Melo e Kubot passam por franceses e vão às quartas: “Foi a nossa principal vitória do ano”

Marcelo Melo e Lukasz Kubot venceram mais uma no US Open. Em partida disputada, o brasileiro e o polonês eliminaram a perigosa dupla dos franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut em 7/5, 2/6 e 6/3, com 2h12 de duração. Classificados para as quartas de final do último Grand Slam do ano, Melo e Kubot enfrentarão os norte-americanos Austin Krajicek e Tennys Sandgren.

Marcelo+Melo+2018+Open+Day+6+rJu-JYRXD5Vx

Foto: Sarah Stier/Getty Images North America

Em mais uma partida marcada pela confiança de Melo e Kubot, o mineiro e polonês souberam lidar com as adversidades, não deixando se abalar pela também ótima partida dos franceses. No primeiro set, Marcelo e Kubot conseguiram aproveitar uma das cinco chances de quebra disponíveis durante a parcial justamente no último game, fechando em 7/5. O segundo set começou com Herbert e Mahut quebrando logo no primeiro game. Melo e Kubot tiveram chances de devolver a diferença, mas os franceses permaneceram firmes, conseguindo mais uma quebra no sétimo game e confirmando o empate no game seguinte.

Com tudo igual, os times foram com tudo para o terceiro set. A única quebra da parcial aconteceu a favor de Marcelo e Kubot, abrindo 4//1. A dupla precisou de quatro match points no game mais longo da partida, com 16 pontos disputados, para fechar o jogo e se garantir nas quartas do US Open. “Foi um jogo emocionante. Nossa principal vitória do ano. Os treinos e a dedicação são importantes para viver momentos como o de hoje”, comemorou o mineiro.

A vitória contra os atuais campeões de Roland Garros foi a terceira da dupla no torneio, marcando a melhor sequência de resultados de Melo e Kubot desde o título no ATP 500 de Halle, em junho. O time iguala o melhor resultado em Grand Slams do ano, quando também atingiram as quartas no Australian Open.

Anúncios

Duplas de Melo e Soares vão às oitavas; Demoliner/Gonzalez se despedem

O Brasil continua com a sua campanha no US Open. As duplas dos mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo seguem firme para as oitavas, enquanto Marcelo Demoliner e Santiago Gonzalez deram adeus.

Marcelo+Melo+2018+Open+Day+6+idtPLCz-mRmx

Marcelo Melo e Lukasz Kubot se classificaram para as oitavas do US Open (Foto: Sarah Stier/Getty Images North America)

O dia começou com a derrota de Demoliner e Gonzalez, que foram superados pelos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/6. Eternos algozes de brasileiros, Cabal e Farah não fizeram diferente neste sábado, dando poucas oportunidades para os seus adversários e aproveitando as chances disponíveis.

No primeiro set, os colombianos conseguiram uma quebra no terceiro game, segurando-a até o fim. Demoliner e Gonzalez tiveram chances de quebra no game final, mas Cabal e Farah confirmaram a vitória da parcial no quinto set point disponível. Já no segundo set, ambos os times confirmaram seus serviços sem oferecer chances de quebra e a parcial foi decidida no tie-break. Lá, duas quebras foram trocadas até os colombianos ganharem quatro pontos seguidos no fim, garantindo a dupla nas oitavas.

Depois foi a vez de Bruno Soares e Jamie Murray entrarem em quadra. A dupla do mineiro e do britânico eliminou Marcus Daniell e Wesley Koolhof em 6/3 e 6/4, com 1h12 de jogo. Após um primeiro set impecável, perdendo apenas cinco pontos no serviço e a quebra conseguida no segundo game sendo o suficiente para sair na frente, Soares e Murray encontraram um pouco mais resistência de seus adversários na parcial seguinte.

Daniell e Koolhof tiveram três break points no saque de Soares no segundo game, mas não conseguiram converter. E foi logo no game seguinte que o mineiro e o britânico quebraram seus adversários, não dando mais chances e fechando a partida após confirmarem seus serviços. “Foi mais uma partida consistente. Ganhamos em dois sets, sem perder o saque e estamos felizes com o nosso desempenho aqui. O calor melhorou bem e está muito bom pra jogar. Temos que manter esse ritmo”, disse Bruno após a vitória. Nas oitavas, a dupla enfrentará os holandeses Robin Haase e Matwe Middelkoop, cabeças de chave 14.

