Pavic/Soares são superados e jogam por vaga na semi

Nos detalhes, Bruno Soares e Mate Pavic sofreram a sua primeira derrota no ATP Finals. Nesta quarta-feira, o brasileiro e o croata abriram a programação do torneio que reúne os oito melhores times da temporada em partida contra a dupla de Marcel Granollers e Horacio Zeballos, sendo superados nos detalhes, com parciais de 7/6, 6/7 e 10-8.

Foto: Ella Ling/ATP

“Foi um jogo no detalhe. Uma pena, porque a gente dominou uma boa parte. Eles não tiveram nenhuma chance nos nossos saques e nós criamos muitas, nos dois sets. Mérito deles, que jogaram super bem nos pontos importantes e também nos dois tie-breaks, foram muito firmes. Mas nós seguimos jogando e sacando bem, agressivos”, analisou Bruno, lamentando o resultado.

Na primeira fase do Finals, os oito times são separados em dois grupos de quatro. Cada dupla faz três partidas e os dois melhores times de cada grupo avançam para as semifinais. Na sexta-feira, Bruno e Pavic farão a sua última partida da fase de grupos em busca de uma vaga na semi contra o australiano John Peers e o neozelandês Michael Venus. “Agora é ir com tudo na sexta. Temos que esquecer que isso é o Finals, fase de grupos, essas coisas, e lidar como se fosse um torneio normal, uma quartas de final”, finalizou o mineiro, focado na vitória.

Bruno, que disputa o Finals pela sexta vez, já foi semifinalista no torneio em quatro ocasiões. Aos 38 anos, o mineiro, que é dono de 33 títulos, e nesta temporada conquistou o US Open e foi vice de Roland Garros, vai em busca de superar o seu melhor resultado no campeonato e trazer um título inédito para casa. Outro objetivo é terminar a temporada como a melhor dupla de 2020.

Kubot/Melo são superados por Krawietz/Mies

Na manhã desta terça-feira, Marcelo Melo e Lukasz entraram em quadra para o seu segundo jogo do Grupo Mike Bryan. Enfrentando os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, o mineiro e o polonês em superados em 6/2 e 7/6(5), atingindo a sua segunda derrota no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada na O2 Arena, em Londres.

Foto: Clive Brunskill/Getty Images Europe

“Hoje eles começaram bem, dominaram o primeiro set. No segundo conseguimos entrar em jogo, tivemos algumas poucas chances. Porém, eles foram melhores no geral”, resumiu Marcelo, admitindo a superioridade dos adversários na partida.

Para manter a esperança de classificação viva, Melo e Kubot dependiam de uma vitória de Ram/Salisbury contra Koolhof/Mektic, partida que aconteceu na tarde desta terça-feira. Koolhof/Mektic, porém, superaram Ram/Salisbury, garantindo a sua classificação na semifinal do Finals e também eliminando as chances de Kubot/Melo. O mineiro e o polonês voltarão em quadra na quinta-feira. Em horário a ser definido, a dupla enfrentará Koolhof/Mektic na sua última partida do torneio.

Esta é a oitava participação consecutiva de Melo no ATP Finals e a quarta ao lado de Kubot. O brasileiro é o tenista com a sequência ativa mais longa entre os jogadores, tanto em simples quanto nas duplas. Marcelo já foi vice-campeão do torneio em 2014, ao lado do croata Ivan Dodig, e em 2017, com Kubot.  

Pavic/Soares reagem e estreiam no Finals com vitória

Com uma grande reação, Bruno Soares e Mate Pavic estrearam com vitória no ATP Finals, em Londres. Nesta segunda-feira, a dupla campeã do US Open, que está disputando o torneio que reúne os melhores times da temporada, superou o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin de virada, com parciais de 6/7(6-8), 6/1 e 10-4.

Foto: ATP/Divulgação

“O jogo foi muito bom desde o início. Nós criamos algumas oportunidades no set, mas eles salvaram e jogaram muito bem sob pressão. No tie-break nós jogamos muito firmes, mas no 6-5 o Melzer fez três mágicas para fechar o set. Mérito total deles, foram belíssimas devoluções. O mais importante é que a gente continuou com a energia alta e não deixou se abalar pela derrota no primeiro set. Já fomos para o segundo com essa energia toda e quebramos logo no início. No match tie-break foi a mesma coisa, voltamos firmes pro jogo e aproveitamos a confiança”, resumiu Bruno, contente com a confiança resgatada da dupla.

