Melo aposta em jogo agressivo para vencer estreia no ATP Finals

O brasileiro Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig já estão preparados para o ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas do mundo, entre os dias 9 e 16 de novembro, em Londres. O mineiro aposta em jogo agressivo na estreia para vencer os experientes Daniel Nestor, canadense de 42 anos, e Nenad Zimonjic, sérvio de 38, no domingo, por volta das 16h (horário de Brasília).

“Começar com uma vitória vai nos dar muita confiança para os outros jogos, especialmente por enfrentarmos uma dupla tão forte como eles. Precisamos ser agressivos para surpreendê-los desde o início. Nós sabemos como eles jogam, então temos de manter essa estratégia”, diz Melo.

O ATP Finals dividiu as oito duplas em dois grupos (A e B) e as duas melhores de cada chave avançam para as semifinais. Além de Melo/Dodig e Nestor/Zimonjic, os espanhóis Marcel Granollers e Marc Lopez, e os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin completam o grupo B.

“Cada dupla do nosso chaveamento tem um estilo de jogo diferente, mas todos estão jogando muito bem. Teremos que mostrar nosso melhor tênis para avançar. Estamos muito confiantes”, garante o brasileiro, que se classificou para o ATP Finals pelo segundo ano seguido.

Para Melo, jogar um torneio dessa importância, apenas para os oito melhores do mundo, é especial e gratificante. “A estrutura é incrível. É como se fosse um Grand Slam, mas para poucos jogadores. A quadra central é demais e a maneira como cada jogo acontece faz parecer que aquilo tudo é um verdadeiro show”, completa.

Neste ano, Melo alcançou a sua melhor marca na carreira no ranking individual dos duplistas da ATP. Após o vice-campeonato no ATP 500 de Tóquio (Japão), no começo de outubro, ele foi para a terceira posição, atrás apenas dos irmãos gêmeos norte-americanos Bob e Mike Bryan.

Finals é sorteado e mineiros caem em grupos diferentes

O ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores equipes da temporada em Londres, na Inglaterra, teve seus grupos sorteados na tarde desta segunda-feira. 

O brasileiro Bruno Soares e seu parceiro, o austríaco Alexander Peya, estão no grupo A, que também conta com os irmãos Bryan, o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau, e o polonês Lukasz Kubot e o sueco Robert Lindstedt. Já Marcelo Melo e Ivan Dodig estão no grupo B, junto ao canadense Daniel Nestor e o sérvio Nenad Zimonjic, os franceses Julien Benneteau e Edouard Roger-Vasselin, e os espanhois Marcel Granollers e Marc Lopez.

O torneio terá início no domingo com dois jogos de simples e dois jogos de duplas por dia e transmissão do Sportv.

Confronto direto:
Grupo A
Bryan/Bryan x Peya/Soares 7-1
Bryan/Bryan x Rojer/Tecau 3-0
Bryan/Bryan x Kubot/Lindstedt 2-0
Peya/Soares x Rojer/Tecau 1-1
Peya/Soares x Kubot/Lindstedt 0-0
Rojer/Tecau x Kubot/Lindstedt 1-0

Grupo B
Nestor/Zimonjic x Benneteau/Roger-Vasselin 2-1
Nestor/Zimonjic x Granollers/Lopez 1-0
Nestor/Zimonjic x Dodig/Melo 1-0
Benneteau/Roger-Vasselin x Granollers/Lopez 2-0
Benneteau/Roger-Vasselin x Dodig/Melo 0-0
Granollers/Lopez x Dodig/Melo 1-2

Sobre o Finals

Estamos na última semana do calendário da ATP e prestes a conhecer os oito classificados para o ATP Finals. Com as crescentes perguntas de como funciona a classificação e da situação de cada uma das duplas, preparei um FAQ para vocês.

Ranking de 26 de Outubro.
Ranking de 26 de Outubro.

1) Por que Pospisil/Sock e Kubot/Lindstedt têm vantagem e se classificarão no lugar de Butorac/Klaasen mesmo estando em 8?

O Finals possui uma regra que classifica automaticamente um campeão de slam que está fora do top 8 da temporada, restando assim as 7 primeiras vagas. Este ano temos dois times que se encaixam nesta situação: Pospisil/Sock e Kubot/Lindstedt. Com um se classificando automaticamente, o outro time irá para o Finals como alternate, entrando na competição se um dos oito times desistirem.

Pospisil/Sock estão com 40 pontos na frente de Kubot/Lindstedt. Para garantir sua classificação, Pospisil/Sock precisam apenas igualar o resultado de Kubot/Lindstedt em Paris, com exceção de derrota na segunda rodada, uma vez que Pospisil/Sock são cabeças de chave e uma derrota na segunda rodada não somaria pontos, enquanto para Kubot/Lindstedt uma derrota na segunda rodada traria 90 pontos, passando na frente de seus adversários. Kubot/Lindstedt precisam ganhar uma rodada a mais que Pospisil/Sock. As únicas possibilidades de classificação para ambos é se um dos times conquistar o título ou chegar na final com Dodig/Melo perdendo na estreia.

2) O que Butorac/Klaasen precisam, então?

Butorac/Klaasen precisam ganhar o título ou fazer final com Dodig/Melo não chegando na semifinal.

3) E Dodig/Melo? 

  • Sem depender dos outros, o título
  • Se forem eliminados na estreia, Butorac/Klaasen, Pospisil/Sock e Kubot/Lindstedt não podem fazer final e Cabal/Farah não podem ser campeões
  • Se chegarem nas quartas, Butorac/Klaasen não podem fazer final e Pospisil/Sock, Kubot/Lindstedt e Cabal/Farah não podem ser campeões
  • Se chegarem na semi, Butorac/Klaasen, Pospisil/Sock e Kubot/Lindstedt não podem ser campeões
  • Se chegarem na final, apenas Butorac/Klaasen podem alcançá-los (sendo campeões)

4) E quanto aos outros?

Rojer/Tecau e Granollers/Lopez se classificarão se fizerem quartas de final, independente de outros resultados. Para chegar nas quartas, Rojer/Tecau podem se encontrar com Kubot/Lindstedt e Granollers/Lopez com Cabal/Farah, assim podendo determinar o futuro dos quatro times na mesma rodada. Os colombianos, aliás, precisam ser campeões de Paris com Dodig/Melo caindo na estreia ou quartas de final para terem a chance de classificação, sendo a mais difícil das possibilidades entre os times.

5) Putz, me perdi. Tem resumão?

Veja os quadros abaixo.

rojer tecau

granollopez

dodig melo

booty klaasen

pospisock

kubot robert

colombian

Curiosidade:
Não teremos um indiano se classificando para o Finals este ano. A última vez que isto aconteceu foi em 1996.