#brasilnadavis: números de Melo/Soares na competição

Com o difícil confronto contra a Argentina se aproximando e apesar de Marcelo Melo e Bruno Soares não se verem favoritos no sábado, os números dos mineiros na Copa Davis são animadores.

Melo e Soares possuem oito vitórias e apenas uma derrota, sendo a única negativa no traumático confronto contra a Índia de Mahesh Bhupathi e Leander Paes em 2011. A partir desta derrota, os mineiros conquistaram sete vitórias seguidas, incluindo o triunfo em 5 sets contra Bob e Mike Bryan nos Estados Unidos.

A partida contra os irmãos Bryan, aliás, é exceção no histórico dos brasileiros na competição. As outras sete vitórias que os mineiros possuem no currículo foram obtidas em sets diretos, perdendo em média 10 games por partida.

Melo/Soares é uma das poucas duplas recorrentes na Davis, o que favorece a equipe. Nos últimos cinco anos, outras sete nações repetiram parcerias por pelo menos uma vez por ano, tendo 62% ou mais de sucesso, mostrando a alta probabilidade de vitória quando uma dupla está ambientada com suas táticas e ao torneio.

Tomas Berdych e Radek Stepanek (República Tcheca): 9 vitórias e 1 derrota = 90%
Marcelo Melo e Bruno Soares (Brasil): 8 vitórias e 1 derrota = 88%
Lleyton Hewitt e Chris Guccione (Austrália): 6 vitórias e 1 derrota = 85%
Bob Bryan e Mike Bryan (Estados Unidos): 7 vitórias e 2 derrotas = 77%
Juan Sebastian Cabal e Robert Farah (Colômbia): 6 vitórias e 2 derrotas = 75%
Mariusz Fyrstenberg e Marcin Matkowski (Polônia): 9 vitórias e 3 derrotas = 75%
Aisam-ul-Haq Qureshi e Aqeel Khan (Paquistão): 7 vitórias e 3 derrotas = 70%
Julien Benneteau e Michael Llodra (França): 5 vitórias e 3 derrotas = 62%

Do lado argentino, o histórico recente é interessante para o Brasil. Passando por renovação, o time argentino perdeu nas duplas nos dois confrontos em 2014, enquanto em 2013 e 2012 ganharam apenas as partidas que Nalbandian disputou.

Diego Schwartzman e Carlos Berlocq são os nomes cotados para o confronto contra o Brasil, com Delbonis/Schwartzman aparecendo no sorteio. Schwartzman foi campeão em quatro challengers e vice-campeão no Brasil Open deste ano, enquanto Berlocq foi campeão de Stuttgart em 2010. A dupla foi colocada em teste no torneio de Buenos Aires, disputado na última semana, chegando nas semifinais e caindo para os vice-campeões Andujar/Marach.

Já Delbonis/Schwartzman acontecerá pela segunda vez, com a primeira sendo no challenger de Roma, no qual os argentinos caíram na estreia para os alemães Andre Begemann e Martin Emmrich.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s