Mineiros vão à semi de Xangai; Kubot/Melo se garantem no Finals

A sexta-feira foi vitoriosa para os mineiros na China. Disputando o Masters 1000 de Xangai, as duplas de Marcelo Melo e Bruno Soares avançaram às semifinais do torneio, podendo se enfrentar numa eventual decisão. O resultado na Ásia foi ainda mais especial para Melo e seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, que garantiram a vaga no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada em Londres, ao derrotarem a dupla do croata Ivan Dodig e do eslovaco Filip Polasek em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/6.

kubot-melo-shanghai-2019-draw-preview

Foto: Kevin Lee/Getty Images

“Hoje fizemos mais um belo jogo. Acho que foi bem diferente de Pequim. Conseguimos colocar nosso jogo em prática desde o começo. Estávamos nos sentindo muito bem. As condições mais rápidas aqui também ajudaram bastante. Fizemos alguns ajustes, comparado à final, e acabou dando muito certo”, explicou Marcelo, lembrando da última semana, na qual enfrentaram Dodig e Polasek na decisão de Pequim.

“Estamos muito felizes de passar à semifinal e também com essa vitória ficamos sabendo que classificamos para o Finals. Então, duplamente feliz hoje e vamos com tudo amanhã (sábado) na semi”, comemorou o mineiro. Os cabeças de chave 2 enfrentarão a dupla dos franceses Nicolas Mahut e Edouard Roger-Vasselin por uma vaga na final do Masters 1000.

Melo e Kubot se classificaram para o Finals em todos os três anos de parceria e formam a segunda dupla a se garantir nesta edição do torneio, se juntando aos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah. Marcelo vai para seu sétimo Finals seguido, se classificando em todas as edições desde 2013, enquanto o polonês disputará pela sexta vez no total.

Quem também está na semifinal de Xangai é o time de Bruno Soares e Mate Pavic. O mineiro e o croata fizeram uma partida impecável contra Cabal e Farah, eleita a melhor dupla da temporada após a conquista de dois Grand Slams, vencendo os colombianos em 6/4 e 6/2.

O desempenho animou Soares, que comemorou o grande resultado. “Foi um jogaço da nossa parte, atuamos super bem. Foi uma vitória que veio em boa hora para ajudar a consolidar o que eu vinha falando, que a gente estava jogando em um nível alto. Essa é minha segunda semifinal de Masters 1000 com o Pavic, fizemos também em Cincinnati. Tomara que a gente consiga ir ainda mais longe dessa vez”, afirmou o mineiro.

Para chegar na final, Soares terá que enfrentar Jamie Murray, seu ex-parceiro. O britânico, que joga ao lado do compatriota Neal Skupski, superou os cabeças de chave 4 Raven Klaasen e Michael Venus em 6/3 e 7/6.

Melo e Kubot ficam com o vice na China

Não deu para Marcelo Melo e Lukasz Kubot na China. Disputando a final do ATP 500 de Pequim, a dupla cabeça de chave 2 foi superada pelo croata Ivan Dodig e o eslovaco Filip Polasek em sets diretos, com parciais de 6/3 e 7/6. Agora, o mineiro e polonês seguem para Xangai, onde disputarão o Masters 1000 que finaliza a gira asiática.

5057-ifrwayw0649026

Foto: IC Photo/China Open/Sina Sports

Melhores no primeiro set, Dodig e Polasek abriram uma quebra no sexto game. Melo e Kubot chegaram a ter chances de devolver a diferença, mas seus adversários continuaram superiores na parcial e confirmaram seus serviços, vencendo o set. Confiantes, o croata e o eslovaco chegaram a abrir 2/0 no segundo set, mas Marcelo e Kubot voltaram com tudo na parcial, vencendo quatro games seguidos e abrindo 4/2. O mineiro e o polonês chegaram a ter uma chance de fechar o set, mas viram seus adversários devolverem a quebra e levar a decisão da parcial para o tie-break, onde venceram a partida.

