Melo e Tecau param nas quartas do ATP 250 de Melbourne

Disputando o ATP 250 de Melbourne, na Austrália, Marcelo Melo e Horia Tecau pararam nas quartas de final do torneio. Na madrugada deste sábado, a dupla foi superada pelo uruguaio Ariel Behar e o equatoriano Gonzalo Escobar em sets diretos, com parciais de 7/6(4) e 6/3.

“Eles jogaram muito bem. É uma dupla que vem com muita confiança, eles ganharam o ATP 250 de Delray Beach em janeiro. Eles aproveitaram os momentos importantes e acabaram jogando melhor. Nós tivemos algumas chances no primeiro set, alguns break points que não conseguimos converter. No tie-break, como sempre, é um ponto pra cá e outro pra lá. E eles também jogaram melhor no segundo set”, resumiu o mineiro, reconhecendo o desempenho dos adversários.

“Não acho que jogamos mal, jogamos normal. Foi bom ter feito dois jogos para melhorar o meu entrosamento com o Horia. O entrosamento deles acabou prevalecendo um pouco nos momentos importantes, mas acho que foi um bom jogo. O importante agora é saber que treinamos bem, fizemos dois jogos aqui e estamos prontos para ir bem no Australian Open”, completou Melo, já focado no Grand Slam.

Este foi apenas o primeiro torneio que Melo e Tecau disputaram juntos em suas carreiras. Agora, a dupla segue se preparando para o Australian Open, o primeiro Grand Slam do ano, que terá início nesta segunda-feira, dia 8. O mineiro está ao lado do romeno na gira australiana já que o seu parceiro fixo, o holandês Jean-Julien Rojer, se tornará pai em breve e optou por não viajar para a Austrália. A parceria entre Melo e Rojer começará após a Austrália.

Melo e Tecau vencem e vão às quartas

Marcelo Melo e Horia Tecau estrearam no ATP 250 de Melbourne com vitória. Os cabeças de chave 4 derrotaram os norte-americanos Nicholas Monroe e Frances Tiafoe em sets diretos, com parciais de 7/6(6) e 6/2, para avançar às quartas de final do torneio que antecede o Australian Open.

Foto: Divulgação

“Foi um bom início, com vitória. Começamos jogando bem, com um break acima, mas eles acabaram quebrando de volta. Aí fomos bem no tie-break e no segundo set conseguimos deslanchar, jogando melhor ainda. Logicamente, depois de treinar tanto tempo e sendo apenas o primeiro jogo da temporada, temos algumas coisas para acertar. Eu vejo como muito positiva essa primeira rodada. É muito bom ter a chance de jogar mais uma partida e ir pegando ritmo para o Australian Open, que é o nosso principal objetivo”, explicou Marcelo, feliz com a vitória.

A dupla retornará às quadras no início da madrugada deste sábado, por volta da meia-noite, quando enfrentarão o uruguaio Ariel Behar e do equatoriano Gonzalo Escobar. Com a descoberta de um caso positivo de coronavírus entre os funcionários de um dos hotéis em que os jogadores passaram a quarentena, todos os torneios que estão sendo disputados no Melbourne Park não tiveram jogos na última quarta-feira, sofrendo um atraso na programação. Com isso, caso vençam, Melo e Tecau farão jornada dupla, disputando a semifinal ainda na madrugada deste sábado.

Após o ATP 250 de Melbourne, Melo e Tecau disputarão o Australian Open. O mineiro está ao lado do romeno na gira australiana já que o seu parceiro fixo de 2021, o holandês Jean-Julien Rojer, se tornará pai em breve e optou por não viajar para a Austrália. A parceria entre Melo e Rojer começará após a Austrália.