Na próxima rodada, o brasileiro e o croata enfrentarão a dupla do espanhol Marcel Granollers e do argentino Horacio Zeballos, que venceram Peers/Venus na estreia. “Vai ser pedreira, mas não dá para esperar outra coisa aqui no Finals, é só porrada. São dois caras que já sabemos o que esperar, fizemos dois confrontos duríssimos contra eles neste ano, no US Open e em Roma. Agora é tentar jogar com a nossa agressividade e fazer o nosso jogo”, finalizou o mineiro, já de olho no próximo confronto, que acontecerá na quarta-feira.

Na primeira fase, os oito times são separados em dois grupos, onde os quatro times se enfrentam. São três partidas e as duas melhores duplas de cada grupo avançam para as semifinais. Bruno, que disputa o Finals pela sexta vez, já foi semifinalista no torneio em quatro ocasiões. Aos 38 anos, o mineiro, que é dono de 33 títulos, vai em busca de superar o seu melhor resultado no campeonato e trazer um título inédito para casa.

Kubot/Melo caem nos detalhes na estreia do Finals

Em um jogo equilibrado, Marcelo Melo e Lukasz Kubot foram superados nos detalhes na estreia do ATP Finals. Neste domingo, a dupla foi caiu para o norte-americano Rajeev Ram e o britânico Joe Salisbury, os atuais campeões do Australian Open, no match tie-break, com parciais de 7/5, 3/6 e 10-5.

Foto: ATP/Divulgação

“O jogo começou bem disputado. Contamos com algumas chances, mas tivemos uma baixa porcentagem de primeiro saque, o que acabou dando a chance deles quebrarem duas vezes no primeiro set. No segundo set jogamos muito bem. Eles abaixaram um pouco e nós mantivemos o ritmo, jogando até melhor. Mesmo assim perdemos um saque. E isso pra mim foi decisivo no match tie-break, onde eles estiveram bem, mas ao mesmo tempo nós demos a oportunidade não jogando muito com primeiro saque. Enfim, acontece. Eles aproveitaram as poucas chances”, analisou Marcelo.

“Uma das vantagens do Finals é que temos uma segunda oportunidade. Então é aprender com os erros de hoje, treinar amanhã e ir com tudo de novo no próximo jogo do grupo, depois de amanhã, que ainda temos chances de classificar”, finalizou o mineiro. A dupla voltará em quadra nesta terça-feira, quando enfrentarão os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, que também sofreram uma derrota na estreia.

Esta é a oitava participação consecutiva de Melo no ATP Finals e a quarta ao lado de Kubot. O brasileiro é o tenista com a sequência ativa mais longa entre os jogadores, tanto em simples quanto nas duplas. Marcelo já foi vice-campeão do torneio em 2014, ao lado do croata Ivan Dodig, e em 2017, com Kubot.  

Sorteio do Finals coloca duplas de Melo e Soares em grupos diferentes

Nesta sexta-feira, os grupos de duplas do ATP Finals foram definidos. Bruno Soares e Mate Pavic lideram o Grupo Bob Bryan, que também conta com Granollers/Zeballos, Peers/Venus e Melzer/Roger-Vaselin. Já no Grupo Mike Bryan, liderado pelos campeões do Australian Open Ram/Salisbury, estão Marcelo Melo e Lukasz Kubot, além de Krawietz/Mies e Koolhof/Mektic.

Foto: ATP/Divulgação

O sorteio dos grupos de duplas não foi realizado na quinta-feira, com o de simples, pela possibilidade de Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin assumirem a sexta colocação na corrida, o que mudaria o cenário do sorteio. Para isso, a ATP precisou aguardar o fim do ATP 250 de Sofia, em que Melzer/Roger-Vasselin e a dupla de Jamie Murray e Neal Skupski disputavam a classificação para Londres. A austríaco e o francês subiriam para sexto com um título na Bulgária, mas a dupla optou por desistir da final e partir para Londres, já que os jogos na O2 Arena terão início neste domingo, terminando em sétimo na corrida.

Ao conhecer os seus adversários, Bruno Soares reconheceu a dificuldade, mas ficou feliz por não ter a dupla de Marcelo Melo no grupo. “Aqui é pedreira para qualquer lado, não tem jeito. São as melhores duplas do ano. A única coisa legal desse sorteio foi que caímos num grupo diferente da dupla do Marcelo e não teremos um confronto entre brasileiros logo de cara”, disse Bruno. O mineiro e o croata farão a sua estreia nesta segunda-feira, às 15h, horário de Brasília, contra o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin. Os times se enfrentaram apenas uma vez, no Masters 1000 de Paris, com vitória de Bruno e Pavic.

