Duplas de Melo e Soares param na estreia em Toronto

A quinta-feira não foi feliz para os brasileiros no Canadá. As duplas dos mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo caíram nos detalhes na estreia do Masters 1000 de Toronto, dando um amargo adeus à competição.

brunojamiewimbledon

Foto: Clive Brunskill/Getty Images Europe

Primeiros em quadra, Bruno Soares e Jamie Murray foram superados pela dupla formada pelo croata Nikola Mektic e o austríaco Alexander Peya em sets diretos, num duplo 6/4. Um único break point logo no primeiro game foi o suficiente para Mektic e Peya levarem o primeiro set, salvando quatro chances de quebra no caminho. No segundo, Bruno e Jamie não conseguiram converter as chances que tiveram, enquanto seus adversários precisaram de sete break points ao logo da parcial para conseguir a quebra, que veio no nono game, confirmando a vitória no game seguinte.

Já Marcelo Melo e Lukasz Kubot resistiram mais, caindo no match tie-break para o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus em 6/3, 5/7 e 11-9. Os dois primeiro sets foram conquistados pelas duplas que tiveram as únicas chances de quebra de cada parcial, com Klaasen/Venus quebrando no sexto game do primeiro set e Kubot/Melo levando a melhor no último game do segundo set. Com tudo igual, a partida foi decidida no match tie-break, onde o sul-africano e o neozelandês chegaram a abrir 5-2. O mineiro e o polonês buscaram o resultado, salvando três match points posteriormente, mas caindo numa quebra de saque no fim da partida.

Agora as duplas seguem para o Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, o último torneio que disputarão antes do US Open.  Lá, Soares e Murray defendem o vice-campeonato, enquanto Kubot/Melo foram semifinalistas na última edição.

Anúncios

Soares e Murray levam o título em Washington: “Foi uma baita semana pra gente”

Neste domingo, Bruno Soares e Jamie Murray foram campeões no ATP 500 de Washington, nos Estados Unidos. O brasileiro e o britânico derrotaram a dupla formada por Mike Bryan e Edouard Roger-Vasselin de virada, com parciais de 3/6, 6/3 e 10-4, conquistando seu segundo título na temporada e o oitavo como equipe.

Dj21Yc0XcAArdZb

Foto: Peter Staples/Citi Open

Após um primeiro set dominado por Mike e Roger-Vasselin, com o norte-americano e o francês abrindo duas quebras para levar a parcial, Soares e Murray reagiram no segundo set. A dupla do brasileiro e do britânico conseguiu duas quebras e teve bons games de serviço, perdendo apenas quatro pontos nos seus saques e confirmando a vitória da segunda parcial, empatando a partida. No match tie-break, Bruno e Jamie dominaram do início ao fim, abrindo 5-1 e administrando a vantagem até a conquista do título.

“Foi uma baita semana pra gente. Começamos super bem a temporada de quadra rápida e agora com mais um título de ATP 500. Foi uma final duríssima. Começamos meio devagar, mas terminamos super bem, em um piso que a gente adora jogar. Tenho muita coisa positiva pra tirar daqui”, analisou o brasileiro após a vitória.

O título em Washington foi o 28º conquistado por Bruno Soares na carreira, sendo sua 55ª final. “São números que eu nunca sonhei em alcançar, estou muito feliz com tudo isso. Agora vamos correr pra Toronto, a gente não para. Vamos tentar manter esse embalo”, encerrou Bruno.

Após Toronto, Soares e Murray disputarão o Masters 1000 de Cincinnati antes de irem para o US Open, o último Grand Slam da temporada e torneio no qual foram campeões em 2016.

Entry list – Cincinnati

POS PLAYER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
PARTNER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
TEAM
RANK
1 Marach, Oliver 2 Pavic, Mate 3 959 5
2 Kontinen, Henri 6 Peers, John 5 11
3 Bryan, Mike 1 Sock, Jack 15 14 15
4 Kubot, Lukasz 9 Melo, Marcelo 10 19
5 Schwartzman, Diego 93 12 Thiem, Dominic 196 8 20
6 Murray, Jamie 13 Soares, Bruno 14 27
7 Rojer, Jean-Julien 11 Tecau, Horia 16 27
8 Cabal, Juan Sebastian 12 Farah, Robert 17 29
9 Mahut, Nicolas 7 128 Roger-Vasselin, Edouard 29 36
10 Mektic, Nikola 23 Peya, Alexander 18 41
11 Lopez, Feliciano 22 69 Lopez, Marc 20 42
12 Klaasen, Raven 24 Venus, Michael 19 43
13 Cecchinato, Marco 448 22 Dzumhur, Damir 121 24 46
14 Dodig, Ivan 21 Haase, Robin 34 38 55
15 Khachanov, Karen 76 37 Pouille, Lucas 116 19 56
16 Chung, Hyeon 335 23 Johnson, Steve 91 34 57