Marcelo Melo e Lukasz Kubot encerraram a rodada brasileira. Em 1h36 de partida, Melo e Kubot superaram a dupla do Divij Sharan e Artem Sitak em 6/3, 3/6 e 6/3, indo para as oitavas do US Open. Este é o melhor resultado de Melo em Nova Iorque desde 2014, quando atingiu as semifinais do último Grand Slam do ano. Na próxima rodada, a dupla enfrentará os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut, os campeões da edição de 2015 do US Open e cabeças de chave 9.

O mineiro e o polonês começaram bem na partida, mantendo a calma e aproveitando uma das chances de quebra disponíveis no sexto game, fechando a parcial poucos games depois. Sharan e Sitak entraram no segundo set com uma intensidade maior, quebrando seus adversários, abrindo 4/1 e mantendo a diferença até o fim. No terceiro e decisivo set, Melo e Kubot retomaram a intensidade da parcial inicial, quebrando Sharan e Sitak de zero e rapidamente abrindo 3/0, o suficiente para sustentarem a diferença até o fim.

“Hoje conseguimos jogar muito bem na maior parte do jogo. Tivemos um pouquinho de queda de rendimento no segundo set, quando acabamos dando uma quebra para eles. Mas depois recuperamos e mantivemos firme até o fim”, resumiu Melo. “Uma importante vitória e agora é tirar tudo de bom que fizemos nesse jogo, melhorar o que não fizemos de tão bom, para a próxima rodada contra os franceses, um jogo muito duro, uma dupla que joga muito bem e que está junto há muito tempo. Temos de estar bem afiados e prontos, com muita confiança para poder, quem sabe, passar mais uma rodada para frente”, completou.

Brasileiros estreiam com vitória no US Open

O Brasil iniciou a campanha no US Open de forma vitoriosa. Tendo representantes brasileiros apenas nas duplas, os times de Bruno Soares, Marcelo Melo e Marcelo Demoliner venceram na estreia do Grand Slam nova iorquino, avançando para a segunda rodada.

Dl469n9VAAEzgwm

Jamie Murray e Bruno Soares em ação (Foto: Getty Images)

A campanha brasileira começou com Demoliner, que entrou em quadra na última quarta-feira. Ao lado do mexicano Santiago Gonzalez, o gaúcho venceu os franceses Hugo Nys e Benoit Paire em partida apertada e decidida nos detalhes, com parciais de 7/5 e 7/6. Na segunda rodada, a dupla terá a difícil missão de superar os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Já nesta quinta-feira, foi a vez de Bruno Soares e Jamie Murray, que derrotaram a dupla formada pelo argentino Guido Pella e o espanhol Alberta Ramos-Viñolas em sets diretos, com parciais de 6/2 e 6/3, em pouco mais de uma hora. “Foi uma estreia muito boa. Jogamos super bem, mantendo o ritmo de Toronto, Washington e Cincinnati, com muita determinação. Estou muito feliz”, resumiu Soares, satisfeito com a apresentação.

A partida contou com muitos brasileiros presentes, e Bruno fez questão de agradecer o apoio dos compatriotas. “A torcida brasileira, como sempre, apareceu e fez barulho. É muito bacana o clima aqui. Sei que não está fácil acompanhar os jogos direto nesse calor, mas o público compareceu e é sempre muito bom jogar com a casa cheia”, completou o mineiro. Agora, na próxima rodada, Soares e Murray enfrentam a habilidosa dupla do neozelandês Marcus Daniell e o holandês Wesley Koolhof.

Encerrando a primeiro rodada para os brasileiros, Marcelo Melo e Lukasz Kubot contaram com a desistência de Vasek Pospisil e Fernando Verdasco da chave de duplas. O mexicano Hans Hach Verdugo e o sueco Andreas Siljestrom entraram como alternates no lugar e foram superados por Melo e Kubot em 6/3 e 7/6. Na segunda rodada, o mineiro e o polonês enfrentarão Sharan/Sitak.

