Após três anos, Melo e Soares voltam a disputar o Rio Open juntos

Nesta terça-feira, o Rio Open anunciou as duplas que participarão da competição, que acontece entre os dias 16 e 24 de fevereiro, no Jockey Club Brasileiro. Campeões de sete Grand Slams no total, os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares disputando o torneio juntos estão entre os destaques da lista, que também conta com os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah e o gaúcho Marcelo Demoliner.

354495_858195_24843701330_942526bff0_k

Foto: João Pires/Fotojump

Tanto o britânico Jamie Murray quanto o polonês Lukasz Kubot, respectivos parceiros de Soares e Melo no circuito, não poderão viajar nesta data, o que possibilitou a retomada da parceria semifinalista do torneio em 2016. “Foi uma boa coincidência nossos parceiros não conseguirem vir ao Brasil este ano. O Jamie estava programado para vir, mas teve um problema pessoal e não poderá estar no Rio. A torcida que sempre marca forte presença em nossos jogos terá novamente uma dupla brasileira para torcer e quem sabe dar uma força extra para a gente buscar o nosso primeiro título do Rio Open e o primeiro título do Brasil no torneio”, disse Soares, campeão no início desta temporada em Sydney, na Austrália, com Murray.

Melo fez no último final de semana de Copa Davis a sua primeira apresentação desde que se recuperou da lesão muscular nas costas. O ex-número 1 do mundo tem boas expectativas para jogar ao lado de Soares, com quem soma quatro títulos na ATP. “Será um momento especial jogar mais uma vez o Rio Open com o Bruno. Tenho certeza que os torcedores ficarão felizes em poder nos ver jogando lado a lado mais uma vez”, afirma o tenista, que foi finalista do torneio em 2014, em parceria com o espanhol David Marrero. Antes de embarcar para o Rio de Janeiro, Melo ainda disputará o ATP 500 de Roterdã, na Holanda, com Kubot.

Com o Brasil em busca do primeiro título no Rio Open, quem também disputará a competição é Marcelo Demoliner. O gaúcho, que conquistou seu primeiro título de ATP em 2018, virá ao Rio Open com seu novo parceiro de circuito, o dinamarquês Frederik Nielsen, campeão de Wimbledon em 2012. Demoliner participou de todas as edições do torneio carioca, tendo como seu melhor resultado a semifinal em 2016, com o compatriota Thomaz Bellucci.

A chave também contará com os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, bicampeões do Rio Open. A dupla, que foi finalista no Australian Open em 2018 e o segundo melhor time da última temporada, volta ao Rio de Janeiro para tentar o tricampeonato no maior torneio de tênis da América do Sul. O espanhol Marc Lopez, campeão de Roland Garros em 2016 (com Feliciano Lopez) e medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (com Rafael Nadal), e o uruguaio Pablo Cuevas, campeão de Roland Garros em 2008 (com Luis Horna), completam os destaques da chave de duplas.

Lista das duplas que disputarão o Rio Open:
Marcelo Melo e Bruno Soares
Juan Sebastian Cabal e Robert Farah
Nikola Mektic e Horacio Zeballos
Pablo Carreno Busta e João Sousa
Marco Cecchinato e Dusan Lajovic
Austin Krajicek e Artem Sitak
Pablo Cuevas e Marc Lopez
Maximo Gonzalez e Nicolas Jarry
Malek Jaziri e Leonardo Mayer
Luke Bambridge e Jonny O’Mara
Marcelo Demoliner e Frederik Nielsen

Anúncios

Marcelo Melo recebe prêmio de comprometimento na Copa Davis: “Fui pego de surpresa”

O dia foi de homenagem para Marcelo Melo. O mineiro recebeu nesta sexta-feira, em Uberlândia (MG), onde está sendo realizado o confronto entre Brasil e Bélgica pela Copa Davis, o Commitment Award, prêmio dado pela ITF para os tenistas que participaram de mais de 20 confrontos pelo seu país.

