Soares e Pavic avançam em Viena

Bruno Soares e Mate Pavic estrearam com vitória no ATP 500 de Viena. Nesta segunda-feira, os cabeças de chave 1 superaram os qualifiers poloneses Karol Drzewiecki e Szymon Walkow em sets diretos, com parciais de 7/6(7) e 6/3, para se garantir nas quartas do torneio austríaco.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Foi uma bela vitória hoje. Ontem nós assistimos o jogo dos poloneses na rodada final do qualifying e eles jogaram super bem. Hoje foi no detalhe, nós bobeamos um pouco no fim do primeiro set, quando saquei no 6/5 e 40-15 e poderia ter fechado, mas salvamos bem no tie-break e jogamos super firme no segundo set. Muito feliz com a estreia”, disse o mineiro, satisfeito com a estreia na Áustria.

Nas quartas de final, Bruno e Pavic terão uma pedreira pela frente. O time enfrentará os vencedores do duelo dos alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, os atuais campeões de Roland Garros, e a dupla de John Peers e Michael Venus, que estão vindo de título no ATP 250 de Antuérpia.

No último domingo, Soares fez uma curiosa participação no qualifying de simples, entrando direto na última rodada e caindo para o húngaro Attila Balazs em sets diretos. Hoje, o torneio contou com algumas desistências e o brasileiro precisava de apenas mais uma desistência para entrar na chave principal. Bruno, porém, optou por não dar continuidade à saga e deixar a vaga para alguém que realmente jogue simples.

“Até conversei com o Herbert, que também disputou o quali e está no aguardo, e disse que não vou jogar. Só joguei o qualifying porque não tinha ninguém. É um ATP 500 e eu vou focar nas duplas. O Herbert joga simples também e é uma chance para ele disputar o torneio. Não vou pegar a vaga só por pegar, já fiz a minha parte. Agora é concentrar nas duplas e deixar ele, caso tenha a sorte de entrar, fazer o trabalho dele na simples também”, finalizou o mineiro, explicando a situação.

Soares avalia experiência no quali de simples de Viena: “Valeu muito”

Não foi um domingo comum para Bruno Soares. No ATP 500 de Viena, na Áustria, o mineiro iniciou as suas atividades no torneio de um modo diferente: jogando simples. Disputando a última rodada do qualifying, Bruno caiu para o húngaro Attila Balazs, número 85 do mundo, em 6/2 e 6/4.

“Foi muito legal ter tido esta experiência de novo depois de tanto tempo. Obviamente é muito difícil jogar sem nenhum treinamento de simples nos últimos anos contra um cara que é top 100, mas valeu muito”, disse Soares, contente com a experiência.

O brasileiro entrou na chave da fase qualificatória de simples após assinar a lista de alternates do torneio. Algumas desistências e mudanças de última hora nas chaves principal e qualificatória de simples esgotaram os simplistas disponíveis no torneio, dando a oportunidade para Soares disputar a competição, assim como o também duplista Rajeev Ram, que enfrentou Balazs na primeira rodada.

Esta foi a primeira partida de simples de Bruno em cinco anos. A última vez havia sido em 2015, no torneio de Auckland, em situação parecida. Na ocasião, o atual número 6 do mundo nas duplas enfrentou o francês Lucas Pouille. Em 2004, Soares atingiu o seu melhor ranking de simples, o de 221º do mundo.

“Deu para treinar, adaptar e fazer um jogo, isso era o mais importante. Só de ter entrado e jogado já me ajudou na preparação e adaptação para a estreia amanhã na chave de duplas. Eu e o Pavic vamos focar no que estamos fazendo”, encerrou o mineiro.

De volta ao seu habitual, Bruno Soares e seu parceiro, o croata Mate Pavic, irão estrear nesta segunda-feira contra os qualifiers poloneses Karol Drzewiecki e Szymon Walkow. Desde o retorno do tênis no fim de agosto, a dupla conquistou o título no US Open e o vice-campeonato em Roland Garros, além de garantir a classificação para o ATP Finals, o torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada na O2 Arena, em Londres.

Melo e Kubot param nas quartas de Colônia

Nesta sexta-feira, Marcelo Melo e Lukasz Kubot se despediram do ATP 250 de Colônia. Disputando a segunda das duas edições seguidas do torneio alemão, a dupla cabeça de chave 1 parou nas quartas de final ao ser superada pelo time do neozelandês Marcus Daniell e o austríaco Philipp Oswald em dois sets a um, com parciais de 6/2, 4/6 e 10-3. Na semana passada, Melo e Kubot foram vice-campeões do primeiro torneio de Colônia.