Guia das duplas – US Open 2018

rojer-tecau-us-open-2017-final

Foto: Getty Images

Os campeões
Jean-Julien Rojer e Horia Tecau são os atuais campeões do US Open. Assim como no ano passado, o time venceu o ATP 250 de Winston-Salem antes de ir para Nova Iorque, tendo um bom ritmo de jogo e aumentando a confiança da dupla para a defesa do título. Ritmo mais do que necessário para Tecau, que ficou fora do circuito por quatro meses após uma lesão no pé direito, tendo retornado à competição no Masters 1000 de Toronto.

Donos de dois títulos de Grand Slam, Rojer e Tecau precisarão suar para conquistar o terceiro. O holandês e o romeno poderão encontrar os cabeças de chave 10 Marc Lopez e Feliciano Lopez logo nas oitavas, dupla que foi sua adversária na final do ano passado. Nas quartas, mais pedreira pela frente, com Bruno Soares e Jamie Murray, cabeças 4 e invictos nos torneio americanos da US Open Series desta temporada, sendo seus possíveis adversários.

Projeção:
R1: Arends/Sancic
R2: Carreno Busta/Garcia-Lopez ou Skupski/Skupski
Oitavas: [10]Lopez/Lopez
Quartas: [4]Murray/Soares, [14]Haase/Middelkoop
Semi: [1]Marach/Pavic, [7]Kubot/Melo, [9]Herbert/Mahut, [13]Peralta/Zeballos

Os brasileiros
[4]Bruno Soares e Jamie Murray
Soares e Murray estão em grande fase. A dupla se deu bem na preparação para o US Open, sendo campeões do ATP 500 de Washington e do Masters 1000 de Cincinnati antes de pousarem em Nova Iorque. No último Grand Slam do ano, o mineiro e o britânico terão uma segunda rodada complicada, com Mirnyi/Oswald ou Daniell/Koolhof pela frente. Os primeiros cabeças de chave em seu caminho são os holandeses Robin Haase e Matwe Middelkoop, que já conquistaram três títulos neste ano, com dois deles sendo em quadra dura. Nas quartas, podem enfrentar os atuais campeões Rojer/Tecau ou os vices Lopez/Lopez, com mais três duplas campeãs de slam sendo os possíveis adversários de semi.

Projeção:
R1: Pella/Ramos-Vinolas
R2: Daniell/Koolhof ou Mirnyi/Oswald
Oitavas: [14]Haase/Middelkoop
Quartas: [6]Rojer/Tecau, [10]Lopez/Lopez
Semi: [1]Marach/Pavic, [7]Kubot/Melo, [9]Herbert/Mahut, [13]Peralta/Zeballos

[7]Marcelo Melo e Lukasz Kubot
Melo e Kubot não tiveram bons resultados na preparação, caindo na estreia em três dos quatro torneios que disputaram na chuvosa gira pré-US Open. Os jogos, porém, foram bons, com três das quatro derrotas acontecendo no match tie-break. Com aquele fator decisivo característico da dupla faltando, Melo e Kubot vão em Nova Iorque em busca da redenção. Além da busca pela confiança, Melo também luta por resultados melhores no US Open. Nos últimos três anos, o mineiro não passou da segunda rodada, tendo feito duas semifinais anteriormente.

A dupla definitivamente não terá vida fácil no torneio, mas poderá ganhar a confiança necessária logo no começo, já que enfrentam o perigoso time formado por Vasek Pospisil e Fernando Verdasco na estreia. Nas oitavas, podem enfrentar os franceses Herbert/Mahut, que não tiveram resultados expressivos após o título em Roland Garros, mas que sempre devem ser considerados candidatos ao campeonato. As quartas podem contar com Marach/Pavic, que lideram a corrida pra Londres, ainda tendo Murray/Soares e Rojer/Tecau entre os times mais perigosos na possível semi.

