Soares e Pavic vencem mais uma em Paris

Bruno Soares e Mate Pavic estão na semifinal do Masters 1000 de Paris, na França. Nesta sexta, em uma reedição da final do US Open deste ano, a dupla superou os cabeças 6 Wesley Koolhof e Nikola Mektic em sets diretos, com parciais de 6/1 e 7/6(4).

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Estou muito feliz, mais um grande jogo. Jogamos num nível absurdo até o 6/1 e 4-2, aí acabamos levando uma virada num game pouco depois e eles começaram a jogar bem, o jogo ficou bem parelho. Mas terminamos jogando super bem o tie-break, sacamos muito bem lá e devolvemos bem no jogo inteiro. Felizmente conseguimos fechar em dois sets, o que era fundamental depois de começar muito bem e ter se complicado”, analisou o mineiro.

Na semi, Bruno e Pavic enfrentarão o austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin, que estão em busca de uma vaga no ATP Finals e garantirão a sua classificação com uma vitória contra a dupla de Soares. “Amanhã vai ser pedreira contra o Melzer e o Vasselin. É semi de Masters 1000, eles estão jogando muito bem e com certeza estão com muita energia, já que estão na briga pela vaga do Finals. É continuar o que a gente vem fazendo e seguir com o nosso trabalho. Estamos muito agressivos e em quadra indoor essa agressividade é muito importante”, finalizou Soares, antecipando uma partida tensa.

Após Paris, Soares e Pavic, que nos últimos meses ganharam o US Open e foram vice-campeões de Roland Garros, seguirão para Londres, onde disputarão o ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores times da temporada. O torneio disputado na Inglaterra terá início no dia 15 de novembro.

Melo e Kubot vencem e estão a um passo do ATP Finals

Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão nas quartas de final do Masters 1000 de Paris, na França. Nesta quinta-feira, os cabeças de chave 4 repetiram a final de Viena e derrotaram os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski em dois sets a um, com parciais de 6/2, 1/6 e 10-6. O resultado deixa o mineiro e o polonês muito próximos de uma vaga no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada na O2 Arena, em Londres, encerrando a temporada.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Mais uma vitória para nós, muito contente pelo resultado. Acho que jogamos bem. Foi um jogo um pouco mais nervoso por estarmos brigando pela vaga no Finals. Era uma disputa direta com eles, então tornou-se bem mais tenso. Fico muito feliz de termos conseguido controlar esse nervosismo, especialmente no match tie-break, onde eu e o Lukasz temos um retrospecto muito bom”, explicou Marcelo, satisfeito com a vitória. Com um ótimo aproveitamento em match tie-breaks, a dupla aumentou o retrospecto para 56 vitórias em 82 disputados.

“Conseguimos imprimir de novo toda a confiança dos torneios anteriores para buscar esse resultado. Agora, um jogo chave para nós que, se ganharmos, garantimos a classificação. Temos de ficar tranquilos, sabendo que estamos bem treinados e prontos para jogos como esse”, completou o mineiro. Na próxima rodada, que será disputada nesta sexta-feira, Melo e Kubot enfrentarão os franceses Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut.

A vitória na estreia garantiu uma posição para a dupla na corrida para o Finals, subindo para a sétima colocação e com 1960 pontos. Caso vençam nesta sexta, a dupla confirmará a classificação, somando 2140 e ficando inalcançáveis por Murray e Skupski. Mesmo com um título em Sofia, torneio que acontecerá na semana que vem, os britânicos empatariam os 2140 pontos, mas perderiam no primeiro critério de desempate, o menor número de torneios disputados.

Seis duplas estão confirmadas no ATP Finals. Além dos campeões de Grand Slam Ram/Salisbury, Pavic/Soares e Krawietz/Mies, Granollers/Zeballos, Koolhof/Mektic e Peers/Venus também estão classificados. Restando duas vagas, cinco times ainda possuem chances de classificação: Kubot/Melo, Murray/Skupski, Melzer/Roger-Vasselin, Purcell/Saville e Herbert/Mahut. Destas cinco, Murray/Skupski e Purcell/Saville já deram adeus em Paris. Outra dupla que pode se garantir nesta semana é Melzer/Roger-Vasselin, caso cheguem na final.