354358_857760_marcelo_homenagem2

Foto: (Luiz Candido/CBT)

Melo é apenas o oitavo brasileiro a receber a honraria da ITF, com Carlos Kirmayr, Thomaz Koch, José Mandarino, Luiz Mattar, Cassio Motta, Jaime Oncins e Gustavo Kuerten completando a lista. Agora, contra a Bélgica, o mineiro completa 22 confrontos pelo Brasil, com 18 vitórias conquistadas no total (17 nas duplas e uma em simples).

“Fui pego de surpresa numa homenagem da ITF, nesse prêmio pelo comprometimento com a Copa Davis. Fiquei muito feliz de ter recebido. Todos sabem quanto é importante essa competição para nós tenistas. Então ser reconhecido foi muito legal, especialmente estando jogando em casa. Muito obrigado à ITF, à CBT e aos que fizeram essa homenagem. Foi muito gratificante. Agora é focar na dupla amanhã”, afirmou o mineiro, que disputará sua primeira partida da temporada neste sábado.

Ao lado de Bruno Soares, Melo abrirá as competições no segundo e último dia de confronto. No momento, a equipe brasileira lidera em 1 a 0 com a vitória de Thiago Monteiro contra Arthur De Greef. Caso Rogerio Dutra Silva vença Kimmer Coppejans, Melo e Soares poderão fechar o confronto em partida que acontecerá às 14h, horário de Brasília.

Murray/Soares caem nas quartas; mineiro avança à semi nas mistas

Bruno Soares e Jamie Murray pararam nas quartas do Australian Open. Nesta quarta-feira, a dupla foi superada pelo finlandês Henri Kontinen e o australiano John Peers em sets diretos, com parciais de 6/3 e 6/4.

“O jogo foi complicado. Eles sacaram bem, não tivemos nenhuma chance de quebrar o saque deles durante o jogo. Não tivemos o que fazer. Eles dominaram e não encontramos a solução na devolução”, disse Soares após a derrota. “Obviamente sempre queremos ir mais longe, mas o importante é que estamos jogando firme no começo de ano”, acrescentou o mineiro.

Soares segue vivo nas duplas mistas. Ao lado da norte-americana Nicole Melichar, Bruno venceu mais uma partida, derrotando a norte-americana Abigail Spears e o colombiano Juan Sebastian Cabal em 6/1 e 7/6 e avançando à semifinal da competição. Lá, a dupla enfrentará os convidados australianos Astra Sharma e John-Patrick Smith.

“Foi mais um grande jogo, estou bem entrosado com a Nicole. Amanhã tem a semifinal, vamos jogar na Rod Laver à noite. Estou empolgado para tentar mais uma final de Grand Slam”, finalizou o mineiro, que foi campeão no Australian Open em 2016 com a russa Elena Vesnina.

Soares e Murray salvam três match points e vão às quartas do Australian Open

Bruno Soares e Jamie Murray se garantiram nas quartas-de-final do Australian Open. Na madrugada desta segunda feira, o mineiro e o britânico salvaram três match points para vencer a partida contra o alemão Kevin Krawietz e o croata Nikola Mektic de virada, com parciais de 6/7, 6/2 e 7/5. Campeões no ATP 250 de Sydney, a dupla conseguiu a sua sétima vitória seguida na temporada.

jamie-murray-into-australian-open-doubles-quarter-finals-with-comeback-victory-alongside-bruno-soare_727416_

Foto: Julian Finney/Getty Images

“Foi mais um jogo duríssimo, na quadra 3, com uma atmosfera bem legal. Hoje conseguimos sair de um buraco maior ainda. Eu saquei no 0-40 em 4/5 e salvamos três match-points. Mas hoje a gente jogou melhor que o adversário, só tivemos problemas para capitalizar. Perdemos um primeiro set que não deveríamos ter perdido, dominamos o segundo e criamos oportunidades no terceiro”, resumiu Soares.