Esta é a sexta participação de Soares no ATP Finals, que foi semifinalista em quatro edições. Dono de 33 troféus, Bruno vai em busca de encerrar o ano com um título inédito em sua carreira e com o número 1 do ranking de times da temporada.

No outro grupo, Marcelo Melo e Lukasz Kubot farão a sua estreia no domingo, às 15h, contra Rajeev Ram e Joe Salisbury, os campeões do Australian Open. “De volta a Londres, para a disputa de meu oitavo Finals seguido. Muito feliz por estar aqui. Vamos que vamos, em busca dos resultados”, disse Marcelo, animado com o último torneio do ano. O mineiro fará sua oitava participação seguida na competição e a quarta ao lado de Kubot. Melo foi vice-campeão em duas oportunidades, em 2014 (com Ivan Dodig) e em 2017 (com Kubot). No ano passado, a dupla do brasileiro com o polonês chegou na semifinal.

Grupo Bob Bryan

[1] Mate Pavic e Bruno Soares
[4] Marcel Granollers e Horacio Zeballos
[6] John Peers e Michael Venus
[7] Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin

Grupo Mike Bryan

[2] Rajeev Ram e Joe Salisbury
[3] Kevin Krawietz e Andreas Mies
[5] Wesley Koolhof e Nikola Mektic
[8] Lukasz Kubot e Marcelo Melo

Alternates
  1. Jamie Murray e Neal Skupski
  2. Max Purcell e Luke Saville
Domingo (15/11)

9h: Krawietz/Mies x Koolhof/Mektic
15h: Kubot/Melo x Ram/Salisbury

Segunda-feira (16/11)

9h: Granollers/Zeballos x Peers/Venus
15h: Pavic/Soares x Melzer/Roger-Vasselin

Transmissão

O Sportv3 tem os direitos de transmissão do torneio. A fase de grupo das duplas, porém, será ignorada pelo canal, que começará a transmitir a competição por equipes a partir das semifinais. Mais uma bola fora do canal campeão. A TennisTV, plataforma da ATP, transmite todos os confrontos.

Destaques
  • Normal: Ao contrário de simples, a classificação para o ATP Finals nas duplas seguiu normalmente, contando os resultados do ano
  • Baque: Campeões do US Open e vice-campeões de Roland Garros, Pavic/Soares vêm de uma excelente fase. A dupla, porém, sofreu uma derrota dolorosa na final do Masters 1000 de Paris, perdendo cinco match points. Após a virada, Bruno disse que o maior desafio da dupla no Finals será esquecer essa partida e recuperar a energia positiva.
  • Decisivos: Marcelo Melo e Lukasz Kubot precisaram dar um gás no fim da temporada para garantir a classificação. Necessitando de uma boa sequência de resultados, o mineiro e o polonês foram finalistas em Colônia, campeões em Viena e semifinalistas em Paris. Além da classificação, a boa sequência também levantou os ânimos da dupla, que jogou bem nos torneios em que passaram.
  • Azar: Os campeões do Australian Open Ram/Salisbury disputaram apenas uma partida na temporada de quadra dura indoor. Na segunda rodada de Viena, a dupla desistiu por uma lesão do norte-americano no calcanhar. Já em Paris, o time foi retirado da chave após Salisbury ter tido contato com um caso positivo de coronavírus.
  • Departamento médico: Sofrendo com lesões, Marcel Granollers e Horacio Zeballos, os reis do saibro de 2020, não disputam um torneio juntos desde Roland Garros. O argentino sentiu dores nas costas durante a competição em Paris, e logo após foi a vez de Granollers, que lutou contra o relógio e as lesões para chegar no Finals.
  • Embalados: Kevin Krawietz e Andreas Mies seguiram embalados após a conquista do bicampeonato em Roland Garros. Na temporada de quadra dura indoor, os alemães fizeram final em Colônia e semi em Viena, superando duplas como Pavic/Soares e Peers/Venus no caminho.
  • Palco: Wesley Koolhof e Nikola Mektic cresceram nesta temporada nos maiores torneios de disputaram, fazendo final no US Open e semi em Roland Garros. Seria o Finals o próximo?
  • Perigosos: Consistentes e sempre perigosos neste piso, John Peers e Michael Venus são a dupla pra ficar de olho. Campeões em Dubai, Hamburgo e Antuérpia, os dois têm ótimos retrospectos em Londres. O australiano foi campeão do torneio em duas oportunidades, enquanto Venus é o atual vice-campeão.
  • Nos 45 do segundo tempo: Melzer e Roger-Vasselin garantiram a sua classificação ao chegar na final do ATP 250 de Sofia, o último torneio do calendário regular. Era o objetivo principal do austríaco na temporada, que irá se aposentar após o Australian Open.
  • Desempate: Empatados com Kubot/Melo em pontos, Murray/Skupski ficaram foram do Finals pelo critério de desempate. O time dos britânicos disputou três torneios a mais que a dupla do mineiro e do polonês, ficando de fora da competição.

