kubot se classificaram para as oitavas do US Open (Foto: Sarah Stier/Getty Images North America)

O dia começou com a derrota de Demoliner e Gonzalez, que foram superados pelos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/6. Eternos algozes de brasileiros, Cabal e Farah não fizeram diferente neste sábado, dando poucas oportunidades para os seus adversários e aproveitando as chances disponíveis.

No primeiro set, os colombianos conseguiram uma quebra no terceiro game, segurando-a até o fim. Demoliner e Gonzalez tiveram chances de quebra no game final, mas Cabal e Farah confirmaram a vitória da parcial no quinto set point disponível. Já no segundo set, ambos os times confirmaram seus serviços sem oferecer chances de quebra e a parcial foi decidida no tie-break. Lá, duas quebras foram trocadas até os colombianos ganharem quatro pontos seguidos no fim, garantindo a dupla nas oitavas.

Depois foi a vez de Bruno Soares e Jamie Murray entrarem em quadra. A dupla do mineiro e do britânico eliminou Marcus Daniell e Wesley Koolhof em 6/3 e 6/4, com 1h12 de jogo. Após um primeiro set impecável, perdendo apenas cinco pontos no serviço e a quebra conseguida no segundo game sendo o suficiente para sair na frente, Soares e Murray encontraram um pouco mais resistência de seus adversários na parcial seguinte.

Daniell e Koolhof tiveram três break points no saque de Soares no segundo game, mas não conseguiram converter. E foi logo no game seguinte que o mineiro e o britânico quebraram seus adversários, não dando mais chances e fechando a partida após confirmarem seus serviços. “Foi mais uma partida consistente. Ganhamos em dois sets, sem perder o saque e estamos felizes com o nosso desempenho aqui. O calor melhorou bem e está muito bom pra jogar. Temos que manter esse ritmo”, disse Bruno após a vitória. Nas oitavas, a dupla enfrentará os holandeses Robin Haase e Matwe Middelkoop, cabeças de chave 14.

Marcelo Melo e Lukasz Kubot encerraram a rodada brasileira. Em 1h36 de partida, Melo e Kubot superaram a dupla do Divij Sharan e Artem Sitak em 6/3, 3/6 e 6/3, indo para as oitavas do US Open. Este é o melhor resultado de Melo em Nova Iorque desde 2014, quando atingiu as semifinais do último Grand Slam do ano. Na próxima rodada, a dupla enfrentará os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, os campeões da edição de 2015 do US Open e cabeças de chave 9.

O mineiro e o polonês começaram bem na partida, mantendo a calma e aproveitando uma das chances de quebra disponíveis no sexto game, fechando a parcial poucos games depois. Sharan e Sitak entraram no segundo set com uma intensidade maior, quebrando seus adversários, abrindo 4/1 e mantendo a diferença até o fim. No terceiro e decisivo set, Melo e Kubot retomaram a intensidade da parcial inicial, quebrando Sharan e Sitak de zero e rapidamente abrindo 3/0, o suficiente para sustentarem a diferença até o fim.

“Hoje conseguimos jogar muito bem na maior parte do jogo. Tivemos um pouquinho de queda de rendimento no segundo set, quando acabamos dando uma quebra para eles. Mas depois recuperamos e mantivemos firme até o fim”, resumiu Melo. “Uma importante vitória e agora é tirar tudo de bom que fizemos nesse jogo, melhorar o que não fizemos de tão bom, para a próxima rodada contra os franceses, um jogo muito duro, uma dupla que joga muito bem e que está junto há muito tempo. Temos de estar bem afiados e prontos, com muita confiança para poder, quem sabe, passar mais uma rodada para frente”, completou.

Brasileiros estreiam com vitória no US Open

O Brasil iniciou a campanha no US Open de forma vitoriosa. Tendo representantes brasileiros apenas nas duplas, os times de Bruno Soares, Marcelo Melo e Marcelo Demoliner venceram na estreia do Grand Slam nova iorquino, avançando para a segunda rodada.