Projeção:
R1: Pospisil/Verdasco
R2: Sharan/Sitak ou Redlicki/Zhu
Oitavas: [9]Herbert/Mahut
Quartas: [1]Marach/Pavic, [13]Peralta/Zeballos
Semi: [4]Murray/Soares, [6]Rojer/Tecau, [10]Lopez/Lopez, [14]Haase/Middelkoop

Marcelo Demoliner e Santiago Gonzalez
Após um mês disputando o WTT, onde foi campeão com os Springfield Lasers, Demoliner voltou ao circuito regular da ATP. O gaúcho e Gonzalez jogaram apenas o ATP 250 Winston-Salem na sua preparação para o US Open, vencendo Kubot/Melo na estreia e caindo na rodada seguinte para Qureshi/Sitak. Em Nova Iorque, Demo e Gonzalez terão os franceses Nys/Paire na estreia, podendo enfrentar os colombianos Cabal/Farah logo na segunda rodada, dupla que vem embalada da final no Masters 1000 de Cincinnati. O time será constantemente desafiado, mas sabe que pode bater de frente e incomodar os grandes nomes do circuito.

Projeção:
R1: Nys/Paire
R2: [5]Cabal/Farah ou Rublev/Shapovalov
Oitavas: [11]Dodig/Granollers
Quartas: [2]Kontinen/Peers, [15]Bopanna/Roger-Vasselin
Semi: [3]Bryan/Sock, [8]Klaasen/Venus, [12]McLachlan/Struff, [16]Inglot/Skugor

As ausências
Alexander Peya é a novidade na lista de ausências. O austríaco sofreu rompimento de ligamento e tendão no cotovelo direito enquanto disputava o Masters 1000 de Cincinnati e precisará ficar fora do circuito. Ele optou por um tratamento mais conservador, que o deixará fora de ação por pelo menos dois meses, na mais otimista das previsões, com o tenista conseguindo voltar a tempo de disputar o ATP Finals com Mektic. Peya, que teve um 2018 fantástico ao lado do parceiro croata, não sabe se precisará passar por uma intervenção cirúrgica. Caso aconteça, ficará fora por cerca de seis meses, custando o fim desta temporada e o início da próxima.

Bob Bryan, dono de cinco títulos do US Open, segue se recuperando de uma cirurgia no lado direito do quadril, sendo o primeiro US Open que o americano não disputa desde 1995. Seu irmão Mike jogará ao lado de Jack Sock mais uma vez, com quem conquistou o título em Wimbledon no mês passado. Bob espera se recuperar totalmente em 6 meses.

bob-bryan-hip-2018

O novo quadril de Bob Bryan, que passou por uma artroplastia parcial na cabeça de seu fêmur direito

Quem também operou o quadril é Nenad Zimonjic. O sérvio passou por uma artroplastia total nos dois lados de seu quadril dois meses atrás e já aparece treinando levemente, focado no seu retorno às quadras.

Bola fora
Mais um ano se passou e o US Open continua pisando na bola com as duplas. No mesmo dia em que o torneio celebrou o “dia das duplas”, no qual crianças puderam ter um contato maior com o jogo e com os maiores duplistas da atualidade, o US Open mandou um comunicado para os tenistas avisando que “os jogadores que terão os jogos começando na quarta-feira”, também conhecido como duplistas, precisarão se adaptar às falhas do torneio nos dois primeiros dias. Os duplistas não poderão marcar seus treinos entre 9h e 14h, além de terem transporte negado das 6h45 às 13h. O torneio orienta que os tais “tenistas que começarão a jogar na quarta” utilizem o transporte público da cidade ou peguem um táxi. Pagar para tentar treinar em um Grand Slam, que tal?

O problema do transporte para os duplistas é recorrente, com o torneio recebendo muitas reclamações em todos os anos e nunca procurando resolvê-lo para que todos os tenistas disputando o US Open possam receber um tratamento igualitário. Para um Grand Slam que se orgulha em divulgar todo santo ano uma premiação exorbitante em simples, com o campeão de 2018 levando 3,8 milhões de dólares, é de se imaginar o porquê de não investirem em um sistema mais eficiente para todos. É muito legal a divulgação das duplas antes do torneio começar, mas quando o bicho pega, sempre fica mais cômodo excluir os duplistas. É pra se pensar, ainda mais vindo de um país em que os maiores títulos na ATP nos últimos 15 anos continuam acontecendo na chave de duplas.

