Em ritmo de despedida, Bruno e Peya encerram a parceria

Bruno Soares e Alexander Peya estão em ritmo de despedida. Brigando por uma vaga no Finals, a dupla disputa Viena, Basileia e Paris como os últimos torneios juntos, já que em 2016 terão novos parceiros.

Uma das duplas mais bem-sucedidas dos últimos anos e campeões em 11 oportunidades, Bruno e Peya decidiram encerrar a colaboração após um ano abaixo das expectativas. “A temporada não foi como a gente esperava, agora estamos em ritmo de despedida”, disse Peya, que jogará ao lado de Philipp Petzschner em 2016, alemão campeão em Wimbledon (2010) e no US Open (2011).

“Conheço o Philipp muito bem, já treinamos e jogamos juntos antes. Ele é um excelente tenista, apesar dos rankings recentes não mostrarem isso, por decorrência de uma lesão em Wimbledon”, comentou o austríaco, que também falou que sua relação com Soares continua excelente.

Já Bruno Soares jogará com o britânico Jamie Murray, que este ano foi vice-campeão em Wimbledon e no US Open ao lado do australiano John Peers. Sobre a separação, Bruno comentou que é recente. “Isso foi uma decisão de última hora, depois do US Open. Partiu de mim, conversei com o Alex e acho que já estava na hora. Os resultados desse ano obviamente foram longe do que a gente esperava, quer dizer, não estamos tão mal assim, mas pelo o que a gente vinha mostrando nos 3 anos anteriores, foi muito longe do que a gente podia render”, disse o mineiro.

“Como todo casamento, chega uma época que dá uma crise. A gente conversou e ele também achou uma boa ideia dar um break, uma reanimada com um parceiro diferente e buscar novas coisas”, continuou Soares. Sobre como escolheu o parceiro, Bruno confessou que pensou em Melo, mas que sabia que não era uma boa ideia. “Quando tomei a decisão, obviamente a primeira pessoa que conversei foi o Marcelo, pois todo mundo sabe que faz todo o sentido e a gente tem essa vontade de jogar junto”, declarou.

“Coincidentemente, no mesmo dia que falei com ele, o Jamie Murray me convidou pra jogar e bati um papo bacana com ele, que explicou que gostaria muito de jogar comigo. Ele me convidou sem saber da minha situação com o Alex”, contou Bruno. “Acabei pegando o Marcelo de surpresa, ele pediu uns dias pra pensar. O Marcelo falou que era muito difícil se separar do Ivan pelo momento deles e eu sinceramente concordo com o pensamento dele, acho que ele está certíssimo, está no melhor momento da carreira e não acho que ele tenha que mexer nisso. Eu que estou precisando de uma mudança, de uma troca pra dar uma restruturada e o Marcelo pelo contrário, tem que seguir o que está fazendo”, continuou, elogiando Melo.

Por fim, Bruno comentou o que espera ao lado de Murray. “Estou bastante empolgado, o Jamie vem super bem. Acho que apesar de não ter tido um ano legal, estou jogando um tênis de alto nível, bem melhor que o meu ranking indica”, finalizou.

Anúncios

4 comentários sobre “Em ritmo de despedida, Bruno e Peya encerram a parceria

  1. Está bem com o Dodig por acaso, porque o parceiro claramente não prioriza a dupla. Grandes torneios rolando na ásia e ele preferiu um jogar uma série de challengers na europa para recuperar o ranking de simples. Fora os torneios na américa do sul que ele prefere ficar na europa. Particularmente eu acho que o Melo está muito mal servido de parceiro. Pode até não ser o Bruno o ideal, mas claramente o Dodig deixa a desejar.

  2. Pingback: Melo: ‘Não tinha motivo para separar’ | Match Tie-Break

  3. Pingback: Outros rumos | Match Tie-Break

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s