Os novos times para 2014

Demorou, mas a dança das cadeiras das duplas começou e algumas mudanças que ocorreram foram interessantíssimas e até surpreendentes! Tentarei atualizar este post assim que souber de outras mudanças.

Rohan Bopanna e Aisam-ul-Haq Qureshi

O Indo-Pak Express voltará após dois anos de hiato. O último torneio juntos foi no Finals 2011, quando Bopanna decidiu seguir com Bhupathi como preparação para as Olimpíadas de Londres. A parceria, que havia começado em 2007, atingiu a final do US Open 2010, conquistou o título do Masters de Paris e classificou para o Finals em 2011. O indiano declarou que “É sempre bom jogar com um velho amigo e com alguém que eu me entendo muito bem dentro e fora de quadra.”

Além do lado competitivo, o time tinha caráter de ‘embaixadores da paz’, já que seus países, Índia e Paquistão, possuem um histórico de guerras. Em Wimbledon 2010, usaram camisetas do Stop War Start Tennis, projeto criado para promover a paz pelo tênis, além de ajudar pessoas atingidas por guerras. Com este projeto, ganharam vários prêmios humanitários e reconhecimento no mundo.

Pessoalmente, um dos meus momentos favoritos do tênis foi o discurso que Qureshi deu na premiação da final de duplas do US Open 2010. Lá, Qureshi declarou: “Nós somos muito amigáveis, amamos e respeitamos, e queremos paz no mundo tanto quanto vocês.”

Jean-Julien Rojer e Horia Tecau

É, provavelmente, o novo time mais interessante para 2014. Não haverá mudanças drásticas em comparação ao Qureshi/Rojer, visto que, como Rojer disse, tanto Tecau quanto Qureshi possuem características parecidas. Bons amigos fora do circuito há muitos anos, Juls e Horia decidiram reunir forças no próximo ano. Uma dupla que promete.

Jurgen Melzer e Robert Lindstedt

[tweet https://twitter.com/jojomelzer/status/388694131616546816]

A parceria, que devia ter iniciado no Masters de Xangai, foi ‘abortada’ por uma lesão no ombro de Melzer, que o fez encerrar a temporada precocemente. Lindstedt declarou ao EuroSport que Melzer é um cara interessante, já que “ele sabe como ganhar um Grand Slam”. Melzer, dono de dois títulos de Grand Slam, sendo Wimbledon 2010, justamente contra Lindstedt (na época com Horia Tecau), e US Open 2011 (ambos com Philipp Petzschner), parece estar animado para a próxima temporada. Ambos se conhecem faz muito tempo e decidiram tentar algo juntos.

Lindstedt, dono de 20 títulos e Melzer, campeão em 12 torneios, pode ser uma boa parceria para 2014. Resta saber se durará, visto que em 2013 nenhum dos dois conseguiram firmar um time para o ano inteiro, e se o sueco terá paciência para voltar a jogar o circuito de duplas com um simplista.

Daniel Nestor e Nenad Zimonjic

Uma das mais bem sucedidas parcerias dos últimos tempos voltará a unir forças em 2014. Nestor e Zimonjic, que possuem 24 títulos juntos, incluindo três grand slams e dois Finals, querem ver se a ‘magia ainda continua’, como Nestor declarou para o site canadense The Globe and Mail.

A temporada de 2013 de Daniel Nestor foi um verdadeiro fracasso. Com 6 parceiros diferentes durante o ano, Daniel não conseguiu resultados sólidos o suficiente com ninguém, o que o deixou fora do ATP Finals. “A temporada com certeza foi muito frustrante. Tivemos bons momentos na Copa Davis e os últimos dois meses não foram tão ruins, apenas azarados,” declarou no mês de Outubro.

Edouard Roger-Vasselin e Julien Benneteau

Jogaram juntos uma única vez, no Australian Open deste ano, onde pararam na R16. Foram três boas partidas no torneio, inclusive eliminando Lindstedt/Zimonjic, passando uma boa impressão. Será interessante acompanhá-los, uma vez que, individualmente, fizeram boas campanhas em 2013. Roger-Vasselin, que jogou 8 torneios no final da temporada com Rohan Bopanna, fez semi em Wimbledon e foi campeão de Tóquio, além de um vitória/derrota positivo de 16/7.

Colin Fleming e Ross Hutchins

Essa é a boa notícia do ano. Hutchins, recuperado do Linfoma de Hodgkins que o tirou dessa última temporada inteira, voltará a jogar com Colin Fleming. A parceria britânica possui 3 títulos e está mais animada do que nunca para voltar. Bem vindo de volta, Rosco!

Oliver Marach e Florin Mergea

O romeno Florin Mergea chegou a pensar em desistir da temporada de 2013 no começo de outubro. Felizmente, para a sua carreira, não desistiu e foi campeão em três challengers seguidos, sendo dois deles já com Oliver Marach. Florin teve uma carreira juvenil promissora, sendo campeão nas duplas em Wimbledon 2002 e 2003 com o compatriota Horia Tecau, mas enfrentou problemas com lesões no ombro, joelhos e tornozelo, o que atrasou sua carreira.

Marach, dono de 12 títulos, sendo dois deles com o compatriota Alexander Peya, é um dos grandes nomes das duplas no saibro, sendo 9 de seus títulos conquistados na superfície.

Os outros

  • Mahesh Bhupathi aposentará após a próxima temporada também, mas aparentemente não terminará o ano. Há boatos que será após Wimbledon. Mahesh, que também trabalha como agente de Andy Murray, andou tão ocupado no fim de 2013 que decidiu desistir da ideia inicial de aposentar após 2013. Seu parceiro ainda não está definido.
  • Michael Llodra, um dos últimos moicanos a jogar no estilo saque e voleio, também aposentará após a próxima temporada. Decidiu terminar a carreira ao lado do amigo, compatriota e atual parceiro Nicolas Mahut.
  • Jonny Marray, que jogou em 2013 com Fleming, estará sem parceiro a partir do momento em que Hutchins voltar.
    Update: Marray jogará com o australiano Paul Hanley.
  • Outro que ainda está sem parceiro é o bielorrusso Max Mirnyi. Max será submetido a uma cirurgia durante as férias e aparentemente não quer se comprometer com alguém sem saber quando estará apto a jogar.
Anúncios

4 comentários sobre “Os novos times para 2014

  1. Outro aspecto legal da dupla Bopanna/Qureshi é a questão religiosa que envolve os dois tenistas, já que mesmo sendo de países onde a religião é bastante predominante e imposta, Rohan (hindu) e Aisam (islâmico), convivem de maneira extremamente amigável.
    Ambos foram dois dos protagonistas de uma partida de duplas histórica no ponto de vista religioso, no ATP 250 de Oeiras deste ano, onde os quatro jogadores eram de religiões diferentes: Bopanna (hindu), Andy Ram (judeu), Qureshi (islâmico) e Jean-Julien Rojer (cristão). A partida foi vencida por Qureshi/Rojer por 4/6 6/3 e 10/4.

  2. Campanha de Mirnyi ou Marray para jogarem ao lado de André Sá, Aliny. Quem mais tem disponível no mercado: Santiago Gonzalez, Scott Lipsky, John Peers? Treat Huey e Inglot vão jogar juntos também em 2014 ou algum deles está livre?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s