Pela última vez
Daniel Nestor disputa seu último Grand Slam da carreira, restando apenas a Copa Davis em setembro para o veterano finalmente pendurar a raquete. O canadense, campeão do US Open em 2004, está na chave com o americano Bradley Klahn, enfrentando os irmãos Harrison na estreia. Sem parceiro fixo na temporada, Nestor caiu na primeira rodada em 13 dos 19 torneios que disputou em 2018. Já em ritmo de despedida, a lenda de 45 anos deixará saudades no coração dos amantes de duplas.

Os melhores jogos de primeira rodada

  • [5]Cabal/Farah x Rublev/Shapovalov
  • [7]Kubot/Melo x Pospisil/Verdasco
  • [15]Bopanna/Roger-Vasselin x Baghdatis/Zverev
  • [16]Inglot/Skugor x Lindstedt/Ram
  • Daniell/Koolhof x Mirnyi/Oswald
  • Carreno Busta/Garcia-Lopez x Skupski/Skupski
  • Cerretani/Paes x Chardy/Martin

Onde assistir
Não faltam opções para o fã de tênis poder acompanhar cada ponto disputado no US Open. O Sportv3 é o canal de escolha da Globosat, enquanto a ESPN estará transmitindo pelos canais ESPN e ESPN+, além da plataforma WatchESPN, que transmite todas as quadras através do site ou do aplicativo. Confira a programação do dia, a chave de duplas completa e torça muito pelo seu time favorito!

Soares e Murray derrotam colombianos e conquistam o título em Cincinnati: “Foi uma grande semana”

Bruno Soares e Jamie Murray seguem invictos nos Estados Unidos. Após conquistarem o título no ATP 500 de Washington, foi a vez da dupla levantar o troféu no Masters 1000 de Cincinnati. Neste domingo, Soares e Murray derrotaram os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah em dois sets a um, com parciais de 4/6, 6/3 e 10-6, levando seu nono título juntos.

Dk-6Ns9XgAA7J5-

Foto: Matthew Stockman/Getty Images

Vice-campeões no ano passado, Soares e Murray saíram vitoriosos de quadra após uma tensa partida. No primeiro set, o mineiro e o britânico tiveram a liderança, abrindo 3/1 e tendo quatro break points no game seguinte. Os colombianos, porém, salvaram todas as chances de quebra e conseguiram igualar a parcial pouco tempo depois, ganhando quatro games seguidos e o primeiro set.

A segunda parcial viu Bruno e Jamie salvando um break point logo no início. Foi no quinto game que a quebra a favor do brasileiro e do britânico veio, com outra se repetindo no nono e último game, empatando a partida e levando a decisão para o match tie-break. Lá, os times trocaram três mini-breaks antes de Soares e Murray dominarem o fim da partida, conseguindo dois breaks e consolidando o título no ponto seguinte.

“Estou muito feliz. Foi uma grande semana, um grande final de semana ganhando três jogos e disputando três match tie-breaks contra três duplas do mais alto nível, que provavelmente estarão em Londres. Foram dois dias agitados.”, relatou o mineiro, destacando o desempenho da dupla na semana. “Ganhar um Masters 1000 é extremamente importante para a nossa carreira. Jogamos tênis para estar presente nesses torneios e ter uma chance de ganhar. Ao lado dos Grand Slams são os maiores torneios do ano e é bastante especial poder colocar o nosso nome ao lado de muita gente top que já ganhou torneios como esses. Depois de três finais conseguir ganhar o primeiro Masters 1000 como dupla é especial e vem em uma hora importante para dar uma aumentada na nossa confiança antes do US Open”, continuou.

Bruno e Murray embarcam ainda hoje para Nova Iorque, já pensando no US Open. “A expectativa é sempre alta. No nível que a gente está, todo torneio que entramos temos chance de ganhar. Obviamente vindo de três semanas como essa, a confiança aumenta. Mas a gente sabe que chegando lá todo mundo fica igual, começa da primeira rodada e é um Grand Slam. O torneio é duríssimo, mas precisamos chegar lá e fazer o trabalho, independente da expectativa”, finalizou.