Duplas de Soares e Demoliner avançam; Melo tem estreia adiada

Bruno Soares e Jamie Murray estrearam com vitória na Austrália. Retomando a vitoriosa parceria após um ano e meio, a dupla superou os espanhóis Pablo Andújar e Pedro Martínez em 7/6(4) e 6/3 para avançar às quartas do ATP 250 de Melbourne 1. Agora, a dupla aguarda os vencedores da partida entre Bublik/Golubev e Kecmanovic/Khachanov.

“Foi um jogo duro. Eles jogaram muito bem, mas nós jogamos melhor nos pontos importantes. Conseguimos recuperar bem o nosso entrosamento durante todos esses dias de treino, e agora é pegar ritmo de jogo, já que faz 2 ou 3 meses que estamos sem competir. Temos que seguir firmes. Precisamos fazer a maior quantidade de jogos possível para chegar bem no Australian Open e jogar o nosso melhor”, explicou Soares, motivado para o primeiro Grand Slam do ano.

Esta foi a primeira partida de Bruno e Murray desde a edição de 2019 de Roland Garros, quando os tenistas encerraram a parceria. O mineiro, então, disputou o restante do ano e a temporada de 2020 ao lado do croata Mate Pavic, com quem conquistou os títulos do US Open e do Masters 1000 de Xangai. Juntos, Bruno e Murray foram campeões em 10 torneios, incluindo o Australian Open e o US Open, ambos em 2016.

Quem também retomou uma antiga parceria e estreou com vitória foi Marcelo Demoliner. Voltando a jogar ao lado do mexicano Santiago Gonzalez, o gaúcho avançou no ATP 250 de Melbourne 2 ao derrotar os anfitriões James Duckworth e Marc Polmans em 6/4 e 6/2. Na próxima rodada, a dupla, que disputou alguns torneios em 2018 e faturou o título no ATP 250 de Antalya daquele mesmo ano, aguarda os vencedores de Ram/Salisbury x Norrie/O’Mara.

Já Marcelo Melo, que estrearia em Melbourne no fim desta quarta-feira, terá que esperar. Após a descoberta de um caso positivo de coronavírus entre os funcionários do Grand Hyatt, hotel que recebeu muitos jogadores, árbitros e trabalhadores durante a quarentena obrigatória, os jogos de todos os torneios foram suspensos. Mais de 500 pessoas foram colocadas novamente em quarentena para que todos sejam testados. O mineiro e seu parceiro na gira australiana, o romeno Horia Tecau, aguardam a decisão do governo local em relação aos jogos para enfrentar os norte-americanos Nicholas Monroe e Frances Tiafoe.

Soares e Murray entram na reta final de preparação em Melbourne

Bruno Soares está nos ajustes finais da sua preparação. O mineiro e o seu parceiro, o britânico Jamie Murray, disputarão o ATP 250 de Melbourne, torneio com início dos jogos na madrugada desta segunda-feira. Agora fora da quarentena, Bruno e Jamie estão podendo treinar com outras duplas para afinar a sintonia.

“Está tudo certo por aqui e melhor agora com essa liberdade e tranquilidade que estamos podendo viver. Parece que estamos em outro planeta, pra ser sincero. Estamos começando a preparação em quadra e está uma loucura para treinar, é muita gente e muitos torneios acontecendo ao mesmo tempo no complexo. O pessoal da organização está se virando para acomodar todo mundo, mas está dando tudo certo”, explicou o mineiro, que saiu da quarentena e está podendo circular normalmente pela cidade. Além do torneio que Bruno disputará, outro ATP 250, a ATP Cup e mais três WTAs acontecerão simultaneamente no Melbourne Park, complexo que também recebe o Australian Open.

Bruno e Murray são os cabeças de chave 2 da competição. Saindo de bye na primeira rodada, a dupla terá mais dias para treinar e aguarda os vencedores do duelo entre Laslo Djere/Stefano Travaglia e Pablo Andujar/Pedro Martinez para conhecer os seus adversários da estreia.