Nas quartas, Bruno e Murray enfrentarão os cabeças de chave 12 Henri Kontinen e John Peers, que foram campeões em Melbourne em 2017. “É um match-up que não é muito fácil para a gente, mas vamos com tudo. Tentar manter esse ritmo porque estamos jogando um nível bem alto”, concluiu Soares. No confronto direto, Kontinen e Peers lideram em 6 vitórias e 3 derrotas, com Soares e Murray vencendo a última partida no ATP Finals, em Londres.

Soares também segue nas duplas mistas, jogando ao lado da norte-americana Nicole Melichar. Eles enfrentam os húngaros Timea Babos e Marton Fucsovics na madrugada desta terça-feira.

Soares e Murray estreiam com vitória no Australian Open

Bruno Soares e Jamie Murray continuam vencendo na temporada australiana. A dupla, que foi campeã no ATP 250 de Sydney na última semana, estreou com vitória no Australian Open ao derrotar o argentino Andres Molteni e o tcheco Roman Jebavy em sets diretos, com parciais de 6/3 e 7/6. Na próxima rodada, Bruno e Murray enfrentarão os britânicos Luke Bambridge e Jonny O’Mara.

dxic8tdwsae41mf

Foto: Darrian Traynor/Getty Images

Em partida equilibrada e decidida nos detalhes, Bruno e Jamie precisaram de 1h45 para  saírem vencedores de quadra. “Acho que jogamos bem. Foi um jogo difícil, eles sacaram bem o jogo inteiro. Conseguimos uma quebra no primeiro set, mas no segundo set não tivemos chance alguma. A porcentagem de primeiro saque deles estava muito alta”, resumiu o mineiro. “Já o tie-break foi dramático, foi set point para um lado, match point para o outro. Ficamos felizes por ter vencido em dois sets porque estava bem duro. Sacamos super bem, mas podemos evoluir na devolução”, completou.

Também presente nas duplas mistas, Soares disputará a chave ao lado da norte-americana Nicole Melichar. A dupla cabeça de chave 2 da competição estreará contra os romenos Horia Tecau e Irina Begu. “Mais uma vez a (Ekaterina) Makarova estava em dúvida se jogaria ou não. Não quis esperar e fechei com a Melichar. A Makarova até me chamou depois, mas era tarde demais”, disse Bruno, dono de três títulos de Grand Slam nas mistas.

Demoliner/Nielsen viram e vencem na estreia em Melbourne

Marcelo Demoliner e Frederik Nielsen estrearam com vitória no Australian Open. O gaúcho e o dinamarquês viraram e venceram os irmãos Marcel e Gerard Granollers em 4/6, 6/4 e 6/2, com 1h53 de duração, avançando para a segunda rodada do torneio australiano.

11193c4f43e0ea59d36c1a109e3aa062

Foto: Marcelo Demoliner/Divulgação

“O jogo foi de alto nível. A gente começou sendo quebrado no 1/1, no vacilo em um game, e eles sacaram muito bem no primeiro set. No segundo set, a gente já estava um pouco mais entrosado. Foi o primeiro jogo nosso como dupla, ainda estávamos nos entendendo em quadra. Começamos a sacar melhor e encaixar umas devoluções melhores, aí a gente conseguiu quebrar no 5/4 e fechar o segundo set”, disse Demoliner, analisando a partida.

“Foi quando nós sentimos que trocou o momento do jogo, veio pra gente. Nós começamos super bem o terceiro set e quebramos no início. Acho que o game-chave foi o que eu saquei no 3/1, porque enfrentamos vários break points e conseguimos salvar. No 4/2, meu parceiro também sacou em 15-40 e salvou. Quando confirmamos aquele saque, sentimos que o jogo era nosso e continuamos super bem. Foi uma boa vitória, dá muita confiança pra gente”, finalizou o gaúcho, feliz com a vitória.

