No mínimo esperançoso

O Finals sempre foi definido como ‘o maior palco do tênis’ e dessa vez não foi diferente. Mas os protagonistas mudaram. Um torneio de simples com pouca emoção trouxe os olhares para as linhas maiores da quadra.

O torneio, com a atual diretoria, sempre deu uma atenção especial para as duplas, com uma boa programação e divulgação, atraindo um bom público, mas desta vez foi diferente. Tivemos o mundo inteiro cativado pela velocidade das jogadas e pela qualidade dos jogadores. O público novo identificou-se com o jogo.

Foi uma semana simplesmente brilhante. Foram quinze partidas de altíssima qualidade, disputadas do início ao fim. Mesmo a que apresentou um placar diferente, a semi entre Bryans e Benneteau/Vasselin, contou com pontos fantásticos que tiravam qualquer um da cadeira.

O interessante é que Bob e Mike Bryan, durante a semana, expressaram uma certa preocupação com o futuro das duplas, principalmente pela baixa divulgação dos atletas e inexistência das transmissões de jogos, causando pouco interesse no resto da temporada. Eu diria que o Finals é o modelo perfeito de torneio a ser seguido quanto ao marketing. Não há desvio de atenção, os atletas são os astros e o tênis, tratado como um todo, a atração principal. O público escolhe o que irá consumir de informação, não havendo a imposição de partidas. O que acontece em Londres pode ser visto pelo mundo inteiro, sendo na internet ou na televisão. O esporte se beneficia disso.

Se depender dos atletas e dos fãs, as duplas terão uma longa vida. Se depender da burocracia por trás de todos os contratos de transmissão e da lentidão da ATP quanto ao marketing, podemos começar a temer. Mas esta semana me trouxe um pouco de esperança. Talvez, com tudo o que aconteceu, podemos esperar uma reflexão dos manda chuvas. As duplas podem sim trazer lucro e beneficiar o esporte, basta deixar que os coadjuvantes assumam a posição de protagonistas junto a simples, reconstruindo sua história.

Bryans conquistam o Finals pela quarta vez

Bob e Mike Bryan conquistaram seu quarto título de ATP Finals neste domingo ao derrotar o brasileiro Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig em 2 sets a 1, com parciais de 6/7, 6/2 e 10-7.

melo14finals_gw_16112014018

No primeiro set, Dodig e Melo salvaram quatro break points no 4/3 e confirmaram seus saques, levando para o tie-break e conquistando o set. Os americanos reagiram no segundo, quebrando o saque de Melo em duas oportunidades. A partida foi decidida no match tie-break, que contou com novo mini breaks no total e vitória dos gêmeos.

“Mais uma vez a partida foi decidida nos detalhes. Foi um belo jogo, mas uma pena, mesmo, a vitória ter escapado. Tivemos uma semana fantástica, fizemos excelentes jogos, com boas vitórias”, comentou o mineiro. “Seria melhor a vitória, logicamente. Mas esse ano foi excelente, de superação. Ivan e eu não jogamos alguns torneios grandes juntos, por causa de lesão, porém mesmo assim entramos no Finals. Chegar a decisão é uma satisfação imensa”, completou.

Este foi o décimo título dos Bryan na temporada, finalizada com 64 vitórias e 11 derrotas. Já Marcelo e Ivan fizeram história ao serem os primeiros brasileiro e croata a disputar uma final de duplas no Finals. A última vez que um brasileiro disputou o Finals foi em 2000, com Guga conquistando o torneio.

Bryans vencem e enfrentam Melo na final

Bob e Mike Bryan confirmaram o favoritismo e derrotaram os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin em 2 sets a 0, com parciais de 6/0 e 6/3. Os gêmeos buscam seu quarto título no último torneio do ano.

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Em uma partida marcada por muitos erros e baixo aproveitamento no segundo saque dos franceses, Bob e Mike perderam apenas três pontos em seus primeiros serviços e converteram quatro de cinco break points, enquanto os franceses conquistaram apenas sete pontos no primeiro set. Essa foi a quarta derrota sofrida por Benneteau e Vasselin contra os norte americanos.

Os Bryan retornarão em quadra neste domingo para a decisão contra o brasileiro Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig. As duplas já se enfrentaram em outras seis oportunidades, com quatro vitórias dos gêmeos. A partida acontecerá às 13h30, horário de Brasília, e terá transmissão do canal Sportv2.

Com drama e de virada, Melo e Dodig vencem e avançam para a final

Em partida dramática, Marcelo Melo e Ivan Dodig superaram Lukasz Kubot e Robert Lindstedt, até então invictos, em 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4 e 10-6.