“Agora que estamos podendo treinar com outras pessoas, temos que aproveitar para jogar muitos pontos e voltar com o entrosamento, fazendo os ajustes finais. Nós treinamos bastante e fizemos muitos exercícios, mas agora é hora de entrar no modo competição. Como saímos de bye, temos alguns dias a mais para treinar e provavelmente vamos estrear na quarta-feira. Então agora é isso, ajustes finais e começar a pegar ritmo de jogo para estar preparado da melhor maneira possível para o Australian Open”, encerrou Bruno, focado no entrosamento.

Após a disputa do ATP 250 de Melbourne, a dupla voltará as suas atenções para o Australian Open, com início no dia 8 de fevereiro. O torneio traz boas lembranças para a dupla de Soares e Murray. A parceria teve a sua primeira passagem pela Austrália em 2016, quando tiveram um início meteórico e conquistaram os títulos no ATP 250 de Sydney e no Australian Open, sendo o primeiro título de Grand Slam nas duplas masculinas de suas carreiras. 

Melo sai da quarentena e conhece adversários em Melbourne

Marcelo Melo está nos momentos finais de sua preparação para a estreia na Austrália. Após passar 14 dias em quarentena obrigatória, o mineiro foi liberado das restrições. Antes com apenas cinco horas fora do quarto e uma série de condutas para seguir, agora o brasileiro poderá treinar livremente no complexo do Melbourne Park.

Foto: Divulgação

“Depois de 14 dias, a minha quarentena terminou. Foram 14 testes da Covid-19. No último dia, sem sair para treinar, fiquei 40 horas direto no quarto. Aqui fui privado de algumas coisas por opção de querer vir jogar. E só tenho a agradecer pela estrutura que nos proporcionaram. Agora vamos com tudo, passo a passo, em busca de um bom resultado no Australian Open”, disse Melo, agradecendo a organização.

O primeiro desafio de Marcelo e seu parceiro para a gira australiana, o romeno Horia Tecau, será no ATP 250 de Melbourne. Conhecendo seus adversários na manhã deste sábado, os cabeças de chave 4 aguardam os vencedores da partida entre os australianos Nick Kyrgios e Matt Reid e os norte-americanos Nicholas Monroe e Frances Tiafoe. O torneio é preparatório para o Australian Open, o primeiro Grand Slam da temporada.

“As expectativas ao lado do Tecau são muito boas. Ele é um excelente jogador. E acho que estas condições aqui são perfeitas para jogar a primeira vez com um parceiro. Normalmente não temos tempo para treinar juntos. Aqui foram praticamente 14 dias treinando juntos nas condições de jogo. E vamos ter um torneio preparatório para o Grand Slam. Melhores condições, impossível. Ele está muito empolgado e eu também”, disse o brasileiro.

Logo após a disputa da gira australiana, o mineiro começará a sua parceria ao lado do holandês Jean-Julien Rojer. Com a esposa nos estágios finais da gravidez, Rojer optou por não viajar para a Austrália.

Bruno Soares e Jamie Murray afinam entrosamento em Melbourne

Bruno Soares e Jamie Murray estão aproveitando a quarentena do Australian Open. A dupla, que voltou a se reunir após um ano e meio de separação, está treinando em Melbourne e aproveitando os 14 dias de isolamento após a chegada na cidade para retomar o ritmo.

Bruno e Murray formaram uma das parcerias de maior sucesso do circuito entre as temporadas de 2016 e 2019, sendo os campeões do Australian Open e do US Open em 2016 e terminando esta mesma temporada como a melhor dupla do mundo. No total, foram 10 títulos conquistados pela parceria mais bem-sucedida da carreira do brasileiro. De volta e com mais experiência adquirida, a dupla está focada nos treinos.