Ranking (05/11)TimePontos
1Rajeev Ram e Joe Salisbury ✅3350
2Mate Pavic e Bruno Soares ✅2965
3Kevin Krawietz e Andreas Mies ✅2910
4Marcel Granollers e Horacio Zeballos ✅2440
5Wesley Koolhof e Nikola Mektic ✅2325
6John Peers e Michael Venus ✅2240
7Lukasz Kubot e Marcelo Melo1960
8Jamie Murray e Neal Skupski 1890
9Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin1850
10Max Purcell e Luke Saville1665
15Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut1110

Soares e Pavic avançam em Paris

Bruno Soares e Mate Pavic estrearam com vitória no Masters 1000 de Paris. A dupla cabeça de chave 2 da competição superou os belgas Sander Gille e Joran Vliegen em sets diretos, com parciais de 6/4 e 7/6(3), para avançar às quartas de final do torneio parisiense.

“Foi uma belíssima estreia, jogamos super bem. Jogo duríssimo, no detalhe. Já cansei de falar dos belgas, né, eles jogam super bem. Muito feliz com esse primeiro jogo”, falou Soares, contente com a estreia em Paris.

Na próxima rodada, Bruno e Pavic enfrentarão os cabeças 6 Wesley Koolhof e Nikola Mektic, que garantiram a sua classificação no ATP Finals nesta quinta-feira. As duplas se enfrentaram em uma ocasião, na final do US Open deste ano, com vitória do mineiro e do croata.

“Amanhã é mais uma pedreira, mas é seguir jogando do mesmo jeito. Estamos bem, firmes e confiantes. Estou me sentindo bem fisicamente, o que é muito importante num fim de temporada”, finalizou Bruno, confiante no desempenho.

Após Paris, Soares e Pavic, que nos últimos meses ganharam o US Open e foram vice-campeões de Roland Garros, seguirão para Londres, onde disputarão o ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores times da temporada. O torneio disputado na Inglaterra terá início no dia 15 de novembro.

Melo e Kubot conquistam o tricampeonato em Viena

O domingo foi de título para Marcelo Melo e Lukasz Kubot. Disputando a final do ATP 500 de Viena, a dupla superou os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski em sets diretos, com parciais de 7/6(5) e 7/5, para conquistar o tricampeonato na capital austríaca. Este foi o segundo troféu que o brasileiro e o polonês conquistaram nesta temporada, seguindo o ATP 500 de Acapulco, e o 35º da carreira de Melo.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Foi uma partida muito apertada, decidida no ponto a ponto, nós sabíamos que seria assim. Eles formam um ótimo time. Acho que hoje nós conseguimos jogar da mesma maneira que no resto da semana, foi ótimo. A energia positiva de Viena nos fez conquistar outro título,” disse o mineiro, feliz por mais uma conquista.

O ótimo histórico de Melo e Kubot em Viena continua firme. Em seis edições disputadas, a dupla foi campeã em três ocasiões e vice-campeã em outra. São 18 vitórias e 3 derrotas do brasileiro e do polonês no ATP 500 austríaco, torneio em que Melo também garantiu o número 1 do mundo pela primeira vez, em 2015.

O tricampeonato em Viena também marca o 15º título da dupla, que subirá para a oitava colocação no ranking da temporada. Melo e Kubot seguem em busca de uma vaga no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas do ano na O2 Arena, em Londres, e que a dupla disputou nas últimas três edições. Quatro times já estão garantidos na competição, com início no dia 15 de novembro.

Marcelo e Kubot seguem para o Masters 1000 de Paris, na França. Lá, o time pode voltar a encarar Murray e Skupski logo na estreia, enfrentando os vencedores da partida entre os britânicos e a dupla de Aisam-ul-Haq Qureshi e Stefanos Tsitsipas.

Melo e Kubot vencem e vão em busca do terceiro título em Viena

Marcelo Melo e Lukasz Kubot estão em mais uma final em Viena. Disputando a quarta decisão no ATP 500 austríaco, o mineiro e o polonês superaram os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, os atuais bicampeões Roland Garros, de virada, com parciais de 4/6, 6/4 e 10-8.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“O jogo de hoje não começamos tão bem quanto os outros, mas mantivemos a calma, buscando uma energia para tentar virar. Acho que conseguimos isso bem no final. Quebramos no 5/4 no segundo set, e aí usamos essa energia de ter tido uma chance de quebrar para entrar com tudo no match tie-break. Foram vários pontos longos e realmente de alto nível. Acabamos dominando o jogo nos últimos dez minutos, onde foi a parte mais importante para nós”, explicou Marcelo.