“Hoje acho que ele foram superiores. Nós não estávamos tão afinados como nos jogos anteriores. Mesmo assim tivemos uma bela chance no segundo set, que foi sacar para o set e não conseguimos aproveitar o set point. E dupla de alto nível é assim mesmo. Na semi, recuperamos um jogo perdido. Agora tivemos a oportunidade de levar para o match tie-break, mas não deu. Faz parte. Eles vêm jogando muito bem também. Jogo decidido nos detalhes. Realmente tiveram o mérito da vitória, aproveitaram que não estávamos tão bem para levar o título”, analisou Marcelo logo após a partida.

“Agora é seguir firme para Xangai. De qualquer maneira foi uma bela semana, ganhamos bons jogos e jogamos bem. Hoje mesmo estamos indo para Xangai, para treinar lá e tentar defender o título”, completou o mineiro. No Masters 1000, a dupla estreará contra os convidados da organização, o croata Borna Coric e o chinês Runhao Hua. Melo e Kubot são os atuais campeões do torneio, tendo superado Bruno Soares e Jamie Murray na final de 2018.

O mineiro Soares, ao lado do croata Mate Pavic, já estreou em Xangai, vencendo os franceses Adrian Mannarino e Gael Monfils num duplo 6/3. Na próxima rodada, o time do brasileiro enfrentará os vencedores do duelo entre Chardy/Martin e Hurkacz/Paire. Em busca da defesa dos pontos e de uma finalização de ano forte para a sua dupla engrenar, Bruno poderá ter os embalados colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah no seu caminho logo nas quartas.

Melo e Kubot buscam o bicampeonato em Pequim

Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão na final do ATP 500 de Pequim, na China. Atuais campeões do torneio, os cabeças de chave 2 superaram a dupla russa de Karen Khachanov e Andrey Rublev em sets diretos, num duplo 7/5. Na decisão, o mineiro e o polonês enfrentarão os vencedores da partida entre os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski e o time do croata Ivan Dodig e o eslovaco Filip Polasek.

369940_911066_marcelo_pequim

Foto: Divulgação

O primeiro set contou com uma excelente reação de Melo e Kubot. Após estarem atrás no placar por 5/1, com seus adversários afiados na devolução, o mineiro e o polonês buscaram a virada. Foram seis games seguidos para selar a vitória na primeira parcial, com direito a dois set points salvos. No segundo, os times dividiram a liderança durante o set, com duas quebras cada. Foi no 11º game, porém, que uma terceira quebra veio a favor de Melo e Kubot, confirmando a vitória da partida no game seguinte.

“Foi duríssimo. Conseguimos buscar o primeiro set de 5 a 1 abaixo. Quem acompanhou ao vivo presenciou um belo jogo de duplas, vários pontos longos. São dois jogadores muito sólidos de fundo, sacam muito bem. Jogamos muito bem também, voltando, ficando no jogo. Acho que o mais importante foi nossa experiência como duplistas, jogando mais tempo junto, contou muito hoje. Logicamente estivemos bem taticamente, agressivos”, resumiu Marcelo, feliz com o resultado.

“Uma vitória que dá ainda mais ânimo. Estar 5 a 1 abaixo, marcar 7 a 5 depois. Ter a tranquilidade no segundo set de conseguir um break acima, aí eles voltaram, passaram de novo um break acima. Para ver o nível que estava, realmente ponto a ponto, disputado. E ficamos ainda mais felizes com essa vitória, por ter tantas idas e voltas durante os games. São dois jogadores de alto nível. Agora é ir com tudo na final domingo”, completou.

Melo e Kubot disputarão sua quarta final da temporada, tendo conquistado o título no ATP 250 de Winston-Salem e ficando com o vice no ATP 500 e no Masters 1000 de Indian Wells.