Bruno e Pavic ficam com o vice em Paris

Bruno Soares e Mate Pavic são os vice-campeões do Masters 1000 de Paris, na França. A dupla cabeça de chave 2 da competição foi superada pelo canadense Felix Auger-Aliassime e o polonês Hubert Hurkacz por 7/6(3), 6/7(5-7) e 10-2 na decisão do torneio indoor parisiense.

Foto: Masters 1000 de Paris/Divulgação

“Foi um jogaço, nós dominamos e tivemos cinco match points, mas escapou. Triste pela derrota, por ter jogado tão bem e ter deixado escapar, mas foi mais um grande resultado e mais uma final de Masters 1000. Estamos super preparados, no ritmo e confiantes para Londres. Agora é esperar o baque dessa derrota passar e recuperar a energia positiva pra começar o Finals com força total”, disse Bruno.

A campanha em Paris foi a 65ª final da carreira de Soares, que nesta temporada já foi campeão do US Open e vice de Roland Garros. Dono de 33 títulos, o mineiro de 38 anos disputou a sua 13ª decisão em Masters 1000 da carreira.

O próximo destino dos campeões do US Open, agora líderes do ranking de times da temporada, é Londres, onde irão em busca de um título inédito no ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores times da temporada na O2 Arena. O torneio inglês que encerra a temporada terá início no dia 15 de novembro.

Soares e Pavic vencem em Paris e chegam na terceira final da temporada

Bruno Soares e Mate Pavic disputarão a sua terceira final da temporada no Masters 1000 de Paris, na França. Os campeões do US Open e vice-campeões de Roland Garros consolidaram a vaga na decisão do torneio parisiense derrotando o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin em 6/3 e 7/6(4).

Foto: Divulgação

“Mais um grande jogo, parecido com o de ontem, até. Jogamos super bem, mas acabamos tomando uma quebra no final e tendo que ir pro tie-break. Mas é o que a gente vem fazendo sempre: competindo bem, mantendo a energia e não deixando a peteca cair, mesmo perdendo o saque”, analisou Bruno.

Na decisão, Soares e Pavic enfrentarão a dupla do canadense Felix Auger-Aliassime e do polonês Hubert Hurkacz, os algozes de Marcelo Melo e Lukasz Kubot na semifinal, na manhã deste domingo. “É uma dupla surpresa, que vem jogando super bem. Eles ganharam de três times fortíssimos jogando super confiantes no match tie-break. É a minha segunda final aqui, então vou em busca deste título que ainda não tenho. É seguir com essa energia, pegada e agressividade que estamos apresentando”, finalizou o mineiro.

Bruno volta a fazer uma final no torneio francês após sete anos. Em 2013, ao lado do austríaco Alexander Peya, o brasileiro foi vice-campeão de Paris. Atual número 6 do mundo, Soares vai em busca do seu quinto título de Masters 1000 e o 34º no geral. No total, é a 65ª final do mineiro.

A campanha em Paris colocará Soares e Pavic no topo do ranking de duplas da temporada, passando Rajeev Ram e Joe Salisbury, os campeões do Australian Open, e assumindo a primeira colocação.

Melo e Kubot param na semi de Paris

Neste sábado, Marcelo Melo e Lukasz Kubot pararam na semifinal do Masters 1000 de Paris, na França. A dupla cabeça de chave 4 foi superada pelo canadense Felix Auger-Aliassime e o polonês Hubert Hurkacz em dois sets a um, com parciais de 6/2, 1/6 e 10-5. Agora, após garantir a vaga na última rodada, Melo e Kubot seguirão para a disputa do ATP Finals, em Londres.