“A lição de hoje foi ficar no jogo o máximo possível, buscando encontrar um caminho. Agora é ir com tudo na final e tentando começar melhor, para não fazer os torcedores sofrerem no match tie-break”, completou o mineiro.

Na final, Melo e Kubot enfrentarão os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski, que também estão em busca de uma vaga no ATP Finals. Os times se enfrentaram uma vez no circuito, na edição de 2019 do ATP 250 de Winston-Salem, com vitória de Marcelo e Kubot. A decisão será disputada neste domingo, às 7h45, horário de Brasília.

Com um ótimo histórico em Viena, esta é a quarta decisão que Kubot/Melo jogam no torneio, tendo disputado seis edições. A dupla foi campeã em 2015 e 2016, e vice-campeã no ano passado. Além dos títulos, também foi em Viena que Melo confirmou a liderança do ranking da ATP em 2015, virando o número 1 do mundo pela primeira vez após uma vitória na Áustria.

É a 65ª final da carreira de Melo, sendo a 26ª ao lado de Kubot, com quem conquistou 14 de seus 34 títulos. O time chega em sua terceira decisão de 2020. Antes da paralisação do circuito, o brasileiro e o polonês foram campeões do ATP 500 de Acapulco, no México. Duas semanas atrás, no início da gira de quadra dura indoor, Marcelo e Kubot foram vice-campeões no ATP 250 de Colônia.

Com Ram/Salisbury, Granollers/Zeballos, Pavic/Soares e Krawietz/Mies já garantidos, o time continua atrás de uma das quatro vagas restantes do ATP Finals. Atuais número 10 da corrida, Melo e Kubot saltarão para a oitava colocação com um título em Viena.

Melo e Kubot vão à semi em Viena; Pavic/Soares dão adeus

Em busca de uma vaga no ATP Finals, Marcelo Melo e Lukasz Kubot continuam avançando no ATP 500 de Viena, na Áustria. Em partida válida pelas quartas de final do torneio, os cabeças de chave 3 da competição venceram a experiente dupla do austríaco Jurgen Melzer e o francês Edouard Roger-Vasselin em sets diretos, com parciais de 7/5 e 6/3. Na semifinal, o brasileiro e o polonês enfrentarão os alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, os atuais campeões de Roland Garros.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Hoje conseguimos jogar muito bem. Acho que a confiança do jogo de ontem e dos que fizemos em Colônia ajudou demais. Melzer e Vasselin formam uma dupla extremamente dura. Dá para ver pelos resultados. Então, novamente, precisamos jogar nosso melhor. Tivemos breaks, eles recuperaram, quebramos de novo. Seguimos o jogo ponto a ponto. Foi mais uma vitória excelente para nós. Mais um belo jogo”, comemorou Marcelo, feliz com a retomada de confiança da parceria.

Viena é um torneio especial para Melo e Kubot, que jogaram sua primeira partida juntos na Áustria, em 2015. Foi também naquela edição que a dupla conquistou seu primeiro torneio, voltando a repetir o feito no ano seguinte. A parceria, que começou oficialmente em 2017, foi vice-campeã em Viena na última edição.

“Acho que Viena tem uma energia especial para nós. Aqui aconteceu muita coisa, eu virei número 1 do mundo neste torneio. Foi a primeira vez que joguei com o Kubot também. Tem toda uma história e essa energia positiva ajuda demais. Então vamos seguir firme. Amanhã não temos jogo, só no sábado. É treinar mais um pouco para chegar bem, com tudo, na semifinal contra os alemães, que com certeza será um jogo muito duro”, completou o mineiro.

O próximo jogo será neste sábado, diante de Kevin Krawietz e Andreas Mies, os responsáveis pela eliminação da dupla de Bruno Soares e Mate Pavic nesta quinta-feira. A dupla cabeça de chave 1 foi superada pelos alemães em dois sets a um, com parciais de 6/1, 4/6 e 10-8. O mineiro e o croata seguem para a França, onde disputarão o Masters 1000 de Paris.

Após a França, Bruno e Pavic irão encerrar a sua temporada no ATP Finals, torneio que reúne as oito melhores duplas do ano na O2 Arena, em Londres. Os campeões do US Open e vice-campeões de Roland Garros já estão classificados para a competição, que também conta com Ram/Salisbury, Krawietz/Mies e Granollers/Zeballos garantidos.