Dl469n9VAAEzgwm

Jamie Murray e Bruno Soares em ação (Foto: Getty Images)

A campanha brasileira começou com Demoliner, que entrou em quadra na última quarta-feira. Ao lado do mexicano Santiago Gonzalez, o gaúcho venceu os franceses Hugo Nys e Benoit Paire em partida apertada e decidida nos detalhes, com parciais de 7/5 e 7/6. Na segunda rodada, a dupla terá a difícil missão de superar os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Já nesta quinta-feira, foi a vez de Bruno Soares e Jamie Murray, que derrotaram a dupla formada pelo argentino Guido Pella e o espanhol Alberta Ramos-Viñolas em sets diretos, com parciais de 6/2 e 6/3, em pouco mais de uma hora. “Foi uma estreia muito boa. Jogamos super bem, mantendo o ritmo de Toronto, Washington e Cincinnati, com muita determinação. Estou muito feliz”, resumiu Soares, satisfeito com a apresentação.

A partida contou com muitos brasileiros presentes, e Bruno fez questão de agradecer o apoio dos compatriotas. “A torcida brasileira, como sempre, apareceu e fez barulho. É muito bacana o clima aqui. Sei que não está fácil acompanhar os jogos direto nesse calor, mas o público compareceu e é sempre muito bom jogar com a casa cheia”, completou o mineiro. Agora, na próxima rodada, Soares e Murray enfrentam a habilidosa dupla do neozelandês Marcus Daniell e o holandês Wesley Koolhof.

Encerrando a primeiro rodada para os brasileiros, Marcelo Melo e Lukasz Kubot contaram com a desistência de Vasek Pospisil e Fernando Verdasco da chave de duplas. O mexicano Hans Hach Verdugo e o sueco Andreas Siljestrom entraram como alternates no lugar e foram superados por Melo e Kubot em 6/3 e 7/6. Na segunda rodada, o mineiro e o polonês enfrentarão Sharan/Sitak.

Guia das duplas – US Open 2018

rojer-tecau-us-open-2017-final

Foto: Getty Images

Os campeões
Jean-Julien Rojer e Horia Tecau são os atuais campeões do US Open. Assim como no ano passado, o time venceu o ATP 250 de Winston-Salem antes de ir para Nova Iorque, tendo um bom ritmo de jogo e aumentando a confiança da dupla para a defesa do título. Ritmo mais do que necessário para Tecau, que ficou fora do circuito por quatro meses após uma lesão no pé direito, tendo retornado à competição no Masters 1000 de Toronto.

Donos de dois títulos de Grand Slam, Rojer e Tecau precisarão suar para conquistar o terceiro. O holandês e o romeno poderão encontrar os cabeças de chave 10 Marc Lopez e Feliciano Lopez logo nas oitavas, dupla que foi sua adversária na final do ano passado. Nas quartas, mais pedreira pela frente, com Bruno Soares e Jamie Murray, cabeças 4 e invictos nos torneio americanos da US Open Series desta temporada, sendo seus possíveis adversários.

Projeção:
R1: Arends/Sancic
R2: Carreno Busta/Garcia-Lopez ou Skupski/Skupski
Oitavas: [10]Lopez/Lopez
Quartas: [4]Murray/Soares, [14]Haase/Middelkoop
Semi: [1]Marach/Pavic, [7]Kubot/Melo, [9]Herbert/Mahut, [13]Peralta/Zeballos

Os brasileiros
[4]Bruno Soares e Jamie Murray
Soares e Murray estão em grande fase. A dupla se deu bem na preparação para o US Open, sendo campeões do ATP 500 de Washington e do Masters 1000 de Cincinnati antes de pousarem em Nova Iorque. No último Grand Slam do ano, o mineiro e o britânico terão uma segunda rodada complicada, com Mirnyi/Oswald ou Daniell/Koolhof pela frente. Os primeiros cabeças de chave em seu caminho são os holandeses Robin Haase e Matwe Middelkoop, que já conquistaram três títulos neste ano, com dois deles sendo em quadra dura. Nas quartas, podem enfrentar os atuais campeões Rojer/Tecau ou os vices Lopez/Lopez, com mais três duplas campeãs de slam sendo os possíveis adversários de semi.