Melo e Kubot vão à semi de Pequim

Marcelo Melo e Lukasz Kubot se garantiram na semifinal do ATP 500 de Pequim, na China. Em excelente partida, os cabeças de chave 2 superaram a dupla da casa Mao-Xin Gong e Ze Zhang em sets diretos, com parciais de 6/1 e 7/5 e pouco mais de uma hora. Atuais campeões de Pequim, Melo e Kubot buscam defender o título e se aproximar mais da classificação para o ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas em Londres, na Inglaterra.

melo-kubot-beijing-2019-thursday

Foto: China Open

A partida foi marcada pelo bom desempenho do mineiro e do polonês, principalmente na primeira parcial. Implacáveis, Melo e Kubot quebraram seus adversários por duas vezes e levaram o set em 6/1, perdendo apenas três pontos em seus games de saque e não dando nenhuma chance para os chineses. No segundo set, o equilíbrio apareceu mas a superioridade dos atuais campeões prevaleceu com o brasileiro e o polonês sacando muito bem. A quebra a favor da dupla aconteceu no 11º game, vindo a confirmação da vitória no game seguinte.

“Jogamos muito bem o primeiro set. Fomos muito superiores. No segundo tivemos uma pequena chance na metade, não conseguimos aproveitar. Eles começaram a jogar melhor. A quadra estava quase lotada. Logicamente, na China, contra dois chineses. Acabou sendo bem legal, com uma atmosfera muito boa. Aí aproveitamos a segunda oportunidade, que foi o primeiro break point, no 5/6. Lukasz devolveu muito bem, 30/40, e eu saquei para fechar o jogo também muito bem”, resumiu o brasileiro.

Na próxima rodada, Melo e Kubot enfrentarão os russos Karen Khachanov e Andrey Rublev, responsáveis pela eliminação de Alexander Zverev e John Isner nas quartas. “Estamos muito felizes. É seguir adiante. Agora, na próxima rodada, dois jogadores de simples, o Karen e o Rublev. Jogam simples, mas tem também o costume de jogar dupla juntos. São perigosos. Velocidade de bola muito alta. Então temos de estar bem preparados”, completou Melo.

36 momentos de Marcelo Melo

  1. Quando ele não aguentava mais escutar ‘Ricardo Mello’
  2. Ou quando ele virou ator global
  3. Ou até mesmo quando ele virou eco. Marcelo celo elo elo elo…
    View this post on Instagram

    Acapulco 2015 !!

    A post shared by Marcelo Melo (@marcelomelo83) on

  4. E aquela vez que ele virou outro animalCG_12dCUcAAo6P2
  5. Quando a bolinha foi embolsada
    bola
  6. Quando ele tentou ganhar o coração de André Sá e foi rejeitado
  7. Quando a Billie Jean King flagrou ele dormindo
  8. Quando ele mostrou que é o Elton John nacional
  9. Quando ele faz pontos incríveis de um modo casual
  10. Quando ele dá uma daquelas entre as pernas
  11. Uma coisa que acontece sempre
  12. Sempre MESMO
  13. Tipo, MUITO
    copadavis
  14. Praticamente o rei disso
    rg16
  15. Quando ele deu uma capotada básica em Auckland
  16. Quando ele precisou abaixar no discurso
  17. Quando um gato quase perdeu uma das sete vidas num smash dele
  18. Quando a coberturinha era muito baixa pra ele
  19. Quando ele e o Kyrgios pagaram flexão no meio da partida
  20. Quando a ATP pediu pra ele cantar uma música de Natal em inglês
  21. Quando ele mostrou todo o gingado
  22. Quando ele perdeu pro Sascha no jogo da torta na cara
  23. Quando ele tomou um saque do Kubot na cabeça e precisou de um saquinho de gelo
  24. Quando ele se empolga na Copa Davis
  25. Quando ele desejou um feliz dia das mães pra Dona Roxane ♥
  26. Quando ele foi zoado pelo amigo em plena premiação
  27. Quando ele foi definido como ‘girafa com mãos de polvo’
    ezgif-4223956446
  28. Quando ele precisa colocar um monte de toalha pra sentar, já que os bancos são muito pequenos para ele
  29. Quando ele descobriu que não sabia pronunciar ‘Aegon’
  30. Quando ele resolveu atrapalhar a entrevista do Cilic
    marcelo marin atrás
  31. Quando ele foi visitar as amigas girafas no zoológico
  32. Quando ele quebrou o microfone e teve que usar o do Schwartzman… desse jeito
    marcelo diego
  33. Quando ele, cansado de tomar bolada do Kubi na cabeça, apareceu no treino de capacete
    marcelo capacete
  34. Quando ele não fazia a menor ideia do que era Spice Girls
  35. Mas os melhores momentos foram quando ele ganhou Roland Garros…
    rg18
  36. …e realizou o sonho de ganhar Wimbledon! Você merece, Marcelo. 🙂