Foto: DPA/Getty Images

“Eles jogaram muito bem. Aproveitaram o ritmo e a confiança, já que estão vindo de um título em Sardenha. De qualquer forma, foi uma boa sequência de jogos. Vamos para Viena neste sábado”, disse o mineiro, elogiando os adversários. Daniell e Oswald derrubaram os colombianos Robert Farah e Juan Sebastian Cabal, os números 1 e 2 do mundo, na final de Sardenha, disputada na última semana.

Após o ATP 500 austríaco, Melo e Kubot seguirão para o Masters 1000 de Paris, na França. A dupla está em busca de uma das quatro vagas restantes do ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores times da temporada na O2 Arena, em Londres. Até o momento, Ram/Salisbury, Pavic/Soares, Granollers/Zeballos e Krawietz/Mies já estão garantidos na competição. Marcelo e Kubot figuram na 11ª colocação, estando 235 pontos atrás de Purcell/Saville, que estão na oitava posição.

Corrida do Finals (23/10)
PosiçãoJogadoresPontos
1Rajeev Ram e Joe Salisbury3,260
2Mate Pavic e Bruno Soares2,695
3Kevin Krawietz e Andreas Mies2,670
4Marcel Granollers e Horacio Zeballos2,440
5Wesley Koolhof e Nikola Mektic2,145
6John Peers e Michael Venus1,900
7Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin1,580
8Max Purcell e Luke Saville1,515
9Jamie Murray e Neal Skupski1,500
10Juan Sebastian Cabal e Robert Farah1,350
11Lukasz Kubot e Marcelo Melo1,280

Melo e Kubot avançam às quartas de Colônia

Marcelo Melo e Lukasz Kubot continuam a boa forma em Colônia. Disputando o segundo torneio do nível ATP 250 na cidade alemã, a dupla cabeça de chave 1 superou o time do israelense Jonathan Erlich e o monegasco Hugo Nys em sets diretos, com parciais de 6/4 e 6/2, para avançar às quartas de final.

Foto: Getty Images

“Jogamos bem hoje. Entramos e fizemos o nosso jogo, sem correr muito risco. Agora, seguimos com confiança para a próxima rodada”, afirmou Marcelo. A dupla voltará em quadra já nesta sexta-feira, quando enfrentarão o neozelandês Marcus Daniell e o austríaco Philipp Oswald por uma vaga na semifinal.

O brasileiro e o polonês vêm de boa campanha na Alemanha. Na semana passada, disputando o primeiro dos dois torneios de Colônia, o time foi vice-campeão e garantiu uma posição no ranking da temporada, ficando em 11º. Melo e Kubot estão em busca de uma vaga no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas do ano na O2 Arena, em Londres. Após Colônia, o mineiro e o polonês seguirão para o ATP 500 de Viena, na Áustria, e depois para o Masters 1000 de Paris, na França.

Demoliner cai na Bélgica

Quem também esteve em ação nesta quinta-feira foi o gaúcho Marcelo Demoliner. Disputando o ATP 250 de Antuérpia ao lado do sérvio Nikola Cacic, o brasileiro foi superado de virada pelos australianos Alex De Minaur e Matt Reid, com parciais de 4/6, 6/3 e 11-9.

Demoliner encerrou a sua parceria de um ano com o holandês Matwe Middelkoop após o vice-campeonato no ATP 500 de São Petersburgo. “A decisão foi dele, mas eu respeito. São coisas que acontecem no circuito. Vou focar no meu final do ano para achar um novo parceiro para 2021”, declarou o gaúcho.

Soares embarca para última gira da temporada

Após duas semanas de descanso no Brasil, Bruno Soares está pronto para retomar o circuito. Vinda de uma excelente temporada de saibro, onde o mineiro e seu parceiro, o croata Mate Pavic, foram vice-campeões de Roland Garros e semanas antes conquistaram o US Open, a dupla agora seguirá para as quadras rápidas cobertas da Europa, iniciando no ATP 500 de Viena, na Áustria.

“Essas duas semanas foram muito boas para descansar, recuperar as energias, treinar e se preparar para a última parte do ano. Foi bom ter dado essa recuperada, ainda mais que estamos num ambiente de bolha nos torneios, então é importante dar uma desconectada e recuperar as energias, principalmente da parte mental”, destacou Bruno, preparado para a fase final da temporada. O mineiro embarca para a Áustria ainda nesta quinta-feira.

“Estou bastante empolgado. Estamos num momento muito bom e, de repente, podemos continuá-lo. A expectativa é seguir jogando esse nível de tênis que a gente vem jogando. Nós gostamos muito da temporada de quadra rápida indoor, então é terminar o ano com força total”, finalizou o brasileiro, empolgado com o momento da dupla.