Melo e Kubot vencem jogo duro e vão às quartas em Viena

Marcelo Melo e Lukasz Kubot começaram a sua campanha no ATP 500 de Viena, na Áustria, com uma grande vitória. Nesta quarta-feira, a dupla cabeça de chave 3 superou o forte time formado pelo sul-africano Raven Klaasen e o holandês Jean-Julien Rojer em dois sets a um, com parciais de 7/6(4), 6/7(4-7) e 10-7.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Hoje foi um grande jogo, os quatro jogaram muito bem. Os três sets foram decididos no detalhe. Pelo placar dá para ver o tanto que foi duro, quase duas horas de jogo. Acho que, para nós, o momento mais importante foi quando conseguimos imprimir tudo o que vínhamos fazendo no finalzinho do match tie-break. Estávamos 5-7 abaixo e acabamos ganhando cinco pontos seguidos, virando o jogo para 10-7. Foi importante terminar dessa maneira”, explicou Marcelo, satisfeito com o desempenho.

“Agora é continuar passo a passo e ir com tudo amanhã, que temos outro jogo extremamente difícil. Estamos realmente felizes com a vitória, em uma partida que exigiu muito da nossa dupla”, completou o brasileiro. Garantidos nas quartas, o mineiro e o polonês enfrentarão Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin por uma vaga na semifinal de Viena.

Em busca de uma vaga no ATP Final, torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada na O2 Arena, em Londres, Melo e Kubot ganharam mais uma posição no ranking com a vitória. A estreia garantiu a 10ª colocação para o brasileiro e o polonês, passando os colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah.

Melo e Kubot possuem um ótimo histórico em Viena. Dois dos 14 títulos da parceria foram conquistados na Áustria, além de um vice-campeonato na última edição. O inaugural, em 2015, foi apenas o primeiro torneio que a dupla disputou junta, antes mesmo da parceria se iniciar oficialmente, em 2017.

Demoliner eliminado na estreia

Marcelo Demoliner não teve o mesmo destino. Disputando o ATP 250 de Nur-Sultan ao lado do sérvio Nikola Cacic, o gaúcho foi eliminado na estreia por Artem Sitak e Sander Arends com parciais de 6/3, 4/5 e desistência. O brasileiro sentiu dores na região do adutor e chegou a pedir atendimento médico durante a partida, mas não foi o suficiente para continuar, desistindo da competição.

Soares e Pavic avançam em Viena

Bruno Soares e Mate Pavic estrearam com vitória no ATP 500 de Viena. Nesta segunda-feira, os cabeças de chave 1 superaram os qualifiers poloneses Karol Drzewiecki e Szymon Walkow em sets diretos, com parciais de 7/6(7) e 6/3, para se garantir nas quartas do torneio austríaco.

Foto: e-motion/Bildagentur Zolles KG/Christian Hofer

“Foi uma bela vitória hoje. Ontem nós assistimos o jogo dos poloneses na rodada final do qualifying e eles jogaram super bem. Hoje foi no detalhe, nós bobeamos um pouco no fim do primeiro set, quando saquei no 6/5 e 40-15 e poderia ter fechado, mas salvamos bem no tie-break e jogamos super firme no segundo set. Muito feliz com a estreia”, disse o mineiro, satisfeito com a estreia na Áustria.

Nas quartas de final, Bruno e Pavic terão uma pedreira pela frente. O time enfrentará os vencedores do duelo dos alemães Kevin Krawietz e Andreas Mies, os atuais campeões de Roland Garros, e a dupla de John Peers e Michael Venus, que estão vindo de título no ATP 250 de Antuérpia.

No último domingo, Soares fez uma curiosa participação no qualifying de simples, entrando direto na última rodada e caindo para o húngaro Attila Balazs em sets diretos. Hoje, o torneio contou com algumas desistências e o brasileiro precisava de apenas mais uma desistência para entrar na chave principal. Bruno, porém, optou por não dar continuidade à saga e deixar a vaga para alguém que realmente jogue simples.

“Até conversei com o Herbert, que também disputou o quali e está no aguardo, e disse que não vou jogar. Só joguei o qualifying porque não tinha ninguém. É um ATP 500 e eu vou focar nas duplas. O Herbert joga simples também e é uma chance para ele disputar o torneio. Não vou pegar a vaga só por pegar, já fiz a minha parte. Agora é concentrar nas duplas e deixar ele, caso tenha a sorte de entrar, fazer o trabalho dele na simples também”, finalizou o mineiro, explicando a situação.