Melo e Kubot param nas oitavas do US Open

Marcelo Melo e Lukasz Kubot pararam nas oitavas de final do US Open. Neste domingo, os cabeças de chave 2 foram superados pelo argentino Leonardo Mayer e o português João Sousa em 7/6 e 6/3, encerrando a sua participação no último Grand Slam do ano.

367804_903619_marcelomelo83_20190901171512_01

Foto: Daniel Kelly/Divulgação

O primeiro set começou equilibrado, com Melo e Kubot conseguindo uma quebra no nono game e tendo a chance de sacar para fechar o set logo em seguida. Mayer e Sousa, porém, conseguiram devolver a diferença e levar a decisão para o tie-break. Lá, os adversários saíram na frente desde o início e se fecharam a parcial. No segundo set, o argentino e o português incomodaram o serviço da dupla do brasileiro, conseguindo uma quebra no terceiro game. Melo e Kubot se seguraram na partida e chegaram a salvar dois match points, mas Mayer e Sousa quebraram mais uma vez e conquistaram a vaga nas quartas de final.

“Uma pena. A quadra estava lotada hoje e valeu pela torcida. Agora é seguir”, afirmou Marcelo, que antes do jogo levou três pontos no supercílio após ter acertado a raquete em seu rosto durante o aquecimento. O próximo torneio da dupla será no final deste mês, iniciando a gira asiática no ATP 500 de Pequim, na China. Antes, Marcelo representará o Brasil na Copa Davis em confronto contra Barbados, nos dias 13 e 14.

 

Melo e Kubot avançam às oitavas do US Open; Pavic/Soares dão adeus

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram mais uma no US Open. Disputando o último Grand Slam da temporada, os cabeças de chave 2 superaram a dupla do eslovaco Jozef Kovalik e o espanhol Albert Ramos-Vinolas em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4. Campeões no ATP 250 de Winston-Salem, Melo e Kubot somam seis vitórias consecutivas na gira americana.

EDUbRf8UYAEi98e

Foto: ATP

Foi mais uma ótima atuação da dupla, que continua confiante em quadra. Melo e Kubot iniciaram o primeiro set bem e convertendo a única chance de break point de toda a parcial no segundo game, sendo o suficiente para a dupla fechar em 6/3. Já o segundo set foi mais equilibrado, com Kovalik e Ramos apresentando mais resistência. Foram duas trocas de quebras para cada time no início da parcial, incluindo um longo primeiro game e também os adversários abrindo 3/1, mas foram Melo e Kubot que saíram por cima, conseguindo uma outra quebra no nono game e fechando a partida logo em seguida.

Na próxima rodada, a dupla enfrentará o argentino Leonardo Mayer e o português João Sousa, responsáveis pela eliminação dos cabeças de chave 14, Henri Kontinen e John Peers, no tie-break do terceiro set, em 3/6, 6/3 e 7/6.

Bruno Soares e Mate Pavic não tiveram o mesmo fim. O brasileiro e o croata foram superados pela dupla do salvadorenho Marcelo Arevalo e o britânico Jonny O’Mara em sets diretos, com parciais de 7/6 e 6/4.

“Foi uma pena, mais um jogo em que a história se repete. Jogamos melhor do que eles no primeiro set, mas faltou capitalizar. Infelizmente não conseguimos matar o primeiro set e custou o jogo. Eles jogaram super bem o segundo. Fica o gostinho de quero mais. Estamos muito perto de começar a jogar muito bem e de conquistar algo grande. É o momento de ter paciência, seguir trabalhando duro e reverter essa situação”, analisou o brasileiro. Bruno segue nas duplas mistas, onde disputa ao lado da norte-americana Nicole Melichar.