Desde o retorno do tênis no fim de agosto, Soares conquistou o título no US Open e o vice-campeonato em Roland Garros, além de garantir a classificação para o ATP Finals, o torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada na O2 Arena, em Londres. Com os bons resultados, o brasileiro também voltou ao top 10 do ranking individual, ocupando a sexta colocação.

Após o ATP 500 de Viena, Bruno e Pavic seguirão para a França, onde disputarão o Masters 1000 de Paris, e depois encerrarão o ano no Finals.

Melo e Kubot ficam com o vice em Colônia

Marcelo Melo e Lukasz Kubot ficaram com o vice-campeonato no ATP 250 de Colônia, na Alemanha. Neste domingo, os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, cabeças de chave 2 do torneio, superaram a dupla do brasileiro e do polonês em dois sets a zero, num duplo 6/4.

“Foi uma boa semana. Hoje não deu, mas quem sabe no próximo. Seguimos para mais um torneio aqui em Colônia”, disse Marcelo, contente com o desempenho na semana. Melo e Kubot seguirão em Colônia para a disputa do segundo ATP 250 na cidade alemã, que terá início nesta segunda-feira. Na estreia, os cabeças de chave 1 enfrentarão o time formado pelo israelense Jonathan Erlich e o monegasco Hugo Nys.

Esta foi a 64ª final da carreira de Marcelo Melo e a 25ª ao lado de Kubot. Dono de 34 títulos, o brasileiro conquistou um troféu em 2020, no ATP 500 de Acapulco, no México, com o seu parceiro polonês. A dupla foi campeã em 14 oportunidades, sendo a parceria mais vitoriosa da carreira do mineiro.

Após Colônia, o time irá até a Áustria para o ATP 500 de Viena e depois seguirá para o Masters 1000 de Paris, na França. A campanha no primeiro torneio alemão rendeu uma colocação no ranking da temporada. Na 11ª posição, Melo e Kubot buscam uma vaga no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas do ano na O2 Arena, em Londres.

Demoliner e Middelkoop caem na final de São Petersburgo

Marcelo Demoliner e Matwe Middelkoop ficaram com o vice-campeonato no ATP 500 de São Petersburgo, na Rússia. Na final, a experiente dupla do austríaco Jurgen Melzer e do francês Edouard Roger-Vasselin superou Demoliner e Middelkoop em sets diretos, com parciais de 6/2 e 7/6.

O austríaco e o francês conquistaram seu primeiro título como dupla. Melzer voltou a ser campeão de São Petersburgo após 15 anos, onde conquistou o seu primeiro título de duplas da carreira em 2005. Ao todo, Melzer foi campeão em 17 torneios e Vasselin levantou o seu 21º troféu.

Esta foi a 13ª final da carreira do brasileiro, que possui três títulos no currículo. Ao lado de Middelkoop, Demoliner foi campeão dos ATPs 250 de Moscou e Córdoba. Em 2018, com o mexicano Santiago Gonzalez, o gaúcho conquistou o primeiro título de sua carreira no ATP 250 de Antalya, na Turquia.

Marcelo seguirá para a Bélgica, onde disputará o ATP 250 da Antuérpia ao lado do sérvio Nikola Cacic. A dupla estreará contra alternates após a desistência dos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah por coronavírus. Seus adversários originais, os anfitriões Sander Gille e Joran Vliegen viraram os novos cabeças de chave do torneio, assim que Demoliner precisará aguardar para saber quem serão os seus adversários.

Melo e Kubot disputam o título de Colônia com franceses

Marcelo Melo e Lukasz Kubot disputarão a sua segunda final de 2020. Neste sábado, o brasileiro e o polonês se garantiram na decisão do ATP 250 de Colônia, na Alemanha, ao derrotarem a dupla formada pelo sul-africano Raven Klaasen e o austríaco Oliver Marach em sets diretos, com parciais de 6/4 e 6/3.

Foto: Paul Zimmer/Colônia

“Hoje fizemos mais um belo jogo, conseguimos imprimir nosso ritmo desde o começo. Já saímos com uma quebra no primeiro game, abrimos dois breaks e eles recuperaram um, mas conseguimos controlar para finalizar o primeiro set. No segundo, nos livramos de uma situação complicada, deles passarem na frente, e acabamos quebrando logo depois e fechamos o jogo”, resumiu Marcelo, satisfeito com a calma da dupla durante a partida.