Demoliner e Nielsen devem voltar em quadra no sábado. Lá, a dupla enfrentará os vencedores da partida entre Inglot/Skugor e Daniel/Millman.

Guia das duplas – Australian Open 2019

marach-pavic-aus-open-ap

Foto: AP

Os campeões
Oliver Marach e Mate Pavic são os atuais campeões do Australian Open. O austríaco e o croata seguiram 2018 em alta, terminando a temporada como a dupla número 1. Na preparação para o Australian Open deste ano, a dupla perdeu na estreia em Doha e chegou na semifinal de Auckland, caindo para os campeões McLachlan/Struff.

Em Melbourne, os cabeças de chave 1 terão um bom jogo de primeira rodada, encarando os italianos Bolelli/Seppi. Após a estreia, o caminho da dupla está parecido com o de 2018, tendo times com qualidades parecidas e podendo voltar a enfrentar Inglot e Roger-Vasselin, com suas respectivas duplas, McLachlan/Struff na semi, e os colombianos Cabal/Farah, cabeças de chave 2, em uma possível final.

Caminho de Marach/Pavic ao título em 2018
R1: Delbonis/Estrella Burgos
R2: Koolhof/Sitak
Oitavas: Bopanna/Roger-Vasselin
Quartas: Daniell/Inglot
Semi: McLachlan/Struff
Final: Cabal/Farah

Projeção de Marach/Pavic em 2019
R1: Bolleli/Seppi
R2: [WC]Purcell/Saville ou Gonzalez/Jarry
Oitavas: [14]Lopez/Lopez
Quartas: [6]Klaasen/Venus, [10]Inglot/Skugor
Semi: [3]Murray/Soares, [8]McLachlan/Struff, [12]Kontinen/Peers, [13]Dodig/Roger-Vasselin

Os brasileiros
Bruno Soares e Jamie Murray
Soares e Murray começaram o ano em alta, voltando a conquistar o título no ATP 250 de Sydney, no qual também ganharam em 2016, ano em que foram campeões em Melbourne. O início de seu chaveamento no Australian Open é bom, com jogos técnicos e que devem testar a dupla. Dodig/Roger-Vasselin são os primeiros cabeças de chave em seu caminho, dupla que já enfrentaram nas quartas de Sydney, vencendo em sets diretos. Nas quartas, podem enfrentar McLachlan/Struff, semifinalistas do Australian Open em 2018, ou Kontinen/Peers, dupla que sempre rende bons jogos contra Murray/Soares.

Projeção de Murray/Soares
R1: Jebavy/Molteni
R2: Bambridge/O’Mara ou Copil/Fucsovics
Oitavas: [13]Dodig/Roger-Vasselin
Quartas: [8]McLachlan/Struff, [12]Kontinen/Peers
Semi: [1]Marach/Pavic, [6]Klaasen/Venus, [10]Inglot/Skugor, [14]Lopez/Lopez

Marcelo Demoliner e Frederik Nielsen
O gaúcho Demoliner disputará o torneio ao lado do dinamarquês e campeão de Wimbledon em 2012 Frederik Nielsen, com quem pretende seguir para a gira sulamericana logo após a Austrália. A dupla não se preparou junta para o Grand Slam, com Demoliner disputando Brisbane e o Challenger da Camberra com outros parceiros, sendo campeão no último. O caminho da dupla é complicado, com os irmãos Granollers logo na estreia. Caso vençam, pegam os cabeças 10 Inglot/Skugor na segunda rodada, uma dupla com um jogo de muita força e que pode causar problemas para Demoliner e Nielsen.