Soares avalia experiência no quali de simples de Viena: “Valeu muito”

Não foi um domingo comum para Bruno Soares. No ATP 500 de Viena, na Áustria, o mineiro iniciou as suas atividades no torneio de um modo diferente: jogando simples. Disputando a última rodada do qualifying, Bruno caiu para o húngaro Attila Balazs, número 85 do mundo, em 6/2 e 6/4.

“Foi muito legal ter tido esta experiência de novo depois de tanto tempo. Obviamente é muito difícil jogar sem nenhum treinamento de simples nos últimos anos contra um cara que é top 100, mas valeu muito”, disse Soares, contente com a experiência.

O brasileiro entrou na chave da fase qualificatória de simples após assinar a lista de alternates do torneio. Algumas desistências e mudanças de última hora nas chaves principal e qualificatória de simples esgotaram os simplistas disponíveis no torneio, dando a oportunidade para Soares disputar a competição, assim como o também duplista Rajeev Ram, que enfrentou Balazs na primeira rodada.

Esta foi a primeira partida de simples de Bruno em cinco anos. A última vez havia sido em 2015, no torneio de Auckland, em situação parecida. Na ocasião, o atual número 6 do mundo nas duplas enfrentou o francês Lucas Pouille. Em 2004, Soares atingiu o seu melhor ranking de simples, o de 221º do mundo.

“Deu para treinar, adaptar e fazer um jogo, isso era o mais importante. Só de ter entrado e jogado já me ajudou na preparação e adaptação para a estreia amanhã na chave de duplas. Eu e o Pavic vamos focar no que estamos fazendo”, encerrou o mineiro.

De volta ao seu habitual, Bruno Soares e seu parceiro, o croata Mate Pavic, irão estrear nesta segunda-feira contra os qualifiers poloneses Karol Drzewiecki e Szymon Walkow. Desde o retorno do tênis no fim de agosto, a dupla conquistou o título no US Open e o vice-campeonato em Roland Garros, além de garantir a classificação para o ATP Finals, o torneio que reúne as oito melhores duplas da temporada na O2 Arena, em Londres.

Melo e Kubot param nas quartas de Colônia

Nesta sexta-feira, Marcelo Melo e Lukasz Kubot se despediram do ATP 250 de Colônia. Disputando a segunda das duas edições seguidas do torneio alemão, a dupla cabeça de chave 1 parou nas quartas de final ao ser superada pelo time do neozelandês Marcus Daniell e o austríaco Philipp Oswald em dois sets a um, com parciais de 6/2, 4/6 e 10-3. Na semana passada, Melo e Kubot foram vice-campeões do primeiro torneio de Colônia.

Foto: DPA/Getty Images

“Eles jogaram muito bem. Aproveitaram o ritmo e a confiança, já que estão vindo de um título em Sardenha. De qualquer forma, foi uma boa sequência de jogos. Vamos para Viena neste sábado”, disse o mineiro, elogiando os adversários. Daniell e Oswald derrubaram os colombianos Robert Farah e Juan Sebastian Cabal, os números 1 e 2 do mundo, na final de Sardenha, disputada na última semana.

Após o ATP 500 austríaco, Melo e Kubot seguirão para o Masters 1000 de Paris, na França. A dupla está em busca de uma das quatro vagas restantes do ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores times da temporada na O2 Arena, em Londres. Até o momento, Ram/Salisbury, Pavic/Soares, Granollers/Zeballos e Krawietz/Mies já estão garantidos na competição. Marcelo e Kubot figuram na 11ª colocação, estando 235 pontos atrás de Purcell/Saville, que estão na oitava posição.

Corrida do Finals (23/10)
PosiçãoJogadoresPontos
1Rajeev Ram e Joe Salisbury3,260
2Mate Pavic e Bruno Soares2,695
3Kevin Krawietz e Andreas Mies2,670
4Marcel Granollers e Horacio Zeballos2,440
5Wesley Koolhof e Nikola Mektic2,145
6John Peers e Michael Venus1,900
7Jurgen Melzer e Edouard Roger-Vasselin1,580
8Max Purcell e Luke Saville1,515
9Jamie Murray e Neal Skupski1,500
10Juan Sebastian Cabal e Robert Farah1,350
11Lukasz Kubot e Marcelo Melo1,280