Foto: Divulgação

“O jogo hoje foi um pouco atípico. Não começamos tão bem, mas no segundo set conseguimos nos recuperar usando a nossa experiência, maneira de jogar e mudamos algumas coisas. No match tie-break não iniciamos de novo tão bem, eles abriram uma bela vantagem e não conseguimos voltar. São dois jogadores que sacam muito. Não deu chance de pegar muitos pontos deles”, disse Marcelo, analisando a partida.

“Acho que foi uma boa semana. Conseguimos cumprir o maior objetivo que era, logicamente, classificar para o Finals. Com certeza, nós queríamos ter passado para a final. Mas, hoje, não deu. Eles jogaram bem. Tiveram o mérito, também, de ter jogado bem o match tie-break”, completou o mineiro.

O ATP Finals, que começará no próximo dia 15, encerra a temporada do tênis. Será a oitava participação consecutiva de Melo, que disputou em todos os anos desde 2013, e a quarta ao lado de Kubot. O brasileiro foi vice-campeão em duas oportunidades, nas edições de 2014, com Dodig, e 2017, com Kubot.

Melo e Kubot vão à semi de Paris e se garantem no Finals

A sexta-feira foi de alegria para Marcelo Melo e Lukasz Kubot. Em partida válida pelas quartas de final do Masters 1000 de Paris, a dupla superou os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut de virada, com parciais de 6/7(4-7), 6/3 e 10-8, para se garantir na semi do torneio parisiense. Além da semi, a boa campanha em Paris também garante Melo e Kubot no ATP Finals pelo quarto ano consecutivo.

Foto: ATP

“Hoje foi um jogo duríssimo, mais uma vez no match tie-break. Tínhamos perdido para eles na final em Colônia e agora acabamos vencendo um jogo de extrema importância para nós, na briga do Finals. Jogamos muito bem de novo o match tie-break. Foi decidido um ponto aqui, outro ali. Eu consegui sacar muito bem para fechar no 9/8 e isso foi muito bom para nós”, comemorou Marcelo.

A dupla segue vencendo em match tie-break. Sólidos no último set, esta foi a 57ª vitória de Marcelo e Kubot em 83 match tie-breaks disputados, tendo aproximadamente 68,6% de aproveitamento na parte final do jogo. O fator decisivo do time foi chave nas 162 vitórias que o brasileiro e o polonês já alcançaram juntos.

2020 será a quarta participação consecutiva da dupla de Melo e Kubot no ATP Finals. Ao todo, Marcelo disputará o torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada pela oitava vez em sua carreira. Nestas oito participações, a sua melhor campanha foi o vice-campeonato em duas edições: 2014 (com Ivan Dodig) e 2017 (Kubot). Na história das duplas no ATP Finals, apenas 10 duplistas disputaram mais edições que Melo.

Soares e Pavic vencem mais uma em Paris

Bruno Soares e Mate Pavic estão na semifinal do Masters 1000 de Paris, na França. Nesta sexta, em uma reedição da final do US Open deste ano, a dupla superou os cabeças 6 Wesley Koolhof e Nikola Mektic em sets diretos, com parciais de 6/1 e 7/6(4).

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Estou muito feliz, mais um grande jogo. Jogamos num nível absurdo até o 6/1 e 4-2, aí acabamos levando uma virada num game pouco depois e eles começaram a jogar bem, o jogo ficou bem parelho. Mas terminamos jogando super bem o tie-break, sacamos muito bem lá e devolvemos bem no jogo inteiro. Felizmente conseguimos fechar em dois sets, o que era fundamental depois de começar muito bem e ter se complicado”, analisou o mineiro.

Na semi, Bruno e Pavic enfrentarão o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin, que estão em busca de uma vaga no ATP Finals e garantirão a sua classificação com uma vitória contra a dupla de Soares. “Amanhã vai ser pedreira contra o Melzer e o Vasselin. É semi de Masters 1000, eles estão jogando muito bem e com certeza estão com muita energia, já que estão na briga pela vaga do Finals. É continuar o que a gente vem fazendo e seguir com o nosso trabalho. Estamos muito agressivos e em quadra indoor essa agressividade é muito importante”, finalizou Soares, antecipando uma partida tensa.

Após Paris, Soares e Pavic, que nos últimos meses ganharam o US Open e foram vice-campeões de Roland Garros, seguirão para Londres, onde disputarão o ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores times da temporada. O torneio disputado na Inglaterra terá início no dia 15 de novembro.