ALTERNATES

POS PLAYER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
PARTNER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
TEAM
RANK
17 McLachlan, Ben 25 Middelkoop, Matwe 33 58
18 Carreno Busta, Pablo 69 13 Sousa, Joao 56 45 58
19 Kohlschreiber, Philipp 29 Verdasco, Fernando 85 33 62
20 Querrey, Sam 73 28 Ram, Rajeev 36 64
21 Sitak, Artem 37 Tsitsipas, Stefanos 1030 32 69
22 Bopanna, Rohan 27 Qureshi, Aisam-Ul-Haq 43 70
23 Rublev, Andrey 103 46 Shapovalov, Denis 400 26 72
24 Daniell, Marcus 41 Koolhof, Wesley 40 81
25 Harrison, Ryan 47 57 Monroe, Nicholas 44 91

Entry list – Toronto

PLAYER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
PARTNER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
TEAM
RANK
Bryan, Bob 4 Bryan, Mike 1 5
Marach, Oliver 3 Pavic, Mate 2 960 5
Kontinen, Henri 6 Peers, John 5 11
Herbert, Pierre-Hugues 8 79 Mahut, Nicolas 7 130 15
del Potro, Juan Martin 244 4 Fognini, Fabio 67 14 18
Kubot, Lukasz 9 Melo, Marcelo 10 19
Schwartzman, Diego 91 12 Thiem, Dominic 195 8 20
Murray, Jamie 13 Soares, Bruno 14 27
Rojer, Jean-Julien 11 Tecau, Horia 16 27
Cabal, Juan Sebastian 12 Farah, Robert 17 29
Dodig, Ivan 18 Kyrgios, Nick 128 18 36
Lopez, Feliciano 22 66 Lopez, Marc 20 42
Mektic, Nikola 23 Peya, Alexander 19 42
Klaasen, Raven 24 Venus, Michael 21 45
Cecchinato, Marco 443 22 Dzumhur, Damir 121 24 46
Carreno Busta, Pablo 69 13 Sousa, Joao 59 41 54

ALTERNATES

PLAYER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
PARTNER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
TEAM
RANK
Bopanna, Rohan 27 Roger-Vasselin, Edouard 29 56
McLachlan, Ben 25 Middelkoop, Matwe 31 56
Edmund, Kyle 169 16 Skupski, Neal 45 61
Chardy, Jeremy 154 43 Pouille, Lucas 115 19 62
Querrey, Sam 73 29 Ram, Rajeev 34 63
Sitak, Artem 35 Tsitsipas, Stefanos 1031 32 67
Salisbury, Joe 41 Sharan, Divij 38 79
Khachanov, Karen 76 35 Rublev, Andrey 104 46 81
Daniell, Marcus 47 Koolhof, Wesley 42 89
Granollers, Gerard 157 429 Granollers, Marcel 26 104 183
Nestor, Daniel 125 Pospisil, Vasek 1254 91 216

Bruno e Murray caem nas quartas em batalha de quatro horas: “Foi de cortar o coração”

Em uma batalha de mais de quatro horas, o brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray caíram nas quartas de Wimbledon. Os cabeças de chave 5 foram superados pelo sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus em três sets a dois, com parciais de 6/7(5), 7/6(5), 5/7, 7/6(4) e 6/4.

Bruno+Soares+Day+Eight+Championships+Wimbledon+C5B9hzikZC7x

Foto: Clive Brunskill/Getty Images Europe

“Foi mais uma quartas de cortar o coração aqui”, lamentou Soares, que parou pela quinta vez nas quartas de final do Grand Slam britânico, sendo a sua melhor campanha. O primeiro set foi equilibrado, com ambos os times tendo chances de quebra, mas não convertendo. Com tudo igual, o set foi decidido no tie-break. Lá, Bruno e Murray saíram atrás, perdendo por 1-3, mas contornaram a desvantagem com dois mini-breaks, levando o primeiro set.