“O entrosamento com o Jamie foi muito rápido, nós já temos um conhecimento mútuo muito forte de quando jogávamos. Agora é trabalhar como equipe e acertar os ponteiros mais uma vez, focando nas coisas que fazíamos, que funcionavam, e também nos pontos em que mudamos e melhoramos. Também precisamos pegar ritmo de jogo, já que não competimos desde novembro”, explicou Bruno

“Os treinos estão muito bons. São quatro horas de treino, entre quadra e academia, e mais uma de alimentação todos os dias. Os cuidados tomados pela organização nesta quarentena são para não aumentar o risco de contaminação, mas é tempo suficiente para fazermos o que precisamos. Devemos sair da quarentena no dia 28”, finalizou o mineiro, explicando as condições atuais de treino devido ao coronavírus.

Antes do Australian Open, Soares e Murray disputarão o ATP 250 de Melbourne, torneio preparatório para o primeiro Grand Slam do ano.

Melo segue rotina de treinos na quarentena australiana

Marcelo Melo segue treinando em Melbourne. O mineiro, que chegou na Austrália na última sexta-feira, está aproveitando as cinco horas disponíveis durante a quarentena para se preparar para os torneios que disputará. Os tenistas que disputarão as competições australianas precisam passar por 14 dias de isolamento antes de serem liberados para as atividades normais.

“Está tudo certo por aqui, podendo treinar. Temos feito duas horas na quadra e, depois, uma hora e meia no ginásio, um local ao lado do outro. Na sequência, tempo para a refeição. Tudo muito coordenado, com todos bem separados. E com muita limpeza: após cada um deixar a quadra, o ginásio, tudo esterilizado. Até o elevador do hotel, depois de usarmos”, explicou Marcelo.

Vários protocolos foram definidos pelo governo australiano e o Australian Open a fim de evitar a contaminação dos competidores e trabalhadores pelo coronavírus. “Tudo muito bem organizado. Eles estão há 11 dias por aqui com nenhum caso. Então, temos de entender esse protocolo de segurança bem rígido. Faz parte. Pelo menos podemos treinar. Ainda falta um tempinho para começarmos a competir e está tudo tranquilo, como dá para ser, diante do que o mundo vem passando”, completou o mineiro, entendendo os cuidados e elogiando a organização.

Antes do Australian Open, Marcelo disputará o ATP 250 de Melbourne, torneio que acontecerá a partir do dia 31 de janeiro. O mineiro estará ao lado do romeno Horia Tecau, já que o seu parceiro fixo, o holandês Jean-Julien Rojer, será pai em breve e optou por não viajar para a Austrália. A parceria de Melo e Rojer será iniciada após as competições australianas.

Marcelo Melo viaja nesta quinta para o primeiro Grand Slam do ano

Marcelo Melo está na fase final de sua preparação para o Australian Open. O mineiro, que segue treinando em Monte Carlo, viajará nesta quinta-feira para Melbourne. Para um melhor controle da entrada dos tenistas no país, a competição fretou voos saindo de diferentes partes do mundo, com Melo embarcando em Dubai, nos Emirados Árabes.

“Estamos seguindo as orientações do torneio sobre o voo. Vamos sair de Dubai, em avião fretado para os jogadores. Estão organizando para que todos partam juntos para Melbourne. E aí facilita muito a entrada lá”, contou o mineiro. Marcelo jogará dois torneios, um ATP 250 em Melbourne e o Australian Open, ao lado do romeno Horia Tecau, já que seu parceiro fixo, o holandês Jean-Julien Rojer, será pai em breve.

Após a chegada na Austrália, os tenistas precisam cumprir uma rígida quarentena de 14 dias que inclui parceiros fixos de treino. “Durante a primeira semana vamos treinar eu e o Horia. Não podemos ter contato com mais ninguém. Na segunda semana, será permitido o contato com mais uma dupla. Conversamos com o Mate Pavic e o Nikola Mektic e vamos treinar junto com eles. Mas só podemos treinar com eles e sem contato com mais ninguém fora desse grupo, somente os quatro”, completou Marcelo.

