Nestor/Zimonjic, Bryans e o saibro

Ao anunciar a retomada da parceria no ano passado, Nestor, em entrevista ao canadense Globe and Mail, disse que seria injusto não tentar mais uma vez, visto que ele e Zimonjic tiveram muito sucesso no passado. “Nós nos entendemos muito bem, temos um ponto de vista semelhante e um estilo de jogo bem agressivo, o que complementa muito bem um ao outro,” declarou.

Daniel Nestor, que está há 24 anos na tour, o único duplista a atingir a marca de 900 vitórias e considerado por muitos de seus companheiros de profissão como o melhor duplista da história, estava animado com o retorno: “Nós retomamos a parceria porque, no passado, conseguimos lutar de igual para igual com os Bryan, chegamos ao posto de número 1 do mundo e tivemos três anos fantásticos. É por isso que nós voltamos.”

Os Bryan são o objetivo de qualquer time. Igualá-los. Vencê-los. Jogar de igual para igual. É impossível para a maioria dos times, menos para Nestor e Zimonjic. O canadense e o sérvio conseguiram feitos incríveis nos três anos em que atuaram juntos e parecem ter voltado àquela mesma forma mais uma vez. Os dois possuem 11 vitórias e 7 derrotas contra os gêmeos, uma superioridade rara no tênis, visto que pouquíssimos times possuem uma considerável vantagem no confronto direto contra os Bryan. Destes 18 encontros, 15 foram finais e apenas 6 foram a favor dos gêmeos. Os outros 3 confrontos foram em semifinais, com duas vitórias de Nestor/Zimonjic. Este aproveitamento, aliás, é o maior de um time contra os Bryans. Em 2014, os números mostram uma possível caminhada que segue os passos do passado, sendo duas vitórias em Madri e Roma e uma derrota. 

Agora, na temporada de saibro, a dominância de Nestor e Zimonjic é ainda mais clara. Nos três anos ativos como dupla e neste início de ano, o time possui quase 86% de aproveitamento, com apenas 10 derrotas no piso. Os Bryan possuem 222 vitórias e 64 derrotas no saibro em toda a sua carreiro, sendo 77,6% de aproveitamento. Vejam os dados de Nestor/Zimonjic detalhados abaixo:

Carreira: 202 vitórias, 63 derrotas
Saibro – 62 vitórias, 10 derrotas = 86,1%
Hard – 72 vitórias, 37 derrotas = 69,2%
Hard indoor – 31 vitórias, 11 derrotas = 73,8%
Grama – 19 vitórias, 3 derrotas = 86,3%
Carpete – 7 vitórias, 1 derrota =87,5%

2014 – 28 vitórias, 7 derrotas
13/2 – saibro = 86,6%
14/4 – hard = 77%
1/1 – hard (indoor) = 50%

2012 – 4 vitórias
4/0 – hard (indoor) = 100%

2010 – 57 vitórias, 19 derrotas
16/3 – hard (indoor) = 84,2%
21/12 – hard = 63,6%
3/2 – grama = 60%
17/2 – saibro = 89,4%

2009 – 57 vitórias, 17 derrotas
13/3 – hard (indoor) = 81,25%
18/11 – hard = 62%
6/1 – grama = 85,7%
20/2 – saibro = 90,9%

2008 – 47 vitórias, 17 derrotas
7/5 – hard (indoor) = 53,3%
18/8 – hard = 75%
10/0 – grama = 100%
12/4 – saibro = 75%

2007 – 8 vitórias, 3 derrotas
1/2 – hard (indoor) = 33,3%
7/1 – carpete = 87,5%

Restringindo apenas à participação das duas duplas em Roland Garros, temos Bryans com 52 vitórias e 13 derrotas em 15 aparições, enquanto Nestor/Zimonjic apresentaram 15 vitórias e 2 derrotas em 3 aparições. Roland Garros, aliás, é o slam em que os gêmeos possuem menos títulos, dois: o primeiro em 2003 e o último 10 anos depois, em 2013. Sendo assim, há de concordar que as chances de quaisquer outras duplas acabam aumentando. Max Mirnyi e Daniel Nestor, por exemplo, aproveitaram este hiato de 10 anos conquistando quatro títulos cada na capital francesa. 

Obviamente o período de atividade dos Bryan juntos é maior do que o de Nestor e Zimonjic como um time. Assim, vamos comparar o mesmo período de ambos os times, também no saibro:
2008 – Bryans: 2 títulos, 15 vitórias e 3 derrotas em 5 torneios. Nestor/Zimonjic: 1 título, 12 vitórias e 4 derrotas em 5 torneios.
2009 – Bryans: 1 título, 16 vitórias e 6 derrotas em 7 torneios. Nestor/Zimonjic: 4 títulos, 20 vitórias e 2 derrotas em 6 torneios. Observação: Nestor/Zimonjic venceram os Bryans duas vezes no saibro neste ano.
2010 – Bryans: 3 títulos, 18 vitórias e 3 derrotas em 7 torneios. Nestor/Zimonjic: 3 títulos, 17 vitórias e 2 derrotas em 5 torneios. 
2014 – Bryans: 2 títulos, 13 vitórias e 2 derrotas  em 4 torneios. Nestor/Zimonjic: 2 títulos, 13 vitórias e 2 derrotas em 4 torneios. Observação: Nestor/Zimonjic venceram os Bryans duas vezes no saibro neste ano e perderam uma. 

Total
Bryan/Bryan: 7 títulos, 62 vitórias e 14 derrotas em 23 torneios
Nestor/Zimonjic: 10 títulos, 62 vitórias e 10 vitórias em 20 torneios

Todos números indicam uma leve vantagem para Nestor/Zimonjic. Após a final em Madri, Nestor comentou um pouco sobre a rivalidade. “Parece que contra os Bryan nós conseguimos jogar o nosso melhor quando realmente precisamos. Hoje, nós conseguimos uma vantagem no início do jogo, esse é o segredo,” declarou. O canadense, em Roma, também ressaltou a confiança que os resultados recentes promoveram: “Essa é a melhor situação para estar antes de um grand slam. Nós estamos com a confiança alta e conseguimos jogar quatro partidas incríveis aqui em Roma. É um ótimo sinal.”

O sinal parece estar verde para o canadense e o sérvio, mas quando se trata dos Bryan, quanto maior o desafio, maior a luta. Os times nunca se enfrentaram em Roland Garros e este duelo inédito poderá acontecer em uma provável semifinal, mas para isso, ambos precisarão enfrentar outras duplas tão motivadas a vencer quanto eles. É interessante ver boas rivalidades e os próximos dias prometem muita emoção. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s