 

Soares e Murray vencem mais uma e enfrentam colombianos na final

Bruno Soares e Jamie Murray venceram mais uma partida no Masters 1000 de Cincinnati. Poucas horas após derrotarem Marcelo Melo e Lukasz Kubot, o mineiro e o britânico voltaram às quadras para superar os cabeças de chave seis Jean-Julien Rojer e Horia Tecau de virada e em dois sets a um, com parciais de 6/7, 6/2 e 10-6.

“Foi um dia duríssimo, com duas grandes vitórias, enfrentando duas duplas do mais alto nível e ganhando em dois match tie-breaks. Agora estamos em mais uma final de Masters 1000. Foi um dia extremamente positivo pra gente, em um lugar que já jogamos bem no ano passado e que nos proporciona esses momentos legais”, resumiu Bruno, que foi vice-campeão em Cincinnati na última edição.

“Amanhã vamos jogar em busca desse título. Vamos tentar repetir o título de Washington e conseguir o nosso primeiro título de Masters 1000 como dupla. Nós estamos jogando bem, com confiança e principalmente jogando bem nos momentos importantes. Precisamos colocar isso em prática amanhã”, finalizou o mineiro, lembrando da boa fase da dupla, que foi campeã do ATP 500 de Washington há duas semanas atrás.

Na final, Soares e Murray enfrentarão os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, que eliminaram o Kohlschreiber/Verdasco em sets diretos. A partida acontecerá neste domingo, às 13h15, horário de Brasília.

Murray/Soares vencem Kubot/Melo e vão à semi em Cincinnati

Os mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo se enfrentaram neste sábado por uma vaga na semi do Masters 1000 de Cincinnati. Soares e seu parceiro, o britânico Jamie Murray, saíram de quadra com a vitória, derrotando Melo e Lukasz Kubot em dois sets a um, com parciais de 7/5, 6/7 e 10-6.

Western & Southern Open - Day 4

Foto: Peter Staples/ATP World Tour

Foi a primeira vez no ano que Soares e Melo se enfrentaram, com o primeiro levando a melhor. O primeiro set começou parelho, com os primeiros break points surgindo só no final. Melo e Kubot tiveram três chances de quebra no 11º game, com seus adversários salvando e confirmando o saque. No game seguinte, Kubot salvou três break points, mas teve seu saque quebrado no ponto decisivo, com Bruno e Jamie levando a melhor na parcial.

O segundo set também foi apertado, com as duplas confirmando seus saques. Soares e Murray tiveram três match points no último game, que foram salvos por Kubot e Melo, empatando a partida em 6/6 e levando para o tie-break. Lá, o brasileiro e britânico tiveram mais um match point, que não foi convertido. Poucos pontos depois, a dupla de Marcelo fechou o tie-break, empatando as parciais.

Com tudo igual, a partida foi decidida no match tie-break. Após uma troca de mini breaks entre os times, Soares e Murray abriram 8-4, segurando a vantagem e fechando a partida momentos depois. Na semi, que será disputada ainda neste sábado, Bruno e Murray enfrentarão o holandês Jean-Julien Rojer e o romeno Horia Tecau, que mais cedo superaram os espanhois Feliciano Lopez e Marc Lopez em sets diretos.