Duplas de Melo e Soares estreiam com vitória; Demoliner cai

Os jogos de duplas começaram a ser disputados em Nova Iorque e o Brasil já estreou as suas três equipes. Os times de Marcelo Melo e Bruno Soares avançaram para a próxima rodada, enquanto Marcelo Demoliner se despediu da chave de duplas masculinas.

Marcelo+Melo+2018+Open+Day+11+TS4PsTokzaIx

Foto: Elsa/Getty Images North America

Nesta sexta-feira, em ótima partida, Marcelo Melo e Lukasz Kubot confirmaram o favoritismo e derrotaram a dupla formada pelo ucraniano Denys Molchanov e o neozelandês Artem Sitak em sets diretos, com parciais de 6/2 e 6/4. O mineiro e o polonês continuaram a série de bons jogos conseguidos no título em Winston-Salem, na semana passada, e impuseram seu ritmo durante toda a partida, dominando do início ao fim.

“Estamos muito felizes aqui com a primeira vitória. Fizemos um belo jogo, diante de dois duplistas que vêm jogando bem também. O importante é seguir nesse ritmo que temos mantido desde a semana passada, com o título em Winston-Salem. Muitos brasileiros aqui torcendo. Agora é focar na próxima rodada”, afirmou Marcelo, satisfeito com a performance na estreia. Neste sábado, o time enfrentará o eslovaco Jozef Kovalik e o espanhol Albert Ramos-Vinolas por uma vaga nas oitavas.

Quem também venceu foi a dupla do mineiro Bruno Soares e do croata Mate Pavic, que superou os chilenos Cristian Garin e Nicolas Jarry de virada, com parciais de 3/6, 7/5 e 6/0. A partida foi marcada pela resiliência de Soares e Pavic, que conseguiram ficar na partida mesmo com seus adversários em alta.

“Hoje foi um dia de superação, viramos na garra e na atitude. Ficamos no jogo, aguentando, e os caras estavam jogando super bem, sem dar muita chance. Nós não tivemos o melhor início de jogo, mas persistimos e ganhamos o segundo set, terminando com um terceiro espetacular. Fiquei muito feliz com essa virada. A nossa situação estava bem complicada, com os caras jogando em um nível altíssimo e a gente lutando por cada ponto”, resumiu Soares, comemorando a persistência do time. Também amanhã, Bruno e Pavic voltarão em quadra para enfrentar o salvadorenho Marcelo Arevalo e o britânico Jonny O’Mara.

A última quinta-feira, porém, marcou a eliminação de Marcelo Demoliner e do britânico Dominic Inglot, que foram superados pelos alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies em 6/4 e 7/5. O gaúcho segue na chave de duplas mistas, na qual avançou para a segunda rodada ao lado da chinesa Yingying Duan. Bruno Soares também avançou nas mistas, disputando o torneio com a norte-americana Nicole Melichar.

Guia das duplas – US Open 2019

Os atuais campeões
Mike Bryan e Jack Sock são os atuais campeões do US Open. Bob e Mike Bryan já estão de volta e buscam recuperar sua forma do primeiro trimestre, enquanto Jack Sock continua tendo dificuldades para retornar ao circuito após lesão. A estreia de Sock, que disputa o torneio ao lado do compatriota Jackson Withrow, será complicada, já que enfrentarão Ivan Dodig e Filip Polasek, que estão em grande fase. Já os gêmeos terão a potência de Hurkacz e a habilidade de Pospisil pela frente na primeira rodada. As duplas, aliás, estão no mesmo quadrante, podendo se enfrentar logo nas oitavas de final.

20180907 Lukasz Kubot and Marcelo Melo v Mike Bryan and Jack Sock - Day 12

Foto: US Open/Divulgação

Os brasileiros
O sorteio não foi nada agradável para as duplas dos brasileiros, que acabaram caindo no mesmo quadrante. Melo, Soares e Demoliner, caso avancem, terão que se enfrentar a partir das oitavas de final, antecipando confrontos que poderiam acontecer nos estágios finais do torneio. No entanto, os cabeças de chave mais perigosos, como Cabal/Farah, Rojer/Tecau, Bryan/Bryan e Dodig/Polasek ficaram na outra metade da chave, possibilitando um avanço em Nova Iorque.