Projeção de Demoliner/Nielsen
R1: Granollers/Granollers
R2: [10]Inglot/Skugor ou Daniel/Millman
Oitavas: Klaasen/Venus
Quartas: [1]Marach/Pavic, [14]Lopez/Lopez
Semi: [3]Murray/Soares, [8]McLachlan/Struff, [12]Kontinen/Peers, [13]Dodig/Roger-Vasselin,

As ausências
Marcelo Melo
Melo é a grande ausência do torneio. O mineiro sentiu uma lesão em suas costas durante a pré-temporada e adiou o início de seu ano para a Copa Davis, em Fevereiro, aproveitando o tempo parado para também retirar um cisto. Com 47 Grand Slams disputados consecutivamente, este é o primeiro que o brasileiro não participa desde que começou a disputar torneios do nível em 2007. O seu parceiro, o polonês Lukasz Kubot, disputará o Australian Open ao lado do argentino Horacio Zeballos.

Nenad Zimonjic
O sérvio de 42 anos passou por uma artroplastia total nos dois lados de seu quadril, estando fora de ação desde o início de Maio de 2018. Já recuperado, o campeão de três títulos de Grand Slam teve o pedido de convite negado pela organização, adiando o seu retorno às quadras para Fevereiro, na Copa Davis. O veterano já foi finalista na Austrália nas duplas masculinas (2010), além dos dois títulos em duplas mistas conquistados em 2004 e 2008.

A organização optou por premiar seis duplas completamente australianas com os convites que estão em seu poder. Os chineses Gong/Zhang, vencedores dos playoffs, completam a seleção.

Alexander Peya
O austríaco finalmente passará por uma cirurgia no seu cotovelo direito, local que o incomodou durante grande parte da última temporada. Peya disputou os torneios de Doha e Sydney ao lado de seu parceiro Mektic e já estava em Melbourne para o Australian Open, mas deixou a cidade na manhã deste domingo. Em 2018, a lesão o deixou afastado do circuito por 3 meses, com Peya optando por um tratamento mais conservador e tentando retornar no ATP Finals, mas desistindo da competição após duas partidas disputadas. Em Melbourne, Mektic disputará o torneio ao lado do alemão Krawietz.

O retorno
Após oito meses fora do circuito, Bob Bryan está de volta. O norte-americano passou por um recapeamento na cabeça do fêmur direito, tendo uma recuperação de cinco meses até o seu retorno algumas semanas atrás, em Brisbane. No tempo fora, a metade canhota dos irmãos Bryan viu seu gêmeo conquistar dois títulos de Grand Slam, além do ATP Finals. Com poucos jogos feitos antes do Australian Open, resta saber como Bob chegará em Melbourne.

Aposentadoria ativa
Hewitt foi um dos premiados com um convite para a chave de duplas. O ex-número 1 do mundo, que disputou nove torneios em 2018, apesar de ter anunciado a sua aposentadoria em 2016, disputará o torneio ao lado do compatriota John-Patrick Smith.

Melhores jogos de primeira rodada
[2]Cabal/Farah x Sock/Withrow
[5]Herbert/Mahut x Marrero/M. Zverev
[12]Kontinen/Peers x Gonzalez/Qureshi
[15]Bopanna/Sharan x Carreno Busta/Garcia-Lopez
[16]Haase/Middelkoop x Harrison/Querrey

Onde assistir
A ESPN é a detentora dos direitos de transmissão do Australian Open. Com os canais ESPN e ESPN2, além da plataforma Watch ESPN, que possui todas as quadras disponíveis, o fã de esporte não perderá nenhuma rebatida em Melbourne. O site oficial do Grand Slam também transmite o torneio completo. Confira a chave de duplas completa, estoque comida e energéticos para a madrugada e se prepare para toda a ação do primeiro Grand Slam do ano!

Murray/Soares derrotam colombianos e são os campeões de Sydney

Neste sábado, Bruno Soares e Jamie Murray conquistaram o título no ATP 250 de Sydney, na Austrália. A dupla do mineiro e do britânico superou os colombianos e cabeças de chave 1 Juan Sebastian Cabal e Robert Farah em sets diretos, com parciais de 6/4 e 6/3, para conquistar o seu primeiro título do ano.