“Foi decidido muito no detalhe. Acho que a precisão de hoje, que conseguimos usar, veio dos dois primeiros jogos. Então amanhã (domingo) temos de aproveitar essas três partidas, todas essas chances que tivemos e como recuperamos. É um jogo duríssimo. Todos conhecem os franceses que vamos jogar. Agora é imprimir o nosso jogo de novo, desde o começo, e ir para cima deles para conseguirmos esse título”, completou o mineiro.

Na decisão, Melo e Kubot enfrentarão os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, campeões de quatro Grand Slams e 16 títulos no total. As duplas já se enfrentaram em quatro oportunidades, com duas vitórias para cada.

Esta é a segunda final do brasileiro e do polonês nesta temporada. Antes da paralisação do circuito, a dupla foi campeã do ATP 500 de Acapulco, no México. No geral, Melo e Kubot foram campeões em 14 torneios e finalistas em outros dez. Marcelo, dono de 34 títulos, fará a 64ª final de sua carreira.

Demoliner e Middelkoop vão à final em São Petersburgo

Marcelo Demoliner e Matwe Middelkoop estão na final de São Petersburgo. Disputando o ATP 500 russo, a dupla superou o time formado pelo cazaque Alexander Bublik e o norte-americano Reilly Opelka em dois sets a um, com parciais de 6/4, 3/6 e 10-6. Na decisão, o gaúcho e o holandês enfrentarão Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin, os cabeças 2 da competição.

Foto: St Petersburg Open

Esta é a quarta final que Demoliner e Middelkoop disputarão como equipe. Além dos títulos nos ATPs 250 de Moscou e Córdoba, a dupla também foi finalista em Zhuhai. Ao todo, são 13 finais e três títulos para o brasileiro, que também foi campeão no ATP 250 de Antalya, ao lado do mexicano Santiago Gonzalez, e que chegou na sua segunda decisão de ATP 500 da carreira.

Após o torneio russo, Marcelo seguirá para o ATP 250 de Antuérpia, na Bélgica. Lá, o gaúcho disputará ao lado do sérvio Nikola Cacic, número 54 do mundo, e voltará a enfrentar os belgas Sander Gille e Joran Vliegen, dupla que Demoliner também enfrentou na estreia em São Petersburgo.

Duplas de Melo e Demoliner vão às semis

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram mais uma na Alemanha. Cabeças de chave 1, o brasileiro e o polonês se garantiram na semifinal do ATP 250 de Colônia ao derrotar o bósnio Tomislav Brkic e o croata Marin Cilic em dois sets a um, com parciais de 7/6(2), 2/6 e 10-5.

Foto: Paul Zimmer/Colônia

“Acho que voltamos hoje ao nosso nível de antes da pandemia. A primeira vitória aqui ajudou bastante a jogar assim. Fizemos um excelente jogo, duríssimo, de alto nível. Logicamente enfrentar o Marin, um excelente jogador em simples e duplas, eleva o nível de todos em quadra. Tivemos de tirar o nosso melhor. E conseguimos, como dupla e como jogo”, comemorou Marcelo. O resultado é importante para a dupla, que está em busca de uma vaga no ATP Finals. A semifinal garantiu o ganho de uma posição no ranking, ocupando a 11ª colocação.

“Foi realmente o melhor jogo que fizemos depois da volta do circuito. Decidido nos detalhes, ponto a ponto, e ficamos muito felizes. Esperamos continuar dessa maneira. Agora temos amanhã (sexta) para treinar, já que a semifinal é no sábado. Vamos ver se continuamos embalados para quem sabe chegar na final”, completou o mineiro.

No sábado, Melo e Kubot enfrentarão a dupla formada pelo sul-africano Raven Klaasen e austríaco Oliver Marach, os cabeças de chave 3 da competição, por uma vaga na grande decisão. O brasileiro e o polonês vão em busca de mais uma final no ano. Antes da pausa no circuito, o time foi campeão do ATP 500 de Acapulco, no México.

Marcelo Demoliner e Matwe Middelkoop também seguem vencendo. Disputando o ATP 500 de São Petersburgo, a dupla superou o norte-americano Taylor Fritz e o britânico Cameron Norrie num duplo 6/4, também se garantindo na semifinal. Seus adversários no sábado serão o cazaque Alexander Bublik e o norte-americano Reilly Opelka, que superaram os russos Khachanov/Rublev em dois sets a um.

Campeões do ATP 250 de Córdoba, na Argentina, Demoliner e Middelkoop buscam retomar os resultados daquela semana. Na temporada, o gaúcho e o holandês têm 9 vitórias e 11 derrotas em chaves principais.