Sobre Valência, Basileia e o Finals

Notícias rapidinhas da semana e as probabilidades do Finals

Valência e a lenda do bonde que não para

Bruno Soares e Alexander Peya precisaram apenas de um torneio para que o bonde austro-brasileiro voltasse a funcionar. Após a queda na segunda rodada do torneio de Viena, consolidaram-se campeões de Valência. Na décima final de Soares e 5º título da parceria no ano, Bruno e Alex conseguiram finalmente derrotar os irmãos Bryan.

Após quatro derrotas para os irmãos este ano, sendo duas nas finais de Madrid e Queen’s, Peya e Soares triunfaram em uma partida muito disputada e que foi decidida a favor de quem melhor aproveitou os breaks. Salvaram quatro match points, buscando o caneco e defendendo o título de Valência. No caminho para a final, derrotaram os convidados Andujar/Garcia-Lopez, os bons sacadores Isner/Lopez e um dos candidatos para classificar para o Finals Murray/Peers.

Outra alegria que veio de Valência foi a belíssima campanha de André Sá, que jogou ao lado de Tommy Haas. Chegaram na semifinal, sendo derrotados pelos vice-campeões Bob e Mike Bryan.

foto_2710181839112

Basileia e um pouco de esperança

Os principais favoritos do torneio não sobreviveram e nem foram muito longe. Mas Huey/Inglot, que pareciam estar distantes de uma vaga no Finals, podem voltar a ter um pouco de esperança. Após eliminarem os cabeças de chave 2 Qureshi/Rojer na primeira rodada, Huey/Inglot não perderam sets até a final, que foi decidida contra os austríacos Julian Knowle e Oliver Marach. Com essa vitória, ‘BombThreat’, como é conhecida a dupla, move para a 11ª colocação no ranking da corrida para o Finals.

Três vagas restam no Finals

São três, mas tecnicamente apenas uma será disputada no torneio de Paris. Com Marrero/Verdasco e Qureshi/Rojer praticamente confirmados, a última vaga deve ser disputada entre Fyrstenberg/Matkowski, Mirnyi/Tecau e Murray/Peers.

Com 350 pontos na frente de Mirnyi/Tecau, o Polish Power precisa de uma série de resultados muito ruins para não classificar, que são:

1) Perder na primeira rodada e Mirnyi/Tecau atingir a semi

2) Perder na primeira rodada e Murray/Peers fazer final

3) Perder na primeira rodada e Huey/Inglot, Benneteau/Zimonjic, Gonzalez/Lipsky ou Bopanna/Roger-Vasselin ganhar o torneio.

O sorteio não foi muito favorável para os outros pretendentes à última vaga. Murray/Peers e Gonzalez/Lipsky se enfrentam na primeira rodada, enquanto Mirnyi/Tecau estreiam contra Kubot/Lindstedt e, se passarem, pegam os cabeças de chave 8 Marrero/Verdasco.

Vale lembrar que os poloneses podem enfrentar os irmãos Bryan na segunda rodada de Paris. Se chegarem na segunda rodada, Mirnyi/Tecau precisariam fazer final, tornando quase impossível a classificação de qualquer outra dupla.

Anúncios

5 comentários sobre “Sobre Valência, Basileia e o Finals

  1. Só falta uma vaga, que pode sair hoje nas quartas, mas podendo a decisão ficar até para a final.
    Horia/Mirnyi se classifcam se chegarem à final.
    Gonzalez Lipsky, se forem campeões.
    Bopanna/Vasselin, se forem campeões, desde que Horia/Mirnyi não sejam os outros finalistas.
    E o polish power se não acontecer nenhum dos resultados acima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s