Projeção:
R1: Pella/Ramos-Vinolas
R2: Daniell/Koolhof ou Mirnyi/Oswald
Oitavas: [14]Haase/Middelkoop
Quartas: [6]Rojer/Tecau, [10]Lopez/Lopez
Semi: [1]Marach/Pavic, [7]Kubot/Melo, [9]Herbert/Mahut, [13]Peralta/Zeballos

[7]Marcelo Melo e Lukasz Kubot
Melo e Kubot não tiveram bons resultados na preparação, caindo na estreia em três dos quatro torneios que disputaram na chuvosa gira pré-US Open. Os jogos, porém, foram bons, com três das quatro derrotas acontecendo no match tie-break. Com aquele fator decisivo característico da dupla faltando, Melo e Kubot vão em Nova Iorque em busca da redenção. Além da busca pela confiança, Melo também luta por resultados melhores no US Open. Nos últimos três anos, o mineiro não passou da segunda rodada, tendo feito duas semifinais anteriormente.

A dupla definitivamente não terá vida fácil no torneio, mas poderá ganhar a confiança necessária logo no começo, já que enfrentam o perigoso time formado por Vasek Pospisil e Fernando Verdasco na estreia. Nas oitavas, podem enfrentar os franceses Herbert/Mahut, que não tiveram resultados expressivos após o título em Roland Garros, mas que sempre devem ser considerados candidatos ao campeonato. As quartas podem contar com Marach/Pavic, que lideram a corrida pra Londres, ainda tendo Murray/Soares e Rojer/Tecau entre os times mais perigosos na possível semi.

Projeção:
R1: Pospisil/Verdasco
R2: Sharan/Sitak ou Redlicki/Zhu
Oitavas: [9]Herbert/Mahut
Quartas: [1]Marach/Pavic, [13]Peralta/Zeballos
Semi: [4]Murray/Soares, [6]Rojer/Tecau, [10]Lopez/Lopez, [14]Haase/Middelkoop

Marcelo Demoliner e Santiago Gonzalez
Após um mês disputando o WTT, onde foi campeão com os Springfield Lasers, Demoliner voltou ao circuito regular da ATP. O gaúcho e Gonzalez jogaram apenas o ATP 250 Winston-Salem na sua preparação para o US Open, vencendo Kubot/Melo na estreia e caindo na rodada seguinte para Qureshi/Sitak. Em Nova Iorque, Demo e Gonzalez terão os franceses Nys/Paire na estreia, podendo enfrentar os colombianos Cabal/Farah logo na segunda rodada, dupla que vem embalada da final no Masters 1000 de Cincinnati. O time será constantemente desafiado, mas sabe que pode bater de frente e incomodar os grandes nomes do circuito.

Projeção:
R1: Nys/Paire
R2: [5]Cabal/Farah ou Rublev/Shapovalov
Oitavas: [11]Dodig/Granollers
Quartas: [2]Kontinen/Peers, [15]Bopanna/Roger-Vasselin
Semi: [3]Bryan/Sock, [8]Klaasen/Venus, [12]McLachlan/Struff, [16]Inglot/Skugor

As ausências
Alexander Peya é a novidade na lista de ausências. O austríaco sofreu rompimento de ligamento e tendão no cotovelo direito enquanto disputava o Masters 1000 de Cincinnati e precisará ficar fora do circuito. Ele optou por um tratamento mais conservador, que o deixará fora de ação por pelo menos dois meses, na mais otimista das previsões, com o tenista conseguindo voltar a tempo de disputar o ATP Finals com Mektic. Peya, que teve um 2018 fantástico ao lado do parceiro croata, não sabe se precisará passar por uma intervenção cirúrgica. Caso aconteça, ficará fora por cerca de seis meses, custando o fim desta temporada e o início da próxima.

