Foto:
© Peter Staples/ATP Tour

Os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies são os atuais campeões de Roland Garros. A dupla, que nunca havia disputado o torneio até o ano passado, retorna para tentar repetir as duas semanas mágicas e defender o título. Em 2020, Krawietz e Mies estão com dificuldades para manter o nível do ano passado, com sete vitórias e nove derrotas na temporada. A preparação para Roland Garros contou com a disputa de dois torneios: Roma, onde caíram na estreia, e Hamburgo, dando adeus nas quartas.

Em Paris, Krawietz e Mies são os cabeças de chave 8 da competição e vão estrear contra a dupla cazaque Bublik/Kukushkin. No caminho, podem voltar a enfrentar Klaasen/Marach nas oitavas, time que os alemães superaram na última semana, em Hamburgo. A maior ameaça da dupla, porém, está nas quartas, onde podem encontrar o espanhol Marcel Granollers e o argentino Horacio Zeballos, donos de três títulos no saibro nesta temporada.

R1Bublik/Kukushkin
R2Sitak/Zelenay ou Coria/Schwartzman
Oitavas[10]Klaasen/Marach
Quartas[2]Granollers/Zeballos, [13]Murray/Skupski
Semi[4]Kubot/Melo, [6]Herbert/Mahut, [9]Koolhof/Mektic, [16]Krajicek/Skugor
OS BRASILEIROS

[4] Marcelo Melo e Lukasz Kubot
Melo, campeão de Roland Garros em 2015, e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, vão para mais uma disputa do Grand Slam francês, sendo a quarta vez da equipe em Paris. Ao todo, Melo e Kubot participarão do torneio pela 14ª vez em suas carreiras, disputando todas as edições desde 2007. Nos torneios de saibro preparatórios, o mineiro e o polonês caíram na estreia em Roma, com Melo sentindo dores no ombro, e ficaram nas quartas de Hamburgo, sendo superados pelos campeões Peers/Venus.

O sorteio definiu um bom começo de chave para Kubot/Melo, com jogos técnicos para a adaptação da dupla no pesado e lento saibro francês. Mais tarde, a dupla pode ter um duro caminho com os franceses Herbert/Mahut, campeões da edição de 2018, os embalados Koolhof/Mektic, que vêm de final no US Open e bons jogos nos torneios preparatórios do saibro, e pedreiras como Granollers/Zeballos e os atuais campeões Krawietz/Mies.

Melhor campanha da dupla em Roland Garros: oitavas (2018, 2019)
Melhor campanha de Melo: campeão (2015)
Melhor campanha de Kubot: semifinal (2016)

R1Cazaux/Mayot
R2Behar/Escobar ou Monroe/Paul
Oitavas[16]Krajicek/Skugor
Quartas[6]Herbert/Mahut, [9]Koolhof/Mektic
Semi[2]Granollers/Zeballos, [8]Krawietz/Mies, [10]Klaasen/Marach, [13]Murray/Skupski

[7] Bruno Soares e Mate Pavic
Os campeões do US Open não querem deixar a peteca cair. Embalada, a dupla jogou apenas um torneio de preparação, o Masters 1000 de Roma, onde fizeram bons jogos e caíram nas quartas de final para Granollers/Zeballos, que acabaram conquistando o título mais tarde. Na última semana, Bruno optou por descansar, enquanto Pavic foi para o ATP 500 de Hamburgo, no qual disputou ao lado do compatriota Ivan Dodig e ficou com vice-campeonato.

Assim como em Nova Iorque, a dupla não terá vida fácil desde o início. Com uma chave dura, Soares e Pavic estrearão contra os experientes Daniell/Oswald, podem ter os problemáticos Gille/Vliegen logo na segunda rodada e Rojer/Tecau, uma das maiores potências da atualidade, nas quartas.

Melhor campanha da dupla em Roland Garros: estreia na competição
Melhor campanha de Soares: semifinal (2008, 2013)
Melhor campanha de Pavic: final (2018)

R1Daniell/Oswald
R2Gille/Vliegen ou Molteni/Nys
Oitavas[12]Rojer/Tecau
Quartas[3]Ram/Salisbury, [14]Chardy/Martin
Semi[1]Cabal/Farah, [5]Dodig/Polasek, [11]Peers/Venus, [15]Melzer/Roger-Vasselin

Marcelo Demoliner e Matwe Middelkoop
A preparação da dupla, apesar de curta, foi animadora. Dando continuação aos bons resultados conseguidos na gira de saibro da América do Sul, onde foram campeões em Córdoba e semifinalistas em Buenos Aires, Demoliner e Middelkoop fizeram uma ótima partida nas quartas de Kitzbuhel, caindo nos detalhes para os experientes Marach/Melzer. Em Hamburgo, o time disputou o qualifying, mas precisou desistir na fase final por uma emergência familiar do brasileiro. Já em Paris, Marcelo e Matwe terão uma estreia complicada pela frente, encarando os simplistas Evans/Hurkacz em um piso lento. Caso avance, a dupla pode ter Granollers/Zeballos logo na segunda rodada, tendo um início difícil na França.