“Estava um dia de gala, num cenário perfeito na quadra central. A gente estava jogando super bem e acho que o jogo modificou a dinâmica quando sacamos para o segundo set e perdemos o saque. Se a gente fizesse dois sets a zero era muito difícil a gente perder”, analisou, destacando a quebra que a dupla sofreu no décimo game do segundo set, quando sacavam para confirmar a vitória na parcial. De novo, com tudo igual, a decisão foi para o tie-break, onde cinco dos sete primeiros pontos foram mini-breaks. Klaasen e Venus saíram com a melhor, empatando o jogo em um set a um.

No terceiro, Soares e Murray salvaram quatro break points durante o nono game, ficando firmes no jogo. Poucos games depois, o brasileiro acertou uma bela devolução, quebrando o saque de Klaasen e levando a parcial.

Na frente por dois sets a um, Bruno e Jamie sacaram bem e salvaram o único break point de toda a quarta parcial. Mais um tie-break foi necessário para decidir o set, com Klaasen e Venus abrindo 4-0 e mantendo a vantagem para empatar a partida. Antes do início do quinto set, o teto da quadra central foi fechado pela falta de luz natural. A condições mais rápidas foram positivas para Klaasen e Venus, que chegaram a abrir 4/1 na quinta parcial. Perdendo dois match points no game anterior e sacando para a partida em 5/4, o sul-africano e o neozelandês foram quebrados, perdendo a vantagem. No game seguinte, porém, Soares foi quebrado de zero, com seus adversários avançando para a semifinal de Wimbledon.

“No fim das contas foi um bom torneio chegar às quartas, mas com gosto extremamente amargo. Assim é o esporte. Não dá para se lamentar muito. Tenho que descansar o que der e ficar pronto para a dupla mista amanhã”, finalizou. O mineiro voltará às quadras nesta quarta-feira. Ao lado da russa Ekaterina Makarova, a dupla enfrentará os norte americanos Jack Sock e Sloane Stephens por uma vaga nas quartas da chave de duplas mistas.

Klaasen e Venus seguem na competição, enfrentando o dinamarquês Frederik Nielsen e o britânico Joe Salisbury na semi. Do outro lado da chave, os norte americanos Mike Bryan e Jack Sock medirão forças com os cabeças de chave 15 Dominic Inglot e Franko Skugor. Mike Bryan, que disputa o segundo slam da carreira sem o irmão Bob, voltará a figurar no topo do ranking de duplas na próxima segunda-feira, sendo o número 1 mais velho da histórias das duplas masculinas, superando Daniel Nestor.

Murray/Soares vão às quartas sem perder set; Bruno busca sua primeira semi em Wimbledon

O grande desempenho de Bruno Soares e Jamie Murray em Wimbledon continua. A dupla cabeça de chave 5 derrotou os irmãos britânicos Ken e Neal Skupski em sets diretos, com parciais de 6/3, 6/4 e 6/4, se garantindo nas quartas de final do Grand Slam londrino sem perder nenhum set.

brunojamiewimbledon

Foto: Clive Brunskill/Getty Images Europe

“Foi mais um grande jogo. A gente esperava uma partida bem complicada e conseguimos resolver em três sets, sem passar tanto aperto e jogando bem de novo. Fomos super agressivos no saque e botamos muita bola em jogo na devolução”, analisou Bruno. Das seis chances de quebra que Bruno e Murray tiveram na partida, a dupla converteu três, sendo uma em cada set. Assim como nas outras duas partidas, o brasileiro e o britânico não foram quebrados em nenhum momento, salvando os quatro break points disponíveis para seus adversários.

“Eu tenho um histórico de muitas quartas aqui em Wimbledon e quem sabe esse é o ano de pegar essa semifinal. Estamos jogando bem, estamos confiantes e precisamos seguir desta maneira”, finalizou o mineiro, que parou nas quartas de final de Wimbledon em quatro ocasiões, sendo seu melhor resultado no Grand Slam disputado na grama.

Nas quartas, a dupla enfrentará os vencedores da partida entre os cabeças de chave 13 Klaasen/Venus e Mayer/Sousa. Ainda nesta segunda-feira, Soares voltará em quadra para sua estreia na chave de duplas mistas. Ao lado da russa Ekaterina Makarova, o mineiro encara Peers/Zhang.