  • Marcelo Melo e Lukasz Kubot, os cabeças de chave 2 e atuais vice-campeões do US Open, vêm de vitória no torneio de Winston-Salem, nos Estados Unidos. Conquistando seu primeiro troféu do ano, a dupla está com a confiança alta, tendo feito bons jogos na cidade americana. Em Nova Iorque, o sorteio foi bom para o brasileiro e o polonês, com seu primeiro grande desafio sendo nas oitavas, contra a sempre complicada dupla de Henri Kontinen e John Peers.
  • Bruno Soares e Mate Pavic finalmente acharam sua sintonia em quadra. Após um começo conturbado, com o desempenho em quadra não refletindo em resultados, a dupla conseguiu sua primeira grande campanha em Cincinnati, parando na semifinal. No US Open, o mineiro e o croata estreiam contra os simplistas Jarry/Garin, sendo um teste e uma boa maneira de começar o campeonato.
  • Já Marcelo Demoliner estará ao lado do potente britânico Dominic Inglot, dono de um dos serviços mais pesados do circuito. A dupla disputou o torneio de Winston-Salem como preparação para o US Open, caindo pra Kubot/Melo na estreia. Treinando em Nova Iorque em busca do ritmo, a primeira rodada do gaúcho e do britânico será contra os campeões de Roland Garros, Krawietz/Mies. Será a terceira vez no ano que Demoliner enfrentará os alemães, saindo vitoriosos nas outras duas vezes.

Projeção de [2]Kubot/Melo
R1: Molchanov/Sitak
R2: Kovalik/Ramos-Vinolas ou Lindstedt/Oswald
Oitavas: [14]Kontinen/Peers
Quartas: [6]Pavic/Soares, [12]Krawietz/Mies, Demoliner/Inglot
Semi: [3]Klaasen/Venus, [8]Granollers/Zeballos, [10]Ram/Salisbury, [16]Marach/Melzer

Projeção de [6]Pavic/Soares
R1: Garin/Jarry
R2: Arevalo/O’Mara ou Paire/Zverev
Oitavas: [12]Krawietz/Mies, Demoliner/Inglot
Quartas: [2]Kubot/Melo, [14]Kontinen/Peers
Semi: [3]Klaasen/Venus, [8]Granollers/Zeballos, [10]Ram/Salisbury, [16]Marach/Melzer

Projeção de Demoliner/Inglot
R1: [12]Krawietz/Mies
R2: Krueger/Smyczek ou Damm/Kodat
Oitavas: [6]Pavic/Soares
Quartas: [2]Kubot/Melo, [14]Kontinen/Peers
Semi: [3]Klaasen/Venus, [8]Granollers/Zeballos, [10]Ram/Salisbury, [16]Marach/Melzer

Oi, sumido
Quem vem tendo ótimos resultado num retorno inesperado é o eslovaco Filipe Polasek. O tenista de 34 anos havia parado de jogar tênis em 2013 após um grave problema nas costas, envolvendo seus nervos e os discos, que faziam com que Polasek perdesse o controle de suas pernas depois das partidas. Foi um treino com Mike Bryan na Eslováquia que fez com que o ex-top 20 reconsiderasse a vida de tenista profissional. O norte-americano apontou que Polasek estava batendo bem na bola e que ele com certeza teria nível para um retorno, o que deixou o eslovaco com algumas dúvidas.

Em meados de junho de 2018 o retorno finalmente aconteceu, com Filip recomeçando a sua carreira do zero e disputando futures e challengers. 10 torneios depois o tenista já estava dentro do top 200 e no início de 2019 acabou conquistando seis títulos em challengers, tendo ranking suficiente para finalmente voltar a disputar ATPs, o que aconteceu no 250 de Antalya, na Turquia. Ao lado do croata Ivan Dodig, Polasek saiu com o vice-campeonato no seu primeiro torneio do nível em seis anos. Nos apenas seis torneios ATP em que disputou até agora, o eslovaco conseguiu 19 vitórias e 4 derrotas, incluindo os títulos em Kitzbuhel e Cincinnati, além de uma semifinal em Wimbledon.