Melhor campanha da dupla em Roland Garros: estreia na competição
Melhor campanha de Demoliner: segunda rodada (2018, 2019)
Melhor campanha de Middelkoop: segunda rodada (2018, 2019)

R1Evans/Hurkacz
R2[2]Granollers/Zeballos ou Johnson/Querrey
Oitavas[13]Murray/Skupski
Quartas[8]Krawietz/Mies, [10]Klaasen/Marach
Semi[4]Kubot/Melo, [6]Herbert/Mahut, [9]Koolhof/Mektic, [16]Krajicek/Skugor
A QUEDA DA PREMIAÇÃO

A premiação geral de Roland Garros sofreu uma queda de 10% nesta edição, um dos efeitos da pandemia do coronavírus. Para não afetar os jogadores de ranking mais baixo, o torneio remanejou a premiação, de modo que as rodadas finais de todas as chaves diminuíssem a premiação e a primeira rodada das chaves de simples, as duas primeiras das duplas e o qualifying aumentassem.

Somando as chaves principais de simples e duplas (masculino e feminino), a diferença de premiação entre 2019 e 2020 é de cerca de 4,3 milhões de euros. A redução da premiação nas chaves de simples foi de 11%, enquanto nas duplas foi de 15.6%. O maior baque foi para os campeões, com os de simples diminuindo em 30% e os de duplas perdendo incríveis 45%.

As chaves de simples deste ano correspondem a 87% da premiação total, sofrendo um pequeno aumento comparado aos 86,4% de 2019. É uma tendência que, infelizmente, está acontecendo não só em Roland Garros, como também em outros torneios. A proporção da premiação simples/duplas é, teoricamente, de 80/20, mas simples continua aumentando lentamente com o passar do tempo. Confira as proporções dos últimos 10 anos em Roland Garros:

*..2011..2012..2013..2014..2015..2016..2017..2018..2019..2020
Simples/Duplas80,7%81,5%82,9%83,5%84%84.6%85,2%85,8%86,4%87,1%
Simples ()6.032.000
.
6.555.000
+8.6%
7.984.000
+21.8
9.212.000
+15.3%
10.448.000
+13.4%
12.032.000
+15.1%
13.548.000
+12.6%
14.904.000
+10%
16.280.000
+9.2%
14.491.000
-10.9%
Duplas ()1.436.000
.
1.484.000
+3.3%
1.640.000
+10.5%
1.812.000
+10.4%
1.984.000
+9.4%
2.176.000
+9.6%
2.346.000
+7.8%
2.454.000
+4.6%
2.556.000
+4.1%
2.156.440
-15.6%

*A premiação apresentada é do total distribuído em apenas uma chave

OLHO NELES

Marcel Granollers e Horacio Zeballos são os grandes nomes da temporada de saibro de 2020. A dupla disputou quatro torneios na superfície e foi campeã em três (Buenos Aires, Rio de Janeiro e Roma), além do vice-campeonato em Kitzbuhel. São 16 vitórias e apenas uma derrota no piso. O espanhol e o argentino haviam planejado disputar o ATP 500 de Hamburgo antes de viajar para Paris, mas Zeballos acabou sentindo um incômodo nas costas e preferiu poupar o físico.

GIRO DE NOTÍCIAS
  • Pierre-Hugues Herbert voltará ao lado de Nicolas Mahut após 7 meses. A dupla, que não disputa um torneio junta desde fevereiro, em Roterdã, retornará à disputa em Paris. Além da paralisação do circuito pela pandemia do coronavírus, a esposa de Herbert ganhou um filho e o francês optou por permanecer na Europa, disputando apenas os dois challengers de Praga em agosto.
  • Juan Sebastian Cabal ainda está se recuperando de uma lesão na coxa, sofrida na primeira rodada de Hamburgo. O colombiano disse no último domingo que ainda não está 100% e que segue treinando para conseguir competir no Grand Slam.
  • Na chave, dez tenistas já foram campeões em Roland Garros: Pablo Cuevas (com Horna, 2008), Roger-Vasselin (com Benneteau, 2014), Marcelo Melo e Ivan Dodig (2015), Feliciano Lopez (com Marc Lopez, 2016), Michael Venus (com Harrison, 2017), Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut (2018), e Kevin Krawietz e Andreas Mies (2019).
OS MELHORES JOGOS DE PRIMEIRA RODADA
  • [2]Granollers/Zeballos x Johnson/Querrey
  • [5]Dodig/Polasek x Kontinen/Struff
  • [6]Herbert/Mahut x Purcell/Saville
  • [9]Koolhof/Mektic x Bambridge/McLachlan
  • Bopanna/Shapovalov x Pospisil/Sock
ONDE ASSISTIR

Neste ano, o Brasil tem mais opções para acompanhar todas as emoções de Roland Garros. Além do Bandsports (televisão e site), o Sportv também está transmitindo o torneio em seu terceiro canal. Em adição aos canais de televisão, o site oficial do torneio oferece o serviço de streaming de todas as quadras e conteúdos extras pelo valor de R$39,90. Confira a chave de duplas completa e não perca nenhum momento do último Grand Slam do ano!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s