Foto: Gustavo Werneck/VIPCOMM
Foto: Gustavo Werneck/VIPCOMM

“É realmente uma emoção muito grande ir para decisão do Finals. No ano passado, a gente fez vários jogos de alto nível, mas paramos na semifinal. Passar para final é uma bela recompensa pelo ano difícil que tivemos”, destaca Melo. A última vez que o Brasil foi representado na final do torneio foi com Gustavo Kuerten, em 2000, em Lisboa, na antiga Master Cup. Na ocasião, o catarinense conquistou o título.

O primeiro set foi marcado pelo baixo aproveitamento de saque da dupla de Melo, enfrentando seis break points e sendo quebrados no 4/4. No segundo, os papeis se inverteram, com Lindstedt tendo seu saque ameaçado por cinco vezes e sendo quebrado no 4/5, dando a vitória do set para seus adversários e levando a decisão para o match tie-break. Marcelo e Dodig começaram abrindo 6-1 e, mesmo com Kubot e Lindstedt devolvendo dois mini-breaks, o mineiro e o croata administraram a vantagem, fechando em 10-6.

“Foi um jogo muito tenso. Tivemos uma pequena chance no primeiro set, mas não aproveitamos e perdemos. A chave da vitória foi não perder o foco depois de o Ivan ter o saque quebrado. Continuamos focados, acreditando no nosso jogo. Aproveitamos a única oportunidade que tivemos e vencemos o segundo set. Abrimos uma boa vantagem, mas o match tie-break é sempre uma novela. Abrimos 6 a 1 e, logicamente, todos estavam tensos, nervosos. Mas tivemos calma para finalizar”, completa o mineiro.

Com a vitória, Melo e Dodig avançam para a final e esperam os vencedores da partida entre os irmãos Bryan e os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin. A final será neste domingo, às 13h30, com transmissão do Sportv2.

Em partida acirrada, Bryans eliminam Bruno e Peya do Finals

Bruno Soares e Alexander Peya fizeram uma partida acirrada, mas foram eliminados pelos gêmeos americanos Bob e Mike Bryan em 2 sets a 0, com parciais de 7/6(3) e 7/6(2). O confronto valia a classificação para a semifinal do ATP Finals, em Londres.

Apenas o primeiro set apresentou chances de quebra, com Bruno e Peya concretizando uma no segundo game, abrindo 2-0. Porém, os americanos devolveram a quebra logo em seguida, levando para o tie-break. Com duas duplas faltas, uma de Bruno e outra de Peya, os Bryans conquistaram o primeiro set. No segundo, ambos os times seguiram firmes e repetiram o tie-break, com os gêmeos levando a melhor.

Bob e Mike enfrentarão os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin na semifinal, partida que acontece neste sábado, às 16h, horário de Brasília.

Kubot e Lindstedt vencem a terceira e enfrentam Melo na semi

Lukasz Kubot e Robert Lindstedt finalizaram sua campanha na fase de grupos do ATP Finals com três vitórias, liderando o Grupo A da competição. O polonês e o sueco venceram Jean-Julien Rojer e Horia Tecau em 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/6.

Tecau sofreu uma quebra em seu saque no primeiro set, deixando os adversários na vantagem. O romeno voltou a ser quebrado no segundo set, o que não impediu a reação de sua dupla, devolvendo a quebra no saque de Lindstedt e igualando o set. Com os saques sendo confirmados, o set foi para o tie-break, que contou com múltiplos erros de Rojer e Tecau, dando a vitória para os invictos do grupo A.

Kubot e Lindstedt, com a liderança garantida, enfrentarão o brasileiro Marcelo Melo e seu parceiro, o croata Ivan Dodig, na semifinal, programada para este sábado. A outra semifinal contará com os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin e os vencedores de Peya/Soares x Bryan/Bryan, partida que acontece nesta sexta-feira, às 15h45, com transmissão do Sportv2.

Franceses vencem Dodig/Melo e garantem o primeiro lugar

Os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin venceram a dupla formada pelo brasileiro Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig em 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/2 e 10-8, e garantiram a primeira colocação do Grupo B.

No primeiro set, Benneteau teve seu saque quebrado por duas vezes, sendo a última com duas duplas faltas no crucial 4/5, dando a vitória do set para Dodig/Melo. Os franceses voltaram mais seguros em quadra no segundo set, com Benneteau mais participativo e agressivo, encurralando os adversários. O match tie-break foi disputado e, apesar de Marcelo e Dodig terem tomado a vantagem no início, Benneteau e Vasselin retomaram o controle e venceram a partida.

Com o critério de desempate sendo o confronto direto, Benneteau e Vasselin se classificaram em primeiro lugar, seguidos de Dodig e Melo. O brasileiro e o croata enfrentarão Kubot e Lindstedt, enquanto os franceses esperam os vencedores de Peya/Soares x Bryan/Bryan, partida que acontece nesta sexta-feira, às 16h, com transmissão do Sportv2.