Além da definição dos parceiros de treino, os competidores poderão ficar poucas horas fora de seus quartos para evitar a disseminação do vírus. “Essas cinco horas incluem atividades como o treino, a parte física, a fisioterapia. Pelo que entendi a organização do Australian Open é que vai decidir os horários que poderemos ficar fora. No restante do dia somos obrigados a permanecer no quarto. E sem contato com outros jogadores fora do nosso grupo, dois e depois quatro. Realmente muito restrito nessas duas semanas, pelas condições que a Austrália está. Parece que em Melbourne estão nulos os casos. Não querem correr o risco de levar o vírus para lá. E entendemos todos esses cuidados”, continuou.

“Depois dos 14 dias, aí poderemos circular livremente por Melbourne, escolher nosso hotel, voltar ao normal, sem essa rotina das duas primeiras semanas. Já outras restrições, durante o torneio, só vamos saber chegando lá. E tem um número específico de convidados, praticamente pode levar um cada um. Parece que só entram mil pessoas na Austrália”, finalizou o mineiro, detalhando as medidas do torneio.

Bruno Soares embarca para a Austrália nesta terça

Bruno Soares está a caminho da Austrália. O mineiro, que terminou 2020 como parte da melhor dupla da temporada, está viajando nesta terça-feira para iniciar a sua preparação para o Australian Open, onde retomará a sua parceria com o britânico Jamie Murray.

“Estou embarcando hoje para Australia, pegando o vôo fretado que sairá de Doha, porque o meu vôo acabou sendo antecipado. O descanso foi bom e a preparação está em processo, terminando nos 14 dias de quarentena que precisamos fazer lá. Treinarei somente com o Jamie na primeira semana, seguindo os protocolos propostos, e na segunda vamos continuar a preparação com Cabal e Farah”, disse o mineiro.

Bruno e Murray voltarão a se reunir após um ano e meio separados. A dupla, que fez uma das parcerias mais perigosas do circuito entre as temporadas de 2016 e 2019, conquistou dois títulos de Grand Slam junta, o Australian Open e o US Open, ambos em 2016. Também foi neste mesmo ano que Soares e Murray terminaram a temporada no topo do ranking de times. No total, foram 10 títulos conquistados pela parceria mais bem-sucedida da carreira do brasileiro.

“A expectativa é muito boa para essa volta com o Jamie, acho que estamos melhores agora do que na nossa primeira versão. Estamos mais experientes e jogando tão bem ou até melhor do que naquela época, então estou super empolgado pelo futuro”, falou o atual número 6 do mundo, empolgado com o potencial da dupla.

Bruno e Murray ainda estão planejando os seus próximos passos após os torneios australianos. “Ainda estamos definindo. O mais provável será jogar os ATP 500 de Roterdã e Acapulco e o Masters 1000 de Miami, mas ainda vamos conversar melhor, dependendo dos nossos resultados”, finalizou Bruno, focado na Austrália.

Demoliner e Gonzalez iniciam a temporada com derrota

Iniciando a parceria com o mexicano Santiago Gonzalez, Marcelo Demoliner caiu na primeira rodada do ATP 250 de Delray Beach, nos Estados Unidos. O gaúcho e o mexicano foram superados por Oliver Marach e Luis David Martinez em sets diretos, com parciais de 6/2 e 6/3, se despedindo da competição.

Esta é a segunda vez que Demoliner e Gonzalez formam uma parceria. A primeira foi em 2018, quando o gaúcho e o mexicano disputaram nove torneios juntos. O time foi campeão do ATP 250 de Antalya, na Turquia, e foi vice-campeão do ATP 250 de Antuérpia, na Bélgica. Retomando a parceria, os números 44 e 48 do mundo buscam posições no ranking para que possam entrar em torneios de maiores níveis.

Demoliner e Gonzalez seguem a sua preparação para o Australian Open, que acontece em fevereiro. O torneio australiano será o quarto Grand Slam disputado pela parceria, que já participou de Roland Garros, Wimbledon e do US Open, caindo na segunda rodada em todos.