O retorno dos franceses
A maior polêmica dos últimos meses envolveu os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut. A dupla disputou seu primeiro torneio juntos em Cincinnati após quatro meses de pausa por Herbert, que preferiu focar no seu jogo de simples. O francês mais novo, porém, acabou disputando outros torneios em duplas, incluindo Wimbledon, o que incomodou Mahut, que foi à publico expressar sua indignação. O incômodo parece ter sido resolvido, já que o time disputou o Masters 1000 americano, data que já estava combinada pela dupla. Resta saber como se sairá a dupla no US Open, tendo o desafio de enfrentar Rohan Bopanna e Denis Shapovalov na estreia.

Melhores jogos
Rojer/Tecau x Chardy/Martin
Herbert/Mahut x Bopanna/Shapovalov
Ram/Salisbury x Harrison/Querrey
Dodig/Polasek x Sock/Withrow
Bryan/Bryan x Hurkacz/Pospisil
Pavic/Soares x Garin/Jarry
Demoliner/Inglot x Krawietz/Mies
Kontinen/Peers x Gonzalez/Qureshi

Onde assistir
O último Grand Slam do ano tem os direitos de transmissão divididos entre o Sportv e a ESPN. É possível ver todas as quadras pela plataforma digital da ESPN, o Watch ESPN, além dos dois canais na televisão. Pelo Sportv, a transmissão fica no terceiro canal. Confira a chave completa de duplas e aproveite tudo de Nova Iorque!

Melo e Kubot levam o título em Winston-Salem

A sexta-feira não foi fácil para Marcelo Melo e Lukasz Kubot, que precisaram superar uma rodada dupla para serem os campeões do ATP 250 de Winston-Salem, nos Estados Unidos. A partida de semifinal, que aconteceria na última quinta-feira, foi adiada por motivos de chuva. Voltando em quadra nesta sexta, o mineiro e o polonês venceram os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski e avançaram à final do torneio, onde superaram os norte-americanos Nicholas Monroe e Tennys Sandgren em 6/7, 6/1 e 10-3.

gettyimages-1169829016-612x612

Foto: Jared C. Tilton/Getty Images

O primeiro set foi muito disputado e não contou com quebras, sendo decidido no tie-break. Lá, Monroe e Sandgren abriram 5-2 antes de conquistarem o set na quarta oportunidade, fechando em 8-6. Na segunda parcial, a chuva chegou a paralisar a final, mas o jogo retornou pouco tempo depois, com a pausa sendo positiva para a dupla de Melo. O mineiro e o polonês souberam aproveitar as chances nos serviços de seus adversários, o que foi crucial para a dupla levar os últimos cinco games do set e empatar a partida. Com a confiança alta, o mineiro e o polonês começaram o match tie-break dominantes, abrindo 5-0. A diferença grande logo no início foi essencial para a dupla, que manteve a performance e selou a vitória, conquistando seu primeiro título do ano.

“Jogamos bem desde o começo. Tivemos duas chances de quebra no primeiro set, mas eles jogaram muito bem e aproveitaram uma oportunidade no tie-break. A chuva acabou nos ajudando muito. Voltamos com muita energia. Conseguimos jogar 100%: não deixamos escapar nenhuma chance, fomos agressivos e isso que culminou no nosso título. Estamos muito felizes e agora vamos com força total no US Open. Fizemos um plano bem feito de vir jogar aqui e chegar lá muito bem preparados”, disse o mineiro, satisfeito com a semana em Winston-Salem.

Este foi o 13º título da dupla de Melo e Kubot e a 13ª temporada consecutiva do brasileiro conquistando pelo menos um troféu por ano. Dos duplistas que estão ativos no circuito, Marcelo é o sexto maior vencedor de torneios, tendo 33 títulos acumulados. Agora a dupla segue para Nova Iorque, onde disputarão o US Open. Melo e Kubot são os atuais vice-campeões do último Grand Slam da temporada, tendo sido superados pelos norte-americanos Mike Bryan e Jack Sock na decisão.