Kubot/Lindstedt vencem mais uma e complicam situação de Bruno

A dupla formada pelo polonês Lukasz Kubot e o sueco Robert Lindstedt garantiram uma vaga na semifinal após derrotarem o brasileiro Bruno Soares e o austríaco Alexander Peya em 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6 e 10-6. Com duas vitórias, Kubot e Lindstedt lideram o grupo.

No primeiro set, o polonês e o sueco conseguiram a quebra logo no primeiro game, no saque de Peya, dificultando o trabalho de Bruno e Peya. Após perderem dois set points no saque dos adversários, Lindstedt finalmente confirmou seu game de serviço, fechando em 6/4. Já no set seguinte, Bruno e Peya abriram 3/0 após quebrarem o saque de Lindstedt no segundo game, mantendo o favoritismo e levando a partida para o match tie-break, que contou com Kubot/Lindstedt abrindo 5-0 e administrando a vantagem até o fim, fechando em 10-6.

Considerados os azarões do grupo A, o polonês e o sueco, que já haviam participado no ATP Finals com outros parceiros, passaram da fase de grupos pela primeira vez em sua carreira. “É incrível fazer algo inédito. É sempre divertido acrescentar algo em sua carreira, fiquei realmente feliz”, declarou o sueco para a imprensa de seu país.

A última vaga do grupo será decidida na partida entre Peya/Soares e os irmãos Bryan, que acontecerá na sexta-feira, com transmissão do Sportv2.

Bruno e Peya vencem em Londres

Bruno Soares e Alexander Peya estrearam com vitória em Londres. O brasileiro e o austríaco derrotaram a dupla formada pelo holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau em 2 sets a 1, com parciais de 6/3 e 6/4.

Bruno e Peya começaram bem no primeiro set, anulando os pontos de Rojer e Tecau no segundo saque e forçando o erro dos adversários. Já no segundo set, Rojer e Tecau voltaram ao jogo após conquistarem o ponto mais longo da partida, com o romeno melhorando sua performance.

O match tie-break contou com a abertura de uma larga vantagem pelo brasileiro e o austríaco em 5-1, que foi rapidamente alcançada por Rojer/Tecau, marcando 5-6. Ambas as duplas confirmaram seus saques seguintes e, numa fantástica devolução de Bruno, Rojer teve seu serviço quebrado, dando a vitória para Peya e Soares.

“Estou muito feliz com essa vitória, é muito importante começar assim. As últimas semanas não foram tão boas e iniciar com vitória em um torneio neste formato, contra uma dupla que teve um ano fantástico, é muito importante”, declarou o mineiro.

Para Bruno, a vitória foi crucial: “Estamos em um grupo muito complicado com os irmãos Bryan, líderes do ranking. Os outros jogos ganham um peso maior em cima disso. Fizemos uma boa partida e o segundo jogo tende a melhorar. Nossa ideia é vencer mais uma partida para ter um respiro dentro do grupo.”

O grupo A contou com a derrota dos irmãos Bryan para o polonês Lukasz Kubot e o sueco Robert Lindstedt em 2 sets a 0, com parciais de 7/6 e 6/3. Kubot e Lindstedt são os líderes do grupo, seguidos de Bruno e Peya.

Melo e Dodig estreiam com vitória no ATP Finals

Marcelo Melo e Ivan Dodig deram um passo gigante rumo à semifinal no ATP Finals, último torneio do ano que reúne as oito melhores duplas do mundo, em Londres. O brasileiro e o croata venceram com autoridade os experientes Daniel Nestor, canadense de 42 anos, e Nenad Zimonjic, sérvio de 38, neste domingo, por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 7/5, após 1h16min de partida.

Melo e Dodig entraram muito confiantes em quadra e logo no início mostraram que estavam ali para surpreender os atuais número 2 do mundo. Sem dar chances aos rivais, eles conseguiram duas quebras de saque e abriram 4 a 0 no placar do primeiro set. Depois, foi só administrar a vantagem e fechar em 6 a 3.

Na segunda parcial, a resistência de Nestor e Zimonjic foi maior. Ambas as duplas confirmavam os respectivos serviços e o jogo parecia caminhar para o tie-break. Porém Melo e Dodig conseguiram uma quebra providencial no 11º game e, em seguida, decretaram a vitória em 7 a 5.

Com a vitória por 2 sets a 0, Melo e Dodig agora lideram o grupo B do ATP Finals. Anteriormente, os espanhóis Marcel Granollers e Marc Lopez derrotaram os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin, também por 2 sets a 0. Entretanto, o saldo de games coloca a dupla do brasileiro na ponta da classificação.