Entry list – US Open 2018

POS PLAYER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
PARTNER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
TEAM
RANK
1 Marach, Oliver 2 Pavic, Mate 3 959 5
2 Kontinen, Henri 5 Peers, John 4 9
3 Bryan, Mike 1 Sock, Jack 10 20 11
4 Murray, Jamie 7 Soares, Bruno 8 15
5 Kubot, Lukasz 11 Melo, Marcelo 12 23
6 Rojer, Jean-Julien 9 Tecau, Horia 16 25
7 Herbert, Pierre-Hugues 14 75 Mahut, Nicolas 13 134 27
8 Cabal, Juan Sebastian 15 Farah, Robert 17 32
9 Klaasen, Raven 21 Venus, Michael 18 39
10 Mektic, Nikola 20 Peya, Alexander 19 39
11 Lopez, Feliciano 23 63 Lopez, Marc 22 45
12 Dodig, Ivan 26 Granollers, Marcel 25 110 51
13 McLachlan, Ben 24 Struff, Jan-Lennard 29 51 53
14 Bopanna, Rohan 32 Roger-Vasselin, Edouard 28 60
15 Peralta, Julio 34 Zeballos, Horacio 30 148 64
16 Haase, Robin 33 55 Middelkoop, Matwe 31 64
17 Inglot, Dominic 27 Skugor, Franko 39 384 66
18 Rublev, Andrey 102 37 Shapovalov, Denis 399 32 69
19 Sharan, Divij 38 Sitak, Artem 36 74
20 Lajovic, Dusan 398 64 Tsitsipas, Stefanos 1024 15 79
21 Norrie, Cameron 202 67 Schwartzman, Diego 94 12 79
22 Daniell, Marcus 44 Koolhof, Wesley 40 84
23 Carreno Busta, Pablo 71 13 Garcia-Lopez, Guillermo 128 71 84
24 Lindstedt, Robert 49 Ram, Rajeev 37 86
25 Arevalo, Marcelo 45 147 Reyes-Varela, Miguel Angel 52 97
26 Gonzalez, Maximo 57 772 Jarry, Nicolas 70 42 99
27 Monroe, Nicholas 41 Smith, John-Patrick 59 196 100
28 Demoliner, Marcelo 54 Gonzalez, Santiago 47 101
29 Mirnyi, Max 53 Oswald, Philipp 50 103
30 Nielsen, Frederik 63 582 Salisbury, Joe 42 105
31 Mayer, Leonardo 65 50 Sousa, Joao 55 61 105
32 Pella, Guido 160 66 Ramos-Vinolas, Albert 282 41 107
33 Jebavy, Roman 48 Molteni, Andres 60 108
34 Berrettini, Matteo 239 59 Seppi, Andreas 237 49 108
35 Skupski, Ken 58 Skupski, Neal 51 109
36 Basic, Mirza 234 85 Dzumhur, Damir 117 24 109
37 Johnson, Steve 92 33 Kudla, Denis 134 77 110
38 Bolelli, Simone 97 146 Fognini, Fabio 64 14 111
39 Chardy, Jeremy 127 46 Martin, Fabrice 68 114
40 Erlich, Jonathan 74 Qureshi, Aisam-Ul-Haq 43 117
41 Mannarino, Adrian 336 28 Vesely, Jiri 184 89 117
42 Krawietz, Kevin 75 279 Marterer, Maximilian 297 45 120
43 Bracciali, Daniele 101 Cecchinato, Marco 503 22 123
44 Pospisil, Vasek 1245 94 Verdasco, Fernando 84 30 124
45 Ebden, Matthew 149 52 Withrow, Jackson 78 130
46 Nys, Hugo 73 Paire, Benoit 124 57 130
47 Krajinovic, Filip 243 31 Troicki, Viktor 261 99 130
48 Lacko, Lukas 1021 80 Millman, John 233 53 133
49 Gojowczyk, Peter 785 47 Raja, Purav 90 137
50 Baghdatis, Marcos 780 93 Zverev, Mischa 98 44 137
51 Krajicek, Austin 76 453 Sandgren, Tennys 681 62 138
52 Eysseric, Jonathan 91 1347 Fucsovics, Marton 235 48 139
53 Marrero, David 69 Matkowski, Marcin 72 141
54 Arends, Sander 66 Sancic, Antonio 77 1188 143
55 Cerretani, Jamie 67 Paes, Leander 79 146
56 McDonald, Mackenzie 263 81 Nishioka, Yoshihito (66) 184 147
57 Petzschner, Philipp 93 Puetz, Tim 62 281 155

Alternates

POS PLAYER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
PARTNER NAME DBS
RANK
SGL
RANK
TEAM
RANK
58 Albot, Radu 132 95 Jaziri, Malek 335 60 155
59 Arneodo, Romain 82 1328 Bambridge, Luke 80 704 162
60 Istomin, Denis 482 76 Nedunchezhiyan, Jeevan 88 164
61 Molchanov, Denys 83 669 Zelenay, Igor 87 170
62 Behar, Ariel 96 Podlipnik-Castillo, Hans 86 182
63 Gille, Sander 89 1188 Vliegen, Joran 100 189
64 Lorenzi, Paolo 185 103 Vavassori, Andrea 116 660 219
65 Bury, Aliaksandr 109 1254 Oliveira, Goncalo 113 253 222
66 Harrison, Christian 363 214 Harrison, Ryan 46 54 260