Bob Bryan, dono de cinco títulos do US Open, segue se recuperando de uma cirurgia no lado direito do quadril, sendo o primeiro US Open que o americano não disputa desde 1995. Seu irmão Mike jogará ao lado de Jack Sock mais uma vez, com quem conquistou o título em Wimbledon no mês passado. Bob espera se recuperar totalmente em 6 meses.

bob-bryan-hip-2018

O novo quadril de Bob Bryan, que passou por uma artroplastia parcial na cabeça de seu fêmur direito

Quem também operou o quadril é Nenad Zimonjic. O sérvio passou por uma artroplastia total nos dois lados de seu quadril dois meses atrás e já aparece treinando levemente, focado no seu retorno às quadras.

Bola fora
Mais um ano se passou e o US Open continua pisando na bola com as duplas. No mesmo dia em que o torneio celebrou o “dia das duplas”, no qual crianças puderam ter um contato maior com o jogo e com os maiores duplistas da atualidade, o US Open mandou um comunicado para os tenistas avisando que “os jogadores que terão os jogos começando na quarta-feira”, também conhecido como duplistas, precisarão se adaptar às falhas do torneio nos dois primeiros dias. Os duplistas não poderão marcar seus treinos entre 9h e 14h, além de terem transporte negado das 6h45 às 13h. O torneio orienta que os tais “tenistas que começarão a jogar na quarta” utilizem o transporte público da cidade ou peguem um táxi. Pagar para tentar treinar em um Grand Slam, que tal?

O problema do transporte para os duplistas é recorrente, com o torneio recebendo muitas reclamações em todos os anos e nunca procurando resolvê-lo para que todos os tenistas disputando o US Open possam receber um tratamento igualitário. Para um Grand Slam que se orgulha em divulgar todo santo ano uma premiação exorbitante em simples, com o campeão de 2018 levando 3,8 milhões de dólares, é de se imaginar o porquê de não investirem em um sistema mais eficiente para todos. É muito legal a divulgação das duplas antes do torneio começar, mas quando o bicho pega, sempre fica mais cômodo excluir os duplistas. É pra se pensar, ainda mais vindo de um país em que os maiores títulos na ATP nos últimos 15 anos continuam acontecendo na chave de duplas.

Pela última vez
Daniel Nestor disputa seu último Grand Slam da carreira, restando apenas a Copa Davis em setembro para o veterano finalmente pendurar a raquete. O canadense, campeão do US Open em 2004, está na chave com o americano Bradley Klahn, enfrentando os irmãos Harrison na estreia. Sem parceiro fixo na temporada, Nestor caiu na primeira rodada em 13 dos 19 torneios que disputou em 2018. Já em ritmo de despedida, a lenda de 45 anos deixará saudades no coração dos amantes de duplas.

Os melhores jogos de primeira rodada

  • [5]Cabal/Farah x Rublev/Shapovalov
  • [7]Kubot/Melo x Pospisil/Verdasco
  • [15]Bopanna/Roger-Vasselin x Baghdatis/Zverev
  • [16]Inglot/Skugor x Lindstedt/Ram
  • Daniell/Koolhof x Mirnyi/Oswald
  • Carreno Busta/Garcia-Lopez x Skupski/Skupski
  • Cerretani/Paes x Chardy/Martin

Onde assistir
Não faltam opções para o fã de tênis poder acompanhar cada ponto disputado no US Open. O Sportv3 é o canal de escolha da Globosat, enquanto a ESPN estará transmitindo pelos canais ESPN e ESPN+, além da plataforma WatchESPN, que transmite todas as quadras através do site ou do aplicativo. Confira a programação do dia, a chave de duplas completa e torça muito pelo seu time favorito!