2019 Sydney International - Day 7

Foto: Brett Hemmings/Getty Images

“Sydney tem sido solidária com a gente. Foi a nossa terceira final, com dois títulos agora. A semana foi muito boa pra gente, uma excelente maneira de iniciar a temporada. Pegamos confiança e ritmo de volta, com a melhor preparação possível para Melbourne. Vamos para lá tendo feito muitos jogos e confiantes. Vamos descansar um pouco e já começar a preparação em Melbourne”, disse o mineiro, que já havia conquistado o título em Sydney em 2016.

Esta foi a quarta vitória consecutiva de Soares e Murray em cima dos colombianos, tendo um histórico de seis vitórias e duas derrotas. Sydney foi o décimo campeonato conquistado pela dupla, que iniciou a parceria em 2016. Com a conquista em Sydney, Bruno aumenta o seu número de troféus para 30, além de ter conquistado pelo menos um título por temporada desde 2008.

Bruno já está em Melbourne, pronto para o primeiro Grand Slam da temporada. Em 2016, o mineiro conquistou dois troféus no Australian Open, saindo de Melbourne campeão das duplas masculinas e mistas. Após o Grand Slam, Soares retornará ao Brasil, onde disputará a Copa Davis e o Rio Open.

Soares e Murray vencem mais uma e decidem o título em Sydney

Bruno Soares e Jamie Murray iniciaram bem a temporada de 2019. A dupla derrotou os irmãos ingleses Ken e Neal Skupski em dois sets a um, com parciais de 7/6, 5/7 e 10-7, avançando à final do ATP 250 de Sydney, na Austrália. Na grande decisão, o mineiro e o britânico enfrentam os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Bruno+Soares+Nitto+ATP+Finals+Day+Seven+CiZHd5aVTR8x

Foto: Julian Finney/Getty Images Europe

“Tivemos mais um bom jogo aqui em Sydney. Estamos em uma semana bem positiva. Conseguimos capitalizar as chances que estamos tendo. Hoje foi um jogo bem duro, com todo mundo jogando bem. Conseguimos colocar muita pressão nos dois tie-breaks e isso fez a diferença. É muito importante fazer esses jogos logo no início da temporada”, destacou o mineiro, feliz com a performance.

“A gente terminou 2018 jogando muito bem e era isso que a gente queria, pegar bastante ritmo. Agora é ir com tudo para final, tentar pegar este caneco e depois focar em Melbourne”, finalizou Bruno, focado na final e já de olho no Australian Open. Esta é a 58ª decisão que Bruno Soares disputa em sua carreira. Campeão em 29 ocasiões, o mineiro busca o seu 10º troféu ao lado de Murray.

Após oito meses fora, Bob Bryan retorna ao circuito com vitória

Após oito meses fora do circuito, a dupla de Bob e Mike Bryan retornou às quadras com vitória. Bob, que passou parte da temporada de 2018 se recuperando da cirurgia realizada em seu quadril, venceu seu primeira partida ao derrotar Jean-Julien Rojer e Horia Tecau no ATP 250 de Auckland, com parciais de 3/6, 7/6(2) e 11-9.

2019 ASB Classic

Foto: Dave Rowland/Getty Images

No início de Agosto, Bob passou por um recapeamento da cabeça do fêmur, no lado direito de seu quadril, após sentir dores durante a final do Masters 1000 de Madri. Com cinco meses de recuperação, a dupla disputou sua primeira partida no ATP 250 de Brisbane, caindo para a dupla de Robert Lindstedt e Milos Raonic na estreia. Nesta semana, em Auckland, os irmãos conseguiram a sua primeira vitória desde o retorno.

Durante a ausência de Bob no circuito, Mike seguiu disputando torneios ao lado do compatriota Jack Sock. Os norte-americanos foram campeões em Wimbledon, no US Open e também no ATP Finals, terminando 2018 como a melhor dupla da temporada.