Soares e Murray vencem mais uma e vão às oitavas

O brasileiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray fizeram mais uma grande partida em Wimbledon, se garantindo nas oitavas. A dupla superou o australiano Matthew Ebden e o norte-americano Taylor Fritz em sets diretos, com parciais de 7/5, 6/3 e 6/1.

Bruno+Soares+Day+Five+Championships+Wimbledon+BJMKj1n8_Wjx

Foto: Michael Steele/Getty Images Europe

Foi uma partida perfeita de Soares e Murray, com a dupla não dando chance alguma para seus adversários nos games de saque e cedendo apenas 13 pontos no serviço durante toda a partida. Bruno e seu parceiro criaram 14 chances de quebra no saque de Ebden e Fritz, convertendo cinco. “Foi mais um grande jogo aqui. Nós jogamos super bem de novo e estamos bem felizes com esse resultado, em três sets novamente. Sacamos muito bem e não cedemos nenhum break point, aproveitando para guardar o máximo de energia possível para a próxima rodada”, disse Bruno após a vitória, enfatizando o bom desempenho no serviço.

Nas oitavas, Soares e Murray enfrentarão os irmãos Ken e Neal Skupski, que vêm de boas campanhas na grama, fazendo final no ATP 250 de Eastbourne. “Não é surpresa alguma enfrentar os Skupski nas oitavas. A dupla joga super bem na grama e vem evoluindo a cada ano. Os dois juntos fizeram quartas no ano passado, perdendo um jogo duríssimo para o Marcelo e o Kubot. Eles vêm se firmando. São muito bons e agressivos na grama. Temos outro jogo complicado, mas vamos seguir a nossa estratégia. As coisas que a gente vem fazendo tem dado certo e vamos aproveitar para descansar no domingo, estudar bem as jogadas deles e entrar com tudo na segunda”, finalizou o mineiro.

Além das duplas masculinas, Bruno também disputa a chave de duplas mistas. Ao lado da russa Ekaterina Makarova, o brasileiro enfrentará John Peers e Shuai Zhang na estreia.

Demoliner e Gonzalez se garantem na segunda rodada

Após conquistarem o título no ATP 250 de Antalya, na Turquia, o brasileiro Marcelo Demoliner e seu parceiro, o mexicano Santiago Gonzalez, estrearam com vitória em Wimbledon. A dupla derrotou o romeno Marius Copil e o grego Stefanos Tsitsipas em três sets a zero, com parciais de 6/4, 6/4 e 6/2.

Dg4FvMUX4AA-4Fk

Foto: Gokhan Taner/Antalya Open

Foi uma partida sólida de Demoliner e Gonzalez, que perderam apenas 19 pontos no serviço durante toda a partida. Seus adversários tiveram apenas uma chance de quebra, durante o segundo set, que não foi convertida. Com uma quebra nos dois primeiros sets e abrindo 5/1 no terceiro, o gaúcho e o mexicano dominaram a partida, fechando em 1h29.

“A gente vem bastante confiante da semana passada, é sempre bom chegar com um título, ainda mais para mim, que foi o meu primeiro em ATP. Hoje, fizemos um jogo muito sólido, estamos jogando super bem nos últimos torneios”, disse Demoliner em entrevista para o Sportv. O gaúcho também comemorou a parceria com Gonzalez. “É bom ter finalmente achado alguém fixo pra jogar, estava na procura. Já tinha jogado com 13 parceiros diferentes em 2018. Nós vamos continuar com a parceria”, finalizou.

Na próxima rodada, a dupla enfrentará os cabeças de chave 15 Dominic Inglot e Franko Skugor, que acontecerá nesta sexta-feira, por volta 9h.

Atuais campeões, Melo e Kubot vencem na estreia em Wimbledon

Marcelo Melo e Lukasz Kubot iniciaram bem a defesa de título em Wimbledon. A partida, que teve início na quarta-feira e foi interrompida pela chuva, foi retomada nesta quinta-feira, com o brasileiro e o polonês derrotando os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara em sets diretos, com parciais de 6/4, 6/3 e 7/5.