Melo e Kubot vencem na estreia em Cincinnati e enfrentam dupla de Soares

O mineiro Marcelo Melo e polonês Lukasz Kubot estrearam com vitória no Masters 1000 de Cincinnati. Os cabeças de chave 5 derrotaram a dupla formada pelo sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/6(4).
kubot-melo-cincinnati-2018-thursday

Foto: Peter Staples/ATP World Tour

Klaasen e Venus foram os responsáveis pela eliminação de Melo e Kubot no Masters 1000 de Toronto, na semana passada. Na partida desta quinta-feira, o mineiro e o polonês conseguiram manter a calma. ”Estamos bem contentes com essa vitória. Enfrentamos um time muito duro. Conseguimos jogar muito bem, imprimir nosso ritmo. Tínhamos perdido para eles em Toronto. Jogamos bem melhor hoje. Tivemos uma chance de fechar o jogo no saque. Perdemos, mas tivemos tranquilidade para ganhar no tie break. Foi muito importante e ficamos muito felizes com a maneira como jogamos. Deu muita confiança começar o torneio assim”, resumiu Marcelo.

Melo e Kubot saíram atrás no primeiro set, com Klaasen e Venus abrindo 3/1. Mas a dupla do mineiro não se abalou, levando os quatro games seguintes e mantendo a vantagem, fechando a parcial em poucos momentos depois. No segundo, os times seguiram na igualdade por dez games, até Melo e Kubot conseguirem uma quebra, sacando para o jogo em 6/5. Porém, seus adversários devolveram a quebra, levando a parcial para o tie-break. Lá, o mineiro e o polonês abriram um único mini-break logo no início, mantendo a vantagem e levando o jogo.

Nas quartas, o duelo será entre brasileiros, com Melo e Kubot enfrentando Bruno Soares e o britânico Jamie Murray por uma vaga na semifinal. A partida acontecerá neste sábado, com horário a ser definido.

Duplas de Melo e Soares param na estreia em Toronto

A quinta-feira não foi feliz para os brasileiros no Canadá. As duplas dos mineiros Bruno Soares e Marcelo Melo caíram nos detalhes na estreia do Masters 1000 de Toronto, dando um amargo adeus à competição.

brunojamiewimbledon

Foto: Clive Brunskill/Getty Images Europe

Primeiros em quadra, Bruno Soares e Jamie Murray foram superados pela dupla formada pelo croata Nikola Mektic e o austríaco Alexander Peya em sets diretos, num duplo 6/4. Um único break point logo no primeiro game foi o suficiente para Mektic e Peya levarem o primeiro set, salvando quatro chances de quebra no caminho. No segundo, Bruno e Jamie não conseguiram converter as chances que tiveram, enquanto seus adversários precisaram de sete break points ao logo da parcial para conseguir a quebra, que veio no nono game, confirmando a vitória no game seguinte.

Já Marcelo Melo e Lukasz Kubot resistiram mais, caindo no match tie-break para o sul-africano Raven Klaasen e o neozelandês Michael Venus em 6/3, 5/7 e 11-9. Os dois primeiro sets foram conquistados pelas duplas que tiveram as únicas chances de quebra de cada parcial, com Klaasen/Venus quebrando no sexto game do primeiro set e Kubot/Melo levando a melhor no último game do segundo set. Com tudo igual, a partida foi decidida no match tie-break, onde o sul-africano e o neozelandês chegaram a abrir 5-2. O mineiro e o polonês buscaram o resultado, salvando três match points posteriormente, mas caindo numa quebra de saque no fim da partida.

Agora as duplas seguem para o Masters 1000 de Cincinnati, nos Estados Unidos, o último torneio que disputarão antes do US Open.  Lá, Soares e Murray defendem o vice-campeonato, enquanto Kubot/Melo foram semifinalistas na última edição.