341175_805438_estreia_wimbledon2018

Foto: Adam Warner/Wimbledon

No primeiro set, Melo e Kubot chegaram a abrir 4/1, mas os britânicos devolveram a diferença pouco depois, empatando o set. No décimo game, porém, a dupla do brasileiro voltou a quebrar, levando a parcial.  O segundo set contou com ótimos saques de Melo e Kubot, que perderam apenas quatro pontos no serviço. A dupla aproveitou uma das duas chances de quebra disponíveis no sexto game, sendo o suficiente para ganhar o set.

Na terceira parcial, as duplas seguiram confirmando seus saques sem dar oportunidades para os adversários. A chuva veio durante o oitavo game, com Melo e Kubot sacando em 40-40, continuando no dia seguinte. A partida retornou com os times ainda não dando break points em seus saques, até que no 11º game o brasileiro e o polonês conseguiram quebrar os britânicos, fechando a partida logo na sequência.

“Jogamos muito bem ontem (quarta). Voltamos muito bem hoje também. Por mais que estivesse 40 iguais, era um momento de nervosismo, sabendo que um break ali poderia já custar o set. Conseguimos manter a calma e jogar bem os pontos importantes. E quebrar, para terminar o set, o que foi também bom para nós, já que devemos voltar a jogar amanhã (sexta), não é certeza ainda. Foi bom passar por esse teste, de ter parado o jogo, de ter voltado. Jogamos bem os dois dias e estamos muito felizes com a estreia”, disse Melo.

Na segunda rodada, Melo e Kubot enfrentarão a dupla formada pelo israelense Jonathan Erlich e o polonês Marcin Matkowski. “Temos um jogo muito duro agora pela frente, contra o Matkowski e o Erlich, dois duplistas que jogam bem. Então temos de entrar bem preparados de novo, para ter chance de passar para a terceira rodada”, completou o mineiro.

Guia das duplas – Wimbledon 2018

0006P7OZ1IFNYXR0-C122-F4

Foto: PAP/EPA

Os campeões
[2]Marcelo Melo e Lukasz Kubot

O brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot são os atuais campeões de Wimbledon. Na preparação para o Grand Slam da grama, a dupla disputou dois torneios, parando na semifinal do ATP 250 de ‘s-Hertogenbosch e conquistando o título no ATP 500 de Halle.

“Pisar aqui como campeão foi bem diferente. É uma sensação extrema de alegria. Lembrei praticamente de todos os momentos que tive no ano passado e isso dá muita energia, força positiva para este ano. Vamos ficar com os pés no chão, saber que é jogo por jogo, que temos de buscar manter o nosso desempenho para ir o mais longe possível. Estamos tranquilos para começar”, disse o mineiro.

Jogando em sua superfície favorita, o time terá a difícil missão de defender o título. Na primeira rodada, Melo e Kubot enfrentarão os britânicos Jonny O’Mara e Luke Bambridge, que vão para Wimbledon com o troféu de campeões de Eastbourne no bolso, onde disputaram o primeiro torneio do nível ATP de suas carreiras. Nas oitavas, o brasileiro e o polonês podem enfrentar [16]Mirnyi/Oswald, os quais derrotaram nas quartas de Halle. Na semi, a dupla pode enfrentar os cabeças de chave 3 Henri Kontinen e John Peers, que foram campeões no ATP 500 de Queen’s.

Projeção:
R1: Bambridge/O’Mara
R2: Erlich/Matkowski ou Eysseric/Nys
Oitavas: [16]Mirnyi/Oswald
Quartas: [7]Bryan/Sock, [11]Cuevas/Granollers
Semi: [3]Kontinen/Peers, [8]Mektic/Peya, [10]Dodig/Ram, [15]Inglot/Skugor

Os brasileiros
[5]Bruno Soares e Jamie Murray
O mineiro Bruno Soares e o escocês Jamie Murray saíram de uma temporada “frustrante” no saibro, como disse Soares em diversas entrevistas, para uma boa semana em Queen’s, onde terminaram o torneio com o vice-campeonato. “Fizemos quatro jogos na grama em um ATP 500 duríssimo. Estou me sentindo bem preparado para Wimbledon. Estou empolgado em jogar mais um Grand Slam na temporada e sentindo que estamos jogando bem, em um piso que temos bom rendimento”, comentou Bruno.

Com apenas uma segunda rodada para defender, a dupla terá uma boa oportunidade para somar pontos no ranking. Nas duas primeiras rodadas, o time enfrentará duplas formadas por simplistas, tendo que lidar com muita potência nos golpes. Soares e Murray podem ter Marach/Pavic, campeões do Australian Open e dupla número 1 da temporada, logo nas quartas. As duplas se enfrentaram em Queen’s, com vitória do mineiro e do britânico.

Projeção:
R1: Lorenzi/Ramos-Vinolas
R2: Ebden/Fritz ou Gojowczyk/Paire
Oitavas: [9]Qureshi/Rojer
Quartas: [1]Marach/Pavic, [13]Klaasen/Venus
Semi: [4]Herbert/Mahut, [6]Cabal/Farah, [12]Bopanna/Roger-Vasselin, [14]McLachlan/Struff

Marcelo Demoliner e Santiago Gonzalez
O gaúcho Marcelo Demoliner tem Wimbledon como seu melhor Grand Slam, atingindo oitavas de final por duas vezes. Ao lado do mexicano Gonzalez, o brasileiro conquistou seu primeiro título de ATP em Antalya, na Turquia, indo confiante para Londres. A dupla, porém, tem caminho complicado, podendo enfrentar Inglot/Skugor logo na segunda rodada, os atuais campeões de s-Hertogenbosch, e Kontinen/Peers nas oitavas.

Projeção:
R1: Copil/Tsitsipas
R2: [15]Inglot/Skugor ou Fucsovic/Zverev
Oitavas: [3]Kontinen/Peers
Quartas: [8]Mektic/Peya, [10]Dodig/Ram
Semi: [2]Kubot/Melo, [7]Bryan/Sock, [11]Cuevas/Granollers, [16]Mirnyi/Oswald

Ausências
As três principais ausências da chave de Wimbledon também não disputaram Roland Garros:

  • Bob Bryan segue se recuperando de uma lesão no quadril sofrida durante o Masters 1000 de Madri, com Mike disputando o Grand Slam inglês ao lado do compatriota Jack Sock.
  • Horia Tecau, campeão de Wimbledon em 2015 e finalista em outras três vezes, também continua se recuperando de lesão, com retorno previsto para Washington, em Julho. Seu parceiro, o holandês Jean-Julien Rojer, continuará ao lado do paquistanês Aisam-ul-Haq Qureshi até o retorno de Tecau.
  • Leander Paes não disputa um torneio desde a Copa Davis contra a China, no início de Abril. Ainda sem justificar sua ausência no circuito, Paes confirmou presença nos Jogos Asiáticos, que acontecerão durante Agosto e Setembro.

Quem é vivo, sempre aparece
A chave de Wimbledon conta com alguns campeões do passado. O dinamarquês Frederik Nielsen, campeão da edição de 2012 (ao lado do britânico Jonathan Marray), recebeu um convite da organização para disputar a chave de duplas com o inglês Joe Salisbury. Com Salisbury, Nielsen foi campeão em dois challengers recentemente, sendo um deles em Nottingham, na grama. O dinamarquês, após o título em Wimbledon, resolveu tirar o foco nas duplas e tentar uma carreira em simples, disputando menos ATPs.

Outro campeão presente é o austríaco Jurgen Melzer, que conquistou o troféu em 2010. Sem disputar Wimbledon desde 2015 e sofrendo com muitas lesões nos últimos anos, Melzer volta ao torneio londrino com um convite dado pela organização, disputando ao lado do veterano Daniel Nestor, bicampeão em Wimbledon e que joga sua última temporada da carreira.

É importante lembrar
Ao contrário dos outros três Grand Slams, Wimbledon tem os jogos de duplas disputados numa melhor de 5 sets, com o 5º sendo longo, ou seja, sem a disputa de tie-break.

Melhores jogos de primeira rodada
[6]Cabal/Farah x Carreno Busta/Garcia-Lopez
[8]Mektic/Peya x Melzer/Nestor
[9]Qureshi/Rojer x Ferrer/Lopez
[10]Dodig/Ram x Haase/Lindstedt
[13]Klaasen/Venus x Bolt/Hewitt

Onde assistir
Sportv é o detentor dos direitos de transmissão de Wimbledon no Brasil, com a competição sendo transmitida no Sportv3. Para assistir mais jogos, você pode fazer um pequeno depósito no Bet365, onde é possível ver